Translate this Page

Rating: 3.0/5 (889 votos)



ONLINE
9




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

metodo literal de interpretação
metodo literal de interpretação

O Método "Normal- Literal" De Interpretação Da Profecia Bíblica



O método "normal e literal" de interpretação da Bíblia se refere ao modo pelo qual a linguagem humana é comumente interpretada. Deus tem revelado a Sua verdade através dos meios normais da linguagem humana. Assim, o sentido literal normal da Escritura deve prevalecer. Dr. David L. Cooper sabiamente observa: "Quando o sentido claro da Escritura faz sentido, não procure  nenhum outro sentido, mas tome cada palavra em seu sentido literal primário (a menos que os fatos do contexto imediato claramente indiquem de outra forma)." [ênfase adicionada pela tradutora] 



 

QUE TAL O MÉTODO ALEGÓRICO DE INTERPRETAÇÃO?

O método alegórico de interpretação se refere à espiritualização das porções proféticas da Escritura ao invés de interpretá-las literalmente. Nesta metodologia, as profecias do Velho Testamento sobre um reino terrestre glorioso para a nação de Israel são consideradas figuras alegóricas do período da igreja [atualmente] existente. Em outras palavras, "Sião" é usada para significar a igreja ao invés da cidade de Jerusalém. “O deserto ... florescerá como a rosa” (Isaías 35) é tido como uma imagem da presente frutificação real do evangelho, ao invés de uma futura condição literal sobre a terra. O templo em Ezequiel 40-48 é tido como uma representação simbólica da igreja, ao invés de um futuro templo literal. Através desta forma de interpretação, os acontecimentos registrados em Apocalipse – os julgamentos sobre a terra, as guerras, as duas testemunhas, o selo dos 144000 Israelitas, o aprisionamento de Satanás, e os 1000 anos de governo [do Cristo corporalmente presente] sobre [toda] a terra - são vistos simbolicamente, ao invés de como futuros eventos literais. 

Uma nota da Bíblia de Genebra em Apocalipse 9:11 identifica o "Anjo do poço sem fundo" como "Anticristo, o Papa, rei de hipócritas e embaixador de Satanás." Porém não há nenhuma razão para se ver o anjo do poço sem fundo senão como um literal anjo caído em um literal poço sem fundo. 

Lion Handbook of the Bible (1983) dá uma interpretação alegórica do livro do Apocalipse. As duas bestas de Apocalipse 13 são ditas ser "o Império Romano e a adoração ao seu imperador." 

Illustrated Bible Handbook, editado por Lawrence Richards e publicado pela Word Publishers em 1982 e por Thomas Nelson, em 1997, assume, para o Apocalipse, uma abordagem não-comprometida, apresentando ambos o ponto de vista literal-futurista e o alegórico- histórico, sem expor o erro deste último. Dizem [os autores de tal Handbook] que os 144.000 [homens], em Apocalipse 7, são "um número perfeito (12 X 12 X 1000), representando [toda] a Igreja de todas as épocas." As duas testemunhas em Apocalipse 11 "não são indivíduos, mas representam toda a Igreja." A morte das testemunhas "simboliza [toda] a Igreja silenciada pela perseguição". Os 1260 dias (3,5 anos [proféticos]) são "simbólicos" e representam [todos os] "períodos de aflição" [passados por todos os crentes ou toda a Igreja].Os 42 meses em Apocalipse 13:5 "representam a total época do evangelho." O aprisionamento de Satanás, em Apocalipse 20, "aconteceu no nascimento de Jesus." 

Harold Camping, fundador da Rádio Família Cristã, recentemente, veio com a seguinte interpretação alegórica de Apocalipse 11:7. Ele diz que as duas testemunhas representam a Igreja. A Igreja tem estado na grande tribulação, mas agora foi morta. Por isso, a Igreja está morta; Deus chegou ao limite de Sua paciência com igrejas e pastores e eles não têm mais autoridade escritural. 



 

A HISTÓRIA DE ALEGORISMO

No primeiro século, os crentes não interpretavam as profecias alegoricamente. Na verdade, ela [a interpretação alegórica] não surgiu até cerca de 200 anos após os apóstolos. 

1. Uma escola foi fundada em Alexandria, Egito, que se tornou o quartel-general para o método de interpretação alegórico. O primeiro chefe da escola foi Pantaenus. Clemente encabeçou a escola a partir dos anos 190 a 202 dC. Ele misturou a filosofia de Platão com o Cristianismo. Ele ajudou a desenvolver a doutrina do purgatório e acreditava que a maioria dos homens, eventualmente, seria salva. Ele era místico, na sua abordagem ao Cristianismo. Ele ensinou que a salvação era através do conhecimento e não através do sangue de Jesus Cristo. 

2. Orígenes (185-254 dC) foi um dos principais pais do alegorismo. Ele dirigiu a escola de Alexandria de 202 a 232. Embora ele tenha sofrido perseguições e torturas por causa de Cristo sob o imperador Décio em 250 dC, Orígenes estava carregado de falsos ensinos. A seguir, estão alguns das estranhas heresias de Orígenes:

(a) Ele ensinou que o celibato era um estado santo e superior ao casamento.
(b) Ele viveu uma vida ascética, contrária ao exemplo dos apóstolos.
(c) Ele ensinou uma mistura de filosofia pagã e Cristianismo.
(d) Ele ensinou regeneração batismal.
(e) Ele acreditava em purgatório.
(f) Ele ensinou que todos os homens e até mesmo Satanás e demônios, eventualmente, seriam salvos.
(g) Ele ensinou a preexistência da alma humana.
(h) Ele ensinou que o Espírito Santo foi a primeira criatura feita por Deus.
(i) Ele não acreditava que as Escrituras são infalíveis.
(j) Ele duvidava que Jesus Cristo é plenamente Deus.
(k) [Ele ensinou que] Cristo, na sua expiação, fez um resgate de Satanás.


O caráter de Orígenes é descrito pelo historiador Luterano Mosheim como "um composto de contradições: sábio e insensato, perspicaz e estúpido, criterioso e não criterioso; o inimigo da superstição, e seu protetor; um fervoroso defensor do Cristianismo, e seu adulterador; enérgico e irresoluto ; um a quem a Bíblia deve muito, e de quem ela tem sofrido muito.

3. Um outro pai do alegorismo foi  Agostinho (354-430 dC), também um dos pais da Igreja Católica Romana. Agostinho foi também um herege.

(a) Ele era um perseguidor e o pai da doutrina de perseguição da Igreja Católica. O historiador Neander observou que o ensino de Agostinho "contém o germe de todo o sistema de despotismo espiritual, intolerância e perseguição, até mesmo para o tribunal da Inquisição". Ele instigou amargas perseguições contra os  Donatistas, os quais [realmente] criam na Bíblia e se empenharam para manter igrejas puras segundo a fé apostólica.
(b) Ele foi o pai do Amilenarismo, ensinando que a Igreja católica é que era o reino de Deus.
(c) Ele ensinou que os sacramentos eram os meios de salvação pela graça.
(d) Ele ensinou que Maria não cometeu nenhum pecado.
(e) Ele acreditava no purgatório.
(f) Ele foi um dos pais do batismo infantil, alegando que as crianças não batizadas estavam perdidas, e chamando todos que rejeitavam o batismo infantil de "infiéis" e "malditos".
(g) Ele exaltava a autoridade da Igreja acima daquela da Bíblia.


4. A Igreja Católica Romana tem continuado a interpretar a Bíblia alegoricamente ao longo da sua história. 

------ x ------ x ------ x ------ 

Por outro lado, os crentes biblicistas separatistas (tais como a Escola de Antioquia, no 2 º e 3 º séculos; alguns dos grupos Waldenses; e váriosAnabatistas) têm rejeitado o alegorismo e interpretado literalmente a Bíblia. Damos dois exemplos: 

A Escola de Antioquia foi fundada no século III por Lucian (morto em 312 dC) e treinou pregadores que rejeitaram o método alegórico de interpretação. Alguns destes foram Teodoro, pastor da Mopsuestia (350-428 dC), Crisóstomo (354-407 dC), Teodoreto (386-458 dC), e Diodoro de Tarso. "Os livros de Diodoro de Tarso foram dedicados a uma exposição das Escrituras em seu sentido literal, e ele escreveu um tratado, agora lamentavelmente perdido, sobre a diferença entre alegoria e o modo espiritualizado de se ver [as profecias da Bíblia]." (F.W. Farrar, History of Interpretation, pp. 213 -15). 

William Tyndale foi tradutor da primeira Bíblia em Inglês, traduzindo a partir do grego e do hebraico, no início dos anos 1500, e foi posto à morte por Roma por causa do seu nobre trabalho. Ele disse: "Tu entenderás, portanto, que a Escritura tem apenas um sentido, que é o sentido literal. E este sentido literal é a raiz e o fundamento de tudo, e a âncora que nunca falha; se te ligares a ela, nunca poderás errar ou ir para fora do caminho. E se tu deixas o sentido literal, tu não podes ir senão para fora do caminho. Sim, as Escrituras usam provérbios, similitudes, enigmas, ou alegorias, como todos os outros discursos usam; mas o que [quer que] os provérbios, similitudes, enigmas, ou alegorias [também] significam, é algo em adição ao sentido literal [perfeitamente válido e em vigor], o que tu deves procurar diligentemente [e primeiro que tudo]." (William Tyndale, citado pelo General Charles Briggs em Introduction to the Study of Holy Scripture, pp. 456-57). 



 

POR QUE REJEITAMOS O ALEGORISMO?

1. DEUS DEU AS ESCRITURAS PARA REVELAR A VERDADE AO HOMEM, NÃO PARA OCULTÁ-LA. 

A Escritura foi dada para trazer luz, não confusão. “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.” (Dt 29:29 ACF). Assim, nas Escrituras, Deus usa as regras normais da linguagem humana. 



2. DEUS CRIOU A LINGUAGEM HUMANA (Gen 1:27-28; 2:19).

O homem é feito à imagem de Deus, e assim ele tem incríveis habilidades comunicativas. O primeiro objetivo da linguagem humana é que o homem possa conhecer e se comunicar com Deus. 
Logo depois que Adão foi criado, não havia outros seres humanos com quem ele pudesse falar. Adão falava apenas com Deus, e é razoável supor que Deus deu ao homem a habilidade lingüística para que este pudesse comunicar-se com seu Criador de forma eficiente [completamente precisa]. Também foi Deus quem criou as diferentes línguas na Torre de Babel (Gen 11:9). Sempre que Deus falou aos homens a partir da criação até agora, ele sempre tem feito isto através de linguagem humana normal. Segundo 1Cor 2:10, as Escrituras em linguagem humana normal são capazes de comunicar as "profundezas de Deus.



3. AS PROFECIAS DA BÍBLIA SEMPRE FORAM CUMPRIDAS LITERALMENTE

Exemplos disso são as profecias relativas às nações (como a Babilônia e Tiro), as profecias sobre Israel, e as profecias sobre a primeira vinda de Cristo. Todas estas profecias [sem uma única exceção] têm sido cumpridas literalmente, em todos os detalhes, e é razoável supor que, do mesmo modo, as profecias não cumpridas se cumprirão literalmente. 

Profecias sobre Israel: 

Deuteronômio 28 Verso 36 O SENHOR te levará a ti e a teu rei, que tiveres posto sobre ti, a uma nação que não conheceste, nem tu nem teus pais; e ali servirás a outros deuses, ao pau e à pedra. 
      - Lam. 2:9, 2Reis 17:4-6; 2Cron 33:11 Verso 37 
      - Lam 1:21; 2:15-16; 3:45-46 
Deuteronômio 28 Verso 38  Lançarás muita semente ao campo; porém colherás pouco, porque o gafanhoto a consumirá. 

      - Joel 1:4 
Deuteronômio 28 Verso 41 Filhos e filhas gerarás; porém não serão para ti; porque irão em cativeiro. 
      - Lam 1:5,16; 2Reis 24:10-16; Dan 1
Deuteronômio 28 Verso 43 O estrangeiro, que está no meio de ti, se elevará muito sobre ti, e tu mais baixo descerás; 
      - Lam 1:1, 5; 5:2-4 
Deuteronômio 28 Verso 48 Assim servirás aos teus inimigos, que o SENHOR enviará contra ti, com fome e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te tenha destruído. 
      - Lam 1:11, 14; 4:8-10; 5:5; Jer 28:14; 4:13; Hab 1:6-7 
Deuteronômio 28 Verso 49 O SENHOR levantará contra ti uma nação de longe, da extremidade da terra, que voa como a águia, nação cuja língua não entenderás; 
      - Lam 4:19; Ezequiel 17:3, 12; Hab. 1:8; Jer 5:15, 48:40; Oseias 8:1 
Deuteronômio 28 Verso 50 Nação feroz de rosto, que não respeitará o rosto do velho, nem se apiedará do moço; 
      - Lam 4:16; Isaías 47:6; 2Cron 36:17 
Deuteronômio 28 Verso 51 E comerá o fruto dos teus animais, e o fruto da tua terra, até que sejas destruído; e não te deixará grão, mosto, nem azeite, nem crias das tuas vacas, nem das tuas ovelhas, até que te haja consumido; 
      - Isaías. 1:7 
Deuteronômio 28 Verso 52 E sitiar-te-á em todas as tuas portas, até que venham a cair os teus altos e fortes muros, em que confiavas em toda a tua terra; e te sitiará em todas as tuas portas, em toda a tua terra que te tem dado o SENHOR teu Deus. 
      - Lam 2:5, 7:9, 2Reis 25:1, 2, 4; 17:5-6; 18:13 
Deuteronômio 28 Verso 53 E comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der o SENHOR teu Deus, no cerco e no aperto com que os teus inimigos te apertarão. 
      - Lam 2:20; 4:5, 10; 2Reis 6:28-29; Jer 19:9 
Deuteronômio 28 Verso 62 E ficareis poucos em número, em lugar de haverem sido como as estrelas dos céus em multidão; porquanto não destes ouvidos à voz do SENHOR teu Deus. 
      - Nee 7:4; Isaías 1:9; Jer 4:2 
Deuteronômio 28 Verso 64 E o SENHOR vos espalhará entre todos os povos, desde uma extremidade da terra até à outra; e ali servireis a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais; ao pau e à pedra. 
      - Jer 16:13; Ezequiel 11:16 
Deuteronômio 28 Verso 65 E nem ainda entre estas nações descansarás, nem a planta de teu pé terá repouso; porquanto o SENHOR ali te dará coração agitado, e desfalecimento de olhos, e desmaio da alma.” (ACF)
      - Lam 1:3, 13; 3:4-7; 5:5, 9 

Profecias em 1Reis 

1Reis 11:31 “E disse a Jeroboão: Toma para ti os dez pedaços, porque assim diz o SENHOR Deus de Israel: Eis que rasgarei o reino da mão de Salomão, e a ti darei as dez tribos.” (1Rs 11:31 ACF)
      -  cumprida em 1Reis 12:16-17 

1Reis 13:2 “E ele clamou contra o altar por ordem do SENHOR, e disse: Altar, altar! Assim diz o SENHOR: Eis que um filho nascerá à casa de Davi, cujo nome será Josias, o qual sacrificará sobre ti os sacerdotes dos altos que sobre ti queimam incenso, e ossos de homens se queimarão sobre ti.” (1Rs 13:2 ACF)
      -  cumprida em 2Reis 23:15-16  

1Reis 14:10 “Portanto, eis que trarei mal sobre a casa de Jeroboão; destruirei de Jeroboão todo o homem até ao menino, tanto o escravo como o livre em Israel; e lançarei fora os descendentes da casa de Jeroboão, como se lança fora o esterco, até que de todo se acabe.” (1Rs 14:10 ACF)
      - cumprida em 1Reis 15:28-29, 

1Reis 16:3 “Eis que tirarei os descendentes de Baasa, e os descendentes da sua casa, e farei a tua casa como a casa de Jeroboão, filho de Nebate.” (1Rs 16:3 ACF)
      -  cumprida em 1Reis 16:11-12, 

1Reis 21:19 “E falar-lhe-ás, dizendo: Assim diz o SENHOR: Porventura não mataste e tomaste a herança? Falar-lhe-ás mais, dizendo: Assim diz o SENHOR: No lugar em que os cães lamberam o sangue de Nabote lamberão também o teu próprio sangue.” (1Rs 21:19 ACF)
      -  cumprida em 1Reis 22:38; 2Reis 9:24-26, 

1Reis 21:22 “22 E farei a tua casa como a casa de Jeroboão, filho de Nebate, e como a casa de Baasa, filho de Aías; por causa da provocação, com que me provocaste e fizeste pecar a Israel. " 
      -  cumprida em 2Reis 9:10, 
1Reis 21:23 "23 E também acerca de Jezabel falou o SENHOR, dizendo: Os cães comerão a Jezabel junto ao antemuro de Jizreel.” (1Rs 21:23 ACF)
      - cumprida em 2Reis 9:36 

As profecias das Nações: 

SAMARIA: Miquéias 1:6 prediz a ruína total Samaria, [sendo derrubada] até mesmo até tão baixo quanto as suas fundações. Tan relata, "Durante o tempo de Cristo, Samaria ainda era um proeminente cidade, e foi visitada várias vezes por Cristo. Mas, agora, a antiga cidade não está mais de pé". "Vegetação cresce sobre as encostas da antiga Samaria. As pedras dos palácios foram atiradas para baixo e muitas delas têm encontrado seu caminho para o vale abaixo." (Martin Wyngaarden, The Future of the Kingdom in Prophecy and Fulfillment, p. 20) . 

TIRO: Ezequiel 26:3-16 prediz sete passos para a destruição de Tiro:

(1) Nabucodonozor sitiará e saqueará Tiro (vv. 7.11).
(2) Muitas nações participarão na destruição de Tiro (v. 3).
(3) A cidade será tornada plana como o topo de uma penha e até mesmo a poeira será varrida [para fora] (v. 4).
(4) As suas pedras e madeiras serão lançadas no mar (v. 12).
(5) Outras cidades temerão grandemente diante da queda de Tiro.
(6) Virá a ser um enxugadouro de redes, referindo-se à pesca (v. 5).
(7) A antiga cidade de Tiro nunca será reconstruída (v. 14).


"Esta profecia contra o Tiro foi parcialmente cumprida em 586 aC quando o Rei Nabucodonozor tomou a forte cidade de Tiro depois de um cerco de treze anos, mas foi incapaz de tomar a sua ilha que ficava perto e para onde a maior parte das pessoas tinha fugido. Em 322 aC , Alexandre o Grande, raspando até bem abaixo as camadas de pedras e de madeira da cidade da firme terra do continente, para usá-las como material para construção, construiu uma grande estrada até à ilha fortemente defendida, e assim completou a conquista de Tiro. Hoje, o local da antiga Tiro tem abastecimento de água fresca suficiente para uma grande cidade moderna, mas não tem sido ocupado por 2300 anos. No entanto, é muito popular entre os pescadores! " (Tan, p. 65). 

As profecias da Primeira Vinda de Cristo:
Salmo 22. Mesmo se nos restringirmos somente a este Salmo, encontramos muitas profecias específicas sobre a morte de Cristo: 

Verso 1 ¶ ((Salmo de Davi para o músico-mor, sobre Aijelete Hashahar)) DEUS meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido? 
      – cumprimento em Mateus 27:46 
Versos 6-8 6 Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo. 7 Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo: 8 Confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer. 
      – cumprimento em Mateus 27:39-44 
Verso 9-10 9 Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe. 10 Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe. 
      – cumprimento em Mateus 1:18-23 
Verso 11 ¶ Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem ajude. 
      – cumprimento em Marcos 14:50; Hebreus 1:3 
Versos 12-13 12 Muitos touros me cercaram; fortes touros de Basã me rodearam. 13 Abriram contra mim suas bocas, como um leão que despedaça e que ruge. 
      – cumprimento em Mateus 27:39 
Verso 14-16 14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas. 15 A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte. 16 Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou, traspassaram-me as mãos e os pés. 
      – cumprimento em Mateus 27:35 
Verso 17 Poderia contar todos os meus ossos; eles vêem e me contemplam. 
      – cumprimento em João 19:33 
Verso 17b eles vêem e me contemplam. 
      – cumprimento em Mateus 27:36 
Verso 18 Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa. 
      – cumprimento em Mateus 27:35; João 19:24 

Assim, vemos que a profecia bíblica sempre foi literalmente cumprida, e não há razão para crer que futuras profecias serão cumpridas de forma diferente. 



4. CADA SECÇÃO PRINCIPAL DA BÍBLIA ANUNCIA, DE ANTEMÃO, EM PORMENORES, OS MESMOS ACONTECIMENTOS.

Desta maneira, Deus está enfatizando a literalidade destes eventos. Se uma pessoa estuda profecias do Antigo Testamento, as profecias de Jesus, as profecias dos Apóstolos, e as profecias descritas em Apocalipse, ela vai ver uma repetição [das descrições] dos mesmos acontecimentos. Todos dão detalhes das mesmas cenas da grande tribulação mundial, de um perverso governo mundial, da segunda vinda de Cristo em glória, da destruição dos revoltosos, da restauração e regeneração nacional de Israel, e do glorioso reino terrestre de Cristo. 

PRINCIPAIS EVENTOS PROFÉTICOS PRE-ANUNCIADOS EM TODAS AS PARTES DA BÍBLIA 
Evento      V.T.              Jesus       Apóstolos    Apocalipse 

Anticristo  Dn 9:12           Mt 24:15    2Ts 2:1-12   Ap 13 

Grande 
Tribulação  Is 2,13,24,34     Mt 24:21    1Ts 5:1-3    Ap 6-18 

Retorno 
Glorioso    Zc 14:1-4         Mt 24:29-30; 2Ts 1:6-10  Ap 19:11-16 

Conversão 
de Israel   Jr 31-33          Mt 19:28    Rm 11:25-27  Ap 7 

Destruição dos
revoltosos  Zc 12-14          Lc 19:27    Judas 14-15  Ap 19:17-21 

Reino 
Glorioso    Is 35             Mt 25:31    Rom 11:25-27 Ap 20 



5. JESUS ENSINOU OS HOMENS A COMPREENDEREM AS ESCRITURAS ATRAVÉS DE MEIOS NORMAIS (Lucas 10:25-26). 
“25 ¶ E eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o, e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? 26 E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês?” (Lc 10:25-26 ACF)



6. JESUS DISSE QUE ESSES EVENTOS SÃO AINDA FUTURO. Ele revelou com fina precisão que o tempo geral para o cumprimento desses eventos seria exatamente um pouco antes de Sua vinda em glória (Mateus 24:15-29). 
“15 Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda; 16 Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; 17 E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa; 18 E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes. 19 Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias! 20 E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado; 21 Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. 22 E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. 23 Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; 24 Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. 25 Eis que eu vo-lo tenho predito. 26 Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis. 27 Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem. 28 Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias. 29 E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.” (Mt 24:15-29 ACF)



7. OS PRIMEIROS CRISTÃOS INTERPRETARAM LITERALMENTE A PROFECIA (Atos 3:19-21; Romanos 11:25-27). ISTO É ADMITIDO POR QUASE TODOS OS HISTORIADORES DA IGREJA. "O ponto mais marcante na escatologia da idade pré-Nicena é o proeminente quiliasmo, ou mileniarismo, que é a crença de um visível reinado de Cristo [literal, corporalmente presente], em glória, sobre a terra, com os santos ressuscitados, durante mil anos, antes da ressurreição geral e do julgamento [final]" (Phillip Schaff, History of the Christian Church, 1884, II, p. 614). 

“19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do SENHOR, 20 E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. 21 O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.” (At 3:19-21 ACF)

“25 Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. 26 E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. 27 E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados.” (Rm 11:25-27 ACF)




8. AS PROFECIAS ESTÃO  COMEÇANDO A SER CUMPRIDAS LITERALMENTE.

A maquinaria para um governo mundial e uma organização religiosa descritos em Apocalipse 13 está a ser criada. Terremotos, guerras, fome, e falsos ensinos estão aumentando tal como Jesus disse que estariam (Mateus 24:3-8). A nação de Israel está de volta à sua terra, em preparação para o cumprimento de todas as profecias relacionadas a ela. Isso sustenta a crença de que Deus não tem rejeitado definitivamente a nação de Israel, mas a tem apenas temporariamente colocado de lado até que Ele esteja pronto para cumprir suas promessas a eles (Romanos 11:25-29). Não há nenhuma boa razão para duvidar de que a profecia bíblica será integralmente cumprida no futuro. 

“3 E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? 4 ¶ E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; 5 Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. 6 E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. 7 Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. 8 Mas todas estas coisas são o princípio de dores.” (Mt 24:3-8 ACF)

“25 Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. 26 E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. 27 E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados. 28 Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais. 29 Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.” (Rm 11:25-29 ACF)




9. A NECESSIDADE PRÁTICA TAMBÉM EXIGE A INTERPRETAÇÃO LITERAL DA PROFECIA.

Interpretar a profecia bíblica alegoricamente destrói o sentido absoluto da Palavra de Deus. Se uma profecia não significa exatamente o que ela diz, então não há nenhuma maneira de discernir exatamente o que ela significa. 
Considere, por exemplo, Apocalipse 20:1-3. Se esta passagem não significa que um anjo literal lança um diabo literal em um literal poço sem fundo por literais mil anos, não temos um meio de saber o que ela significa. Se ela não significa o que diz, ela poderia significar qualquer coisa que qualquer intérprete diz que ela significa. Assim, o ensino da Bíblia é jogado em completa e permanente confusão.

"O método literal é um método verdadeiro e honesto. Ele é baseado no pressuposto de que podemos confiar em [todas, cada uma de] as palavras das Escrituras. Assume-se que, uma vez que Deus tenciona que Sua revelação deve ser entendida, a revelação divina deve ser escrita com base em regras regulares [as normais, usuais, óbvias] da comunicação humana. Interpretar literalmente significa explicar o sentido original do orador ou do escritor de acordo com as condições normais, de costume, habituais, os bons e próprios usos de palavras e linguagem. A fim de determinar os usos normal e habitual da linguagem bíblica, é necessário considerar as regras aceitas da gramática e da retórica, bem como os dados factuais históricos e culturais dos tempos bíblicos. É próprio de uma palavra ter vários significados e sentidos. No entanto, quando uma palavra é usada em uma determinada situação, ela deve normalmente possuir somente um significado ou sentido intencionado [e este é óbvio a todos os sinceros, usualmente até às crianças]. Essa é a regra usual de intercâmbio lingüístico entre pessoas sensatas. 

“Amantes da Música procuram compreender compositores de músicas, não por descartar os pensamentos e sentimentos dos compositores e os substituir por algo que julgam melhor, mas por seguir executando fiel e precisamente a partitura, nos menores detalhes das notas musicais. Alunos de cursos de “Apreciação de Música” não vão  tentar ouvir algo que não está lá [na partitura original], mas sim tentar saber o pretendido significado e estado de espírito de um determinado compositor através do [preciso] seu uso das suas notas. Caso contrário, o que o compositor está tentando dizer é ignorado e o que o intérprete quer dizer passa a ser o fator importante. Intérpretes literais acreditam que a revelação da Escrituras foi dada [por Deus] para ser compreendida pelo homem. Acredita-se que a Bíblia é para ser uma revelação, não uma charada ou enigma"
 (Paul Lee Tan, The Interpretation of Prophecy, p. 29 -30). 




10. A INTERPRETAÇÃO ALEGÓRICA TORNA O ESTUDANTE DA BÍBLIA UM ESCRAVO DE PROFESSORES ILUMINADOS QUE TÊM [SÓ ELES] A "CHAVE" DA COMPREENSÃO. 

Esta é a forma como a Igreja Católica tem mantido o seu povo escravizado por suas tradições e dogmas não escriturísticos. Roma ensinou ao povo que a Bíblia só pode ser apropriadamente entendida pelos sacerdotes. 

"Quer seja a interpretação de profecia ou de algo que não é profecia, uma vez que literalidade é sacrificada, é como começar a escorregar para baixo numa íngreme rampa. A velocidade aumenta rápida e vertiginosamente à medida que se sucumbe à tentação de espiritualizar uma passagem após a outra. ... Ademais, sob o método de espiritualização, não há nenhuma forma de um intérprete testar a validade das suas conclusões, salvo se comparar suas obras com a de um colega. Ao invés de ‘uma mais firme palavra de profecia’ (2 Ped. 1:19), intérpretes terminam chegando a uma palavra "insegura" e a caos nas fileiras do exército [dos seus seguidores]." (Paul Lee Tan, The Interpretation of Prophecy [A Interpretação da Profecia], pp. 73,74). 

"Se nós pregamos a Bíblia literalmente, é como dizermos a verdade [no nosso dia]. Você não tem que se lembrar do que disse. Mas se você espiritualiza... o que você disse ontem sobre uma passagem pode ser diametralmente oposto ao que você quer dizer hoje .... Um homem descobrirá que ele está contradizendo a si mesmo vezes e vezes sem fim, à medida que ele prega ao longo dos anos "(WA Criswell, Why I Preach that the Bible is Literally True [Por que Eu Prego Que A Bíblia É Literalmente Verdadeira], p. 145). 



 

CUIDADO COM AS "CHAVES" PARA A INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA

Se existe tal coisa como uma "CHAVE" para a interpretação da Bíblia, ela é estudar a Bíblia através do método normal, literal, e deixar que a Bíblia fale por si mesma. Porém, existem muitas "chaves" estranhas indicadas por vários grupos. 

Os Christadelfianos têm um curso de estudo bíblico chamado “The Key to Bible Undestanding” [A Chave Para O Entendimento Bíblico]. De acordo com esta "chave", a salvação é alcançada pela fé mais obras, a morte é o cessar de respirar e não significa que o espírito do homem vai para o céu ou inferno, a ressurreição não se estende aos maus, batismo é necessário para a salvação, inferno não é um lugar de tormento eterno, etc. 

Mary Baker Eddy da Christian Science [Ciência Cristã] escreveu o “Science and Health with Key to the Scriptures” [Ciência e Saúde com Chave para as Escrituras]. De acordo com esta "chave", inferno e morte e doença não são reais, mas são meras ilusões. 

Um novo livro que usa a abordagem hiper-dispensacionalista, “One Book Rightly Divided” [Um Livro Corretamente Dividido], tem uma ilustração disfarçada apresentando uma chave repousando sobre uma Bíblia. De acordo com esta "chave", Paulo pregou um evangelho diferente do de Pedro, somente as epístolas de Paulo são para as igrejas, Hebreus e Tiago ensinam que você pode perder sua salvação, 1 João ensina que a salvação é pela fé mais obras, e os homens serão salvos pelas obras durante a Tribulação. 

Um sítio da web apresenta a "kitab-i-iqan: a chave para o abrir os selos dos mistérios da Bíblia Sagrada." Tal artigo descreve os ensinamentos de alguém chamado Shoghi Effendi que tem alegadamente quebrado [decifrado] os selos de profecia bíblica. De acordo esta "chave", sepultura se refere a erro, céu se refere a revelação divina, tribulação é "não saber para onde ir para obter a verdade," terremoto é "o coração dos crentes serem movidos pelo Espírito Santo", ser levantado dos mortos significa ter fé, nuvens são "coisas contrárias aos desejos do homem", e anjos são "as pessoas que têm substituído falhas com atributos divinos." 

Outro sítio da web que apresenta uma "chave para a profecia bíblica" interpreta a besta do Apocalipse como a América [os Estados Unidos da América do Norte] e a destruição da vida descrita em Apocalipse é apresentada como o aborto de bebês, hoje. 

"A chave para a Bíblia", do arcebispo católico Dom Fulton Sheen's, foi "as núpcias divinas" ou a luta para formar um povo fiel. Ele ensinou que a salvação é através dos sacramentos católicos, que Maria é a Rainha do Céu, e que Deus exalta a virgindade e desvaloriza o casamento e a relação sexual entre um homem e uma mulher. 

A "Chave para o Entendimento da Bíblia", por O.L. Dunaway (dos ministérios Truth Gleaner), ensina que o inferno não é um lugar de tormento eterno, que a morte não é uma viagem para o céu ou inferno, que o batismo é necessário para a salvação, etc. 

A "Chave para Entender as Contradições da Bíblia", por Gary Naler, afirma que contradições nas Escrituras são "enigmas intencionalmente propostos por Yahweh" e ele [Naler]  propõe que os homens não viram [ninguém conseguiu descobrir] esta "chave" durante 2000 anos [depois do nascimento de Cristo]. Um dos supostos enigmas é o ensinamento de Jesus sobre o novo nascimento em João 3! De acordo com o ensino desta "Noiva Remanescente", Deus está chamando um resquício das igrejas organizadas, todas as quais são apóstatas, e é Elias que vai preparar o caminho para este remanescente para o retorno de Cristo. 

De acordo com os "Estudos Bíblicos da Casa de Israel”, a "chave" para a Bíblia é o pacto de Davi, que supostamente tem sido transferido para as "tribos perdidas de Israel," que agora são encontradas na Inglaterra e nos Estados Unidos; Manassés e Efraim são agora os Estados Unidos e a Inglaterra; o trono britânico pode ser rastreada até os reis de Judá; a pirâmide no dólar dos E.U. se refere à sua ligação com Israel; etc. 

Cuidado com as "chaves" para entender a Bíblia, as quais são oferecidas pelos falsos professores. Qualquer alegação de que alguém tenha descoberto "uma nova chave", ou que apenas recentemente tenha aprendido o "real significado das" Escrituras, é falso. "Se é novo não é verdade, e se é verdade não é novo"! A verdadeira chave para se compreender a Bíblia é simplesmente tomar a Deus conforme o uso normal das palavras que Ele escolheuaproximar-se da Sua palavra através das regras de funcionamento normal da linguagem, e deixar que a Bíblia interprete a ela mesma. [ênfases adicionadas pela tradutora].



 

QUE TAL A ALEGORIA EM GÁLATAS 4:21-31?

“21 ¶ Dizei-me, os que quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei? 22 Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava, e outro da livre. 23 Todavia, o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas, o que era da livre, por promessa. 24 O que se entende por alegoria; porque estas são as duas alianças; uma, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar. 25 Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos. 26 Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós. 27 Porque está escrito: Alegra-te, estéril, que não dás à luz; Esforça-te e clama, tu que não estás de parto; Porque os filhos da solitária são mais do que os da que tem marido. 28 Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa como Isaque. 29 Mas, como então aquele que era gerado segundo a carne perseguia o que o era segundo o Espírito, assim é também agora. 30 Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da escrava herdará com o filho da livre. 31 De maneira que, irmãos, somos filhos, não da escrava, mas da livre.” (Gl 4:21-31 ACF)

1. Este é o único caso de um evento do Velho Testamento visto pelo Novo Testamento como uma alegoria. 

2. Este método, no entanto, é totalmente diferente do método alegórico dos intérpretes não-literais, porque, em Gálatas 4, Paulo assume a existência literal de Hagar, Sara, Monte Sinai, Jerusalém, etc. Ele as cita como alegorias apenas para fins de ilustração. Os alegoristas proféticos, porém, dizem que Sião não é Sião, e que os 144000 em Apocalipse 7 não são realmente 144000, e que os 1000 anos em Apocalipse 20 não são realmente 1000 anos. Isto não é o que Paulo estava fazendo. 

3. Paulo nunca interpretou a profecia bíblica alegoricamente, sempre literalmente: tribulação literal (1 Tes. 5:1-3), anticristo literal (2 Tes. 2:8-12), ressurreição literal (1 Cor 15), literal retorno de Cristo com seus santos (1 Tes. 3:13, 4:14), reino literal (2 Tim. 4:1), literal cumprimento de promessas de Israel (Rom. 11:25-27). 



 

QUE TAL A APLICAÇÃO E O USO DEVOCIONAL DAS ESCRITURAS?

"O método de interpretação literal está interessado na interpretação, não na aplicação. Aplicações são justas em relação à Bíblia, quando elas são baseadas em [apóiam-se sobre] o que tem sido interpretado literalmente. É errado basear interpretações da Bíblia em [apoiadas sobre] aplicações, pois isto terminará em caos. ... O intérprete literal, ao insistir no sentido literal da Escritura, não implica que a Bíblia não têm profundidade ou riquezas latentes. A Palavra de Deus contém verdades, princípios e aplicações que todo e cada intérprete deve compreender. Alguns destas [verdades, princípios e aplicações] são latentes, introspectivos e escondidos; outros estão patentes, externos, e óbvios. ... A correlação entre o simples [literal, óbvio, fácil de ser entendido imediatamente e por todos] e o profundo [nem o tempo infinito pode esgotar a profundidade], na Palavra de Deus, é maravilhosa de se contemplar. Mas isto não permite nem uma abordagem mística, nem uma busca forçada por algum sentido espiritual ‘super-turbinadamente espiritual.’ [privilégio de alguns poucos 'iluminados', de quem devemos depender e confiar]. Não há nada secreto e clandestino [escondido] sobre o cristianismo. A abordagem correta à Palavra de Deus é o de reverentemente se aceitar o que ela diz e, baseando-se sobre isto, fazer aplicações para a vida." (Paul Tan, p. 31). 

Por exemplo, nós interpretamos as profecias sobre o retorno de Cristo literalmente como pertencente ao futuro, e as profecias das bênçãos do Senhor sobre Israel como eventos literais do futuro, mas nós também obtemos aplicação espiritual daquelas profecias para a nossa vida cristã, hoje. Um exemplo é Isaías 59:18-21. 

“18 Conforme forem as obras deles, assim será a sua retribuição, furor aos seus adversários, e recompensa aos seus inimigos; às ilhas dará ele a sua recompensa. 19 Então temerão o nome do SENHOR desde o poente, e a sua glória desde o nascente do sol; vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira. 20 E virá um Redentor a Sião e aos que em Jacó se converterem da transgressão, diz o SENHOR. 21 Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o SENHOR: o meu espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se desviarão da tua boca nem da boca da tua descendência, nem da boca da descendência da tua descendência, diz o SENHOR, desde agora e para todo o sempre.” (Is 59:18-21 ACF)

Esta passagem descreve a vinda do Senhor e o estabelecimento do Seu reino. O versículo 18 se refere ao julgamento dEle durante a Grande Tribulação; o versículo 19 se refere ao reino mundial; os versículos 20-21 se referem à restauração de Israel e à Nova Aliança. Esta é a interpretação [a única apropriada, e que é literal]. Mas existem [também] [apoiadas sobre ela] muitas aplicações para os fiéis da época da igreja. Alguns destas são as seguintes:

Deus julga o pecado. 
O Senhor deve ser temido. 
Deus é o Deus de toda a terra. 
O Senhor protege o Seu povo contra os mais ferozes ataques do inimigo. 
O Senhor é o Redentor, o Salvador. 
Deus exige uma meia-volta, arrependimento. 
Deus oferece, hoje, um pacto de salvação através de Jesus Cristo. 
O Espírito de Deus abre os corações e as mentes dos homens para a verdade. 
A salvação é eterna.


Assim, vemos que existe uma interpretação literal e [, erigida depois e sobre ela,] existe uma aplicação. 


fonte : David Cloud, tradutora: Valdenira N.M. Silva, 2008, sollascritura-tt.org