Translate this Page

Rating: 3.0/5 (868 votos)



ONLINE
5




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

site 475389, site 442698, download book, free book, free book, this link, link, book download, site 513789, site 188921,

POESIA HEBRAICA עברית שירה
POESIA HEBRAICA עברית שירה

                         POESIA HEBRAICA עברית שירה

 

poeta - ri :

 

  1. HÁ POESIA NO ANTIGO TESTAMENTO ?

 

Poesia Definido:

 

  1. Em matéria, Betão e imaginativa

 

  1. No formulário, emocional e rítmica

 

  1. Negligência da poesia hebraica : CAUSAS

 

III. CARACTERÍSTICAS da poesia hebraica , Externa e interna

 

  1. Características externas ou formal

 

(1) Vocabulário

 

(2) Grammar

 

(3) Rhythm

 

(4) O paralelismo

 

(5) Outros Literary Devices

 

(6) Unidades de Hebrew Poetry

 

(7) Classificação de Stichs ou Verses

 

  1. internas ou material Características

 

(1) Temas de Hebrew Poetry

 

(2) Espécies da Hebrew Poetry

 

  1. ESCRITOS poética de ANTIGO TESTAMENTO

 

  1. Os livros poéticos no sentido estrito

 

  1. Divisão consuetudinário dos livros poéticos

 

  1. Poesia em livros de não-poéticas

 

LITERATURA

 

Por poesia hebraica no presente artigo destina-se a do Antigo Testamento. Não há praticamente nenhuma poesia no Novo Testamento, mas, no Antigo Testamento Apocrypha, Eclesiástico é em grande parte poética e sabedoria só menos. A poesia hebraica pós-bíblica não poderia ser discutido aqui.

 

  1. Há poesia no Velho Testamento?

 

Poesia Definido:

 

É impossível responder a esta pergunta sem antes de tudo, afirmando que a poesia é realmente. O presente escritor apresenta as seguintes como uma definição correta: "A poesia é verbal composição, imaginativa e concreto em questão, e emocional e rítmica em forma." Esta definição reconhece dois aspectos da poesia, o formal eo material.

 

  1. Em matéria de concreto e imaginativa

 

A substância da poesia deve ser concreto - é a filosofia que lida com o abstrato; e tem que ser o produto mais ou menos da imaginação criativa.

 

  1. Em Forma emocional e rítmica

 

É da essência da poesia que, como a música, ele deve ser expresso em rítmica mas não necessariamente na forma métrica. Além disso, a linguagem tem de ser tal que vai agitar as emoções estéticas. Adotando essa conta da poesia como uma crítica, pode-se afirmar que, sem hesitar, as Escrituras Hebraicas contêm uma quantidade considerável de poesia genuína; comparar os Salmos, Job, Cânticos, etc. É estranho mas é verdade que poética é mais velho do que a composição prosa escrita. Um exame da literatura dos antigos índios, babilônios, hebreus, gregos e árabes torna esta completamente certo.

 

  1. Negligência do hebraico Poesia: Causas.

 

Não obstante o fato indubitável que a poesia é amplamente representada na Bíblia, é de salientar que esta espécie de literatura Bíblia foi quase totalmente ignorado até o século 18. Talvez possamos atribuem este fato principalmente a duas causas: (1) Desde que a Bíblia foi considerado como o mais proeminente, se não exclusivamente, uma revelação da mente divina, a atenção foi fixada sobre o que ele continha, em detrimento da forma literária em que ele foi expressado. Na verdade, foi considerado incompatível com a sua função sublime, divino para olhar para ela como literatura de todo, uma vez que neste último o apelo é feito, pelo menos em grande medida, para o homem estético e, portanto, carnal. O objetivo contemplado por escritores bíblicos era prático - a comunicação do conhecimento religioso - não literária, e menos ainda artística. É, portanto, foi considerado incompatível com um propósito tão elevado que esses escritores deve perturbar-se sobre embelezamento literária ou língua bonita, desde que a sensação era clara e inequívoca. Foi com este espírito e animado por esta concepção de que em meados do século 19. Isaac Taylor de Ongar ( The Spirit of Hebrew Poetry , 1861,56 ff) e Keil de Tartu ( Introdução ao Antigo Testamento , 1881, I, 437) negou aprioristicamente a presença da poesia épica e dramática na Bíblia. Como, exclamaram: Deus poderia tolerar a escrita de ficção que é mentira - e o épico eo drama ter os dois? Matthew Arnold prestado inestimável serviço à causa da ciência bíblica, quando ele fulminou contra teólogos, judeus e cristãos, para fazer a Bíblia uma simples colecção de textos de prova, um arsenal de onde guerreiros religiosos pode obter armas com as quais a insistir sobre os adversários. "A linguagem da Bíblia é fluido ... e literária, não rígida, fixa, científica" (Prefácio à primeira edição de Literatura e Dogma ). A Bíblia contém literatura poética e prosa, igual como literatura para o melhor, como Matthew Arnold, Carlyle, e Froude (no trabalho), realizada. A negligência deste aspecto das Escrituras feita teólogos cegos à presença e, portanto, ignorantes do caráter da poesia Bíblia. (2) Outro fator que levou à negligência do elemento poético no Antigo Testamento é o fato indiscutível de que os poetas de hebraico bíblico eram menos consciente como poetas do que poetas ocidentais, e achei muito menos da forma externa em que se expressa. Poesia Bíblia não tem, portanto, como a adesão perto de regras formais como a que caracteriza a poesia grega, árabe ou Inglês. Os autores escreveram que eles sentiram e porque sentiram, e as suas emoções fortes ditou as formas suas palavras tomaram, e não quaisquer padrões objetivos criados pelas escolas. A poesia hebraica é destituída de metros em sentido estrito, e também da rima, embora esta última ocorre em alguns casos isolados (veja abaixo, III, 1, (4), 100 e E). Não é de admirar que os estudiosos ocidentais, faltando estas marcas da poesia que eles sabiam melhor, falhou por tanto tempo para notar a poesia que o Antigo Testamento contém.

 

III. Características do hebraico Poesia: externo e interno.

 

A definição de poesia aceite em I, acima, implica que há marcas pelas quais a poesia pode ser distinguido de prosa. Isto é igualmente verdade da poesia hebraica, embora este último não tem algumas das características da poesia das nações ocidentais.

 

  1. Características externas ou formais:

 

(1) Vocabulário.

 

Existem várias palavras hebraicas que ocorrem com mais frequência e em alguns casos exclusivamente em poesia. Na lista a seguir a palavra prosa correspondente é colocado entre parênteses: מלּה , millah "Palavra" (= דּבר , dābhār ); אנוש , "Enos , "Homem" (= אישׁ , 'ish ); ארח , "Orah "Caminho" (= דּרך , derekh ); חזה , ḥāzāh , "Ver" (= ראה , ra'ah ); as preposições אלי , 'ELE , "A", עדי , 'adhe , "Até", עלי , 'Ale , "Em cima", e מנּי , Minni , "De", em vez das formas mais curtas - אל , 'El , ער , 'adh , על , 'al , E מן , min . O pronome זוּ , zu , Raro em prosa, tem na poesia a dupla função de um demonstrativo e um pronome relativo em ambos os sexos. O negativo בּל , bal , É utilizado para לא , Lo ' . Para as preposições inseparáveis b , k , 50 ( "In", "como", "a") as formas separadas bemo , Kemo e Lemo estão empregados.

 

(2) Gramática.

 

(A) accidence:

 

Os sufixos pronominais têm formas peculiares em poesia. Para m , sou , em ( "Seu", "eles"), encontramos as formas mais longas MO , Amo , emo . Para a terminação do plural dos substantivos n ( dentro ) Toma o lugar do m ( Eu estou ), Como em aramaico (compare Jó 4: 2 ; Jó 00:11 ), e freqüentemente desinências obsoletos são preservadas, mas suas funções são totalmente perdido. Assim, temos o velho final nominativasō no Salmo 50:10 , etc .; a antiga desinência de genitivoEu em Isaías 1:21 e o acusativoaH no Salmo 3: 3 .

 

(B) Sintaxe:

 

O artigo, pronome relativo, singular acusativo 'eth e também o " waw -consecutive "são freqüentemente omitida por causa do ritmo Há vários exemplos do passado em. Salmo 112: 1-10 :. 12 ff O estado de construção que, por regra, imediatamente precede substantivos tem muitas vezes uma preposição depois que O jussivo às vezes. toma o lugar do indicativo, e o plural de substantivos ocorre para o singular.

 

(3) Rhythm.

 

Rhythm (de ῥυθμός , rhuthmós ) Na composição literária indica que a recorrência de sílabas acentuadas e não acentuadas em uma ordem regular que temos em poesia e prosa retórica. O homem é um animal rítmica; ele respira ritmicamente, e seu sangue circula - exterior e interior - ritmicamente. Pode ser devido a estes ritmos reflexos que os mais homens estão seduzidos pelo sentimento e menos pela reflexão e raciocínio, maior é a tendência para fazer coisas ritmicamente. O homem anda e dança e canta e poetizes pela repetição do que corresponde aos pés métricos: ação é seguida por reação. Encontramo-nos com uma espécie de ritmo na prosa elevada e apaixonado, como a de John Ruskin e outros escritores. Pregadores quando masterizado por seu tema inconscientemente expressar-se no que pode ser chamado de frases rítmicas. Embora, no entanto, o ritmo pode estar presente em prosa, é apenas pelos poetas como música, em que se repete em intervalos mais ou menos o mesmo. Na poesia iâmbico temos uma repetição de um curto e longo sílaba, como nas seguintes linhas:

 

"orelhas Com violadas

 

O monarca ouve,

 

Assume os deuses,

 

Afeta os acenos. "

 

- D Ryden.

 

(4) O paralelismo.

 

O que é chamado é um caso de ritmo lógico distinto de ritmo que é meramente verbal. Mas como este constitui uma característica tão importante da poesia da Bíblia, ele deve ser um pouco amplamente debatido. O que desde a época de Bishop Lowth foi chamado paralelismo pode ser descrito como o recorrente de frases simetricamente construídos, os vários membros que normalmente correspondem a um ao outro. Lowth (falecido em 1787), em seu trabalho epochmaking na poesia hebraica ( prelectiones De Sacra poesi Hebraeorum , tradução Inglês por G. Gregory), lida com o que ele (a seguir Jebb) chama Parallelismus membrorum (capítulo X). E esta foi a primeira tentativa séria para expor o assunto, embora Rabi Asariah (Idade Média), Ibn Ezra (falecido em 1167 AD), D. Kimchi (falecido em 1232) e A. de Rossi (1514-1578) chamou a atenção para isso. Christian Schoettgen (falecido em 1751) (ver Horae Hebraicae et Talmudicae ) antecipou muito do que Lowth tem escrito sobre a natureza, função e valor do paralelismo. O primeiro a usar a palavra em si, no sentido técnico foi Jebb (Sagrada Lit., 1820). Para a mesma coisa Ewald usou a expressão Sinnrhythmus , ou seja, o ritmo sentido, uma designação não inadequado.

 

(A) Tipos de paralelismo:

 

Lowth distingue três espécies principais de paralelismo, que ele chamou sinônimo, antitético e sintéticos.

 

(I) O Sinônimo:

 

Neste a mesma coisa se ​​repete em diferentes palavras, por exemplo, Salmo 36: 5 :

 

'Senhor, (i.) tua benignidade (alcances) para os céus,

 

(Ii.) A tua fidelidade (chega) para as nuvens. "

 

Omitindo "Yahweh", que pertence igualmente a ambos os membros, ele será visto que o resto das duas semi-retas corresponde palavra por palavra: "a tua benignidade" correspondente a "tua fidelidade" e "para os céus" responder a " para as nuvens "(compare Salmo 15: 1 ; Salmo 24: 1-3 ; Salmo 25: 5 ; 1 Samuel 18: 7 ; Isaías 6: 4 ; Isaías 13: 7 ).

 

(II) Antitético Paralelismo:

 

Em que o segundo membro de uma linha (ou verso) dá o lado oposto do mesmo pensamento, por exemplo Pv 10: 1 :

 

"O filho sábio alegra seu pai,

 

Mas o filho insensato aflige sua mãe '

 

(Veja Provérbios 11: 3 ; Salmo 37: 9 ; compare Provérbios 10: 1 ff; Salmo 20: 8 ; Salmos 30: 6 ; Isaías 54: 7 e ss). Às vezes, há mais de dois elementos correspondentes dos dois membros do verso, como em Provérbios 29:27 ; compare Provérbios 10: 5 ; Provérbios 16: 9 ; Provérbios 27: 2 .

 

(III) Paralelismo sintético:

 

Chamado também construtiva e epithetic. Neste segundo membro acrescenta algo novo para o primeiro, ou então explica, por exemplo, o Salmo 19: 8 f:

 

"Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração;

 

Os mandamentos do Senhor são puro e ilumina os olhos.

 

O temor do Senhor é limpo, e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e inteiramente justos.

 

Mais desejáveis ​​são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino;

 

Mais doces do que o mel eo favo de mel '

 

(Ver Provérbios 1: 7 ; compare Provérbios 3: 5 , Provérbios 3: 7 ; Salmo 1: 3 ; Salmo 15: 4 ). Para além das três espécies principais de paralelismo notado acima, outras formas foram identificados e descritos.

 

(IV) introvertido Paralelismo:

 

(Jebb, Sacred Lit , 53.): Em que os hemistichs dos membros paralelas são chiastically arranjado, como no esquema ab ba . Assim, Provérbios 23:15 f:

 

( A ) "Filho meu, se o teu coração for sábio

 

( B ) O meu coração se alegrará, o meu próprio:

 

( B ) Sim, meus rins se alegrarão

 

( A ) Quando os teus lábios falarem coisas certas '

 

(Compare Provérbios 10: 4 , Provérbios 10:12 ; Provérbios 13:24 ; Provérbios 21:17 ; Sl 51: 3 ).

 

(V) Paralelismo Palilogical:

 

Em que uma ou mais palavras de o primeiro membro são repetidos como um eco, ou como a Canon na música, no segundo. Assim, Na 1: 2 :

 

'O Senhor é um Deus zeloso e vingador:

 

O Senhor é vingador e cheio de indignação;

 

O Senhor toma vingança contra os seus adversários,

 

E Ele a ira contra os seus inimigos '

 

(Compare Juízes 5: 3 , Juízes 5: 6 f, 11 f, 15 f, 23, 27; Salmo 72: 2 , Salmo 72:12 , Salmo 72:17 ; Sl 121: 1-8 ; Salmo 124: 1- 8 ; Salmo 126: 1-6 ; Isaías 2: 7 ; Isaías 24: 5 ; Oséias 6: 4 ).

 

(VI) climático ou Comprehensive Paralelismo:

 

Nesta segunda linha completa o primeiro. Assim, o Salmo 29: 1 :

 

"Dai ao Senhor, ó filhos dos poderosos queridos,

 

Dai ao Senhor glória e força "

 

(ver Êxodo 15: 6 ; Salmo 29: 8 ).

 

(VII) rítmica Paralelismo:

 

(De Wette, Franz Delitzsch): assim, Salmo 138: 4 :

 

"Todos os reis da terra te dê graças ...

 

Eles ouviram as palavras da tua boca. "

 

Ver Provérbios 15: 3 ; compare Provérbios 16: 7 , Provérbios 16:10 ; Provérbios 17:13 , Provérbios 17:15 ; Provérbios 19:20 ; Provérbios 21:23 , Provérbios 21:25 .

 

Paralelismo perfeito é aquela em que o número de palavras em cada linha é igual. Quando desigual, o paralelismo é chamado imperfeita. Ewald (ver Die poetischen Bucher des alten Bundes , I, 57-92; Die Dichter des alten Bundes , I, 91 ff, edição 2d da antiga) destinadas a dar uma lista completa das relações que podem ser expressas por paralelismo, e ele pensou que tinha conseguido. Mas, de facto, todo o tipo de relação que pode ser indicada em palavras pode ser expresso em duas ou mais linhas mais ou menos paralelas. Sobre a alegada paralelismo das estrofes veja abaixo.

 

(B) O paralelismo como uma ajuda para Exegese e Crítica Textual:

 

Se nas palavras de Lowth paralelismo implica que "em duas linhas ou membros das mesmas coisas de época para a maior parte deve responder às coisas, e as palavras de palavras," devemos esperar palavras obscuras ou desconhecidas para derivar alguma luz das palavras correspondentes a eles em membros paralelos ou cláusulas. Em não poucos casos que são ativadas por comparação de palavras para restaurar com confiança considerável uma leitura original se perdeu. A fórmula é de um modo geral como segue: ab: 110 . Nós sabemos o que a , b e 100 médio, mas são totalmente no escuro quanto ao sentido do 10 . O problema é descobrir quais 10 meios. Nós temos uma ilustração em juízes 5:28 , o qual pode ser, assim, traduzido literalmente:

 

"Através da janela, ela olhou,

 

E a mãe de Sísera 10 através do 10 ".

 

Aqui temos dois desconhecida, cada um, no entanto, correspondente às condições conhecidas. O verbo hebraico que acompanha "A mãe de Sísera" é ותּיבּב , watteyabbēbh , Inglês Versões da Bíblia "e ... chorei." Mas há tal verbo ( yābhabh ) É conhecido, para o Talmud, como habitualmente, se segue a interpretação tradicional. Queremos um verbo com um significado similar a "olhou". Se lermos יתּבּט , wattabbēṭ , Temos uma forma que pode ser facilmente corrompido para a palavra no texto Massoretic, o que dá uma sensação adequada e, além disso, conta com o apoio dos Targums de Onqelos e Jonathan, e até mesmo da Septuaginta (Codex Alexandrinus e Lucian). E sobre a outra palavra hebraica traduzida acima ( אשׁנב , 'eshnābh )? Isso ocorre em apenas uma outra passagem ( Provérbios 7: 6 ), onde se ergue como no presente passagem em paralelismo com חלּון ,Hallon"Janela" (provavelmente Provérbios 7: 6 é dependente). Ficamos com nenhuma ajuda de etimologia ou neste caso, a partir da VSS, Mas o paralelismo havia sugerido aos nossos tradutores o significado de "treliça", uma espécie de janela de Leste, e algo do tipo deve ser significava. O verboshānabh, "Ser legal", pode, eventualmente, sugerir "janela", a prestação ou seja, um buraco na parede para garantir a frescura na casa. janelas de vidro não existia na Palestina, e são raros mesmo agora. Há inúmeros outros exemplos no Antigo Testamento do uso de paralelismo na elucidação palavras que ocorrem apenas uma vez, ou que são de outra maneira difícil de entender, e frequentemente uma emenda textual é sugerido que é também suportada.

 

(C) Prevalência e valor de paralelismo:

 

Duas declarações paralelismo anent no Antigo Testamento pode ser feita com segurança: (i) Que não é uma característica de toda a poesia do Antigo Testamento. Lowth que tinha muito a ver com a sua descoberta deu-se naturalmente um lugar exagerada em seu esquema da poesia hebraica, mas está faltando na maior parte da poesia do Antigo Testamento, e é freqüentemente se encontrou com em prosa elevada e retórica . (ii) que permeia outra poesia do que a do Antigo Testamento. Ela ocorre na Assíria (ver A. Jeremias, Die bab-assyr. Vorstellung vom Leben nach dem Tode ), no Egito (Georg Ebers, Nord u. Sud , I), em finlandês, alemão e Inglês fato, A. Wuttke ( Der deutsche Volks-Aberglaube der Gegenwart , 1869,157) e Eduard Norden ( Die antike Kunstprosa , 1898, II, 813) sustentam que o paralelismo é a forma mais primitiva da poesia de todas as nações. Todavia, é necessário admitir que em paralelismo do Antigo Testamento tem em proporção um lugar maior do que em qualquer outra literatura e que a correspondência das partes das stichs ou versos é mais perto.

 

(5) Outros dispositivos literários.

 

poesia Antigo Testamento tem recursos adicionais que partilha com outra oriental e com a poesia ocidental. Devido à falta de espaço estes podem ser pouco mais que enumerado.

 

(A) Alliteration:

 

Por exemplo, "Voltas e voltas as rochas escarpadas." Temos bons exemplos no hebraico do Salmo 6: 8 e 27:17.

 

(B) Assonance:

 

Por exemplo, "seamy sonhador" (ver, por exemplos bíblicos do hebraico de Gênesis 49:17 ; Êxodo 14:14 ; Deuteronômio 3: 2 ).

 

(C) Rhyme:

 

Há tão poucos exemplos deste nas Escrituras Hebraicas que ninguém pode considerá-lo como um recurso na poesia hebraica, que em árabe e até mesmo na poesia pós-bíblico hebraico que desempenha um grande papel. Temos exemplos bíblicos no texto hebraico de Gênesis 04:23 ; Jó 10: 8-11 ; Job 16:12 .

 

(d) Acrostics:

 

Em alguns poemas do Antigo Testamento meia-versos, versos, ou grupos de versos começam com as letras sucessivas do alfabeto hebraico. Nós temos tais acrósticos alfabéticos no Salmo 9 f; 34; 37; Provérbios 31:10 ff; Lam 1 a 4; comparar Lam 5, onde o número de versos de que concorda com o alfabeto hebraico, embora as letras do alfabeto que não introduzam os versos.

 

(E) Meter:

 

A vista para o presente escritor pode ser demonstrada como segue: Que a poesia do hebraico não está na métrica sentido estrito, embora os escritores sob a influência de uma forte emoção expressar-se ritmicamente, produzindo muitas vezes os fenômenos que veio mais tarde a ser codificada sob regras métricas. Pensar e raciocinar e falar precedida psicologia, lógica e gramática, e da mesma forma poesia precedida prosódia. No Antigo Testamento, estamos na região da verdade, não da lei. Poetas escreveram sob forte impulso, geralmente religiosa, e sem reconhecer qualquer padrão objetivo, apesar de todo o tempo que eles estavam fornecendo dados para as regras da prosódia. Aqueles que pensam que os poetas do Velho Testamento tinham em suas mentes normas objectivas de medidor tem que fazer inúmeras mudanças no texto. Em vez de basear sua teoria sobre o material original, eles trazem a sua teoria a priori e altere o texto para adequá-lo. Pode ser sem medo, disse que não há um único poema no Antigo Testamento com o mesmo número de sílabas, ou pés, ou acentos nos vários stichs ou hemistichs, a menos que introduzir mudanças violentas no texto Massoretic, como seria se ressentia na literatura antiga clássica e outros. É importante, antes de chegar a qualquer conclusão definitiva, levar em consideração o fato de que a poesia do Antigo Testamento pertence a períodos separados por muitos séculos, da canção de Deborah ( Juízes 5 ), o mais antigo poema em hebraico, até o últimos hinos do Saltério. Nos mais antigos espécimes de poesia hebraica há uma simplicidade ingênua que exclui a idéia do artigo consciente Na mais recente do poeta é muito mais consciente, e sua poesia mais artístico. Seria manifestamente injusto para propor uma teoria da poesia baseada na poesia de Keats e Tennyson e aplicá-la para as produções de Anglo-Saxon and Old Inglês poesia. Ligada ao um volume chamado Bíblia há uma literatura diferindo amplamente em idade, mirar e autoria, e é preciso cuidado na educing uma concepção de Heb poesia que será aplicado a todos os exemplos no Antigo Testamento. O salmo-acróstico mais tarde, etc., muitas delas composta de pedaços de outros salmos, parecem ter surgido a partir de um esforço mais consciente de imitação. Se, no entanto, não estavam entre os antigos hebreus, como houve entre os antigos gregos, um código de prosódia, é estranho que a Mishna e gemara ' deve ser totalmente omissa sobre ele. E se alguém sistema subjacente à nossa Bíblia hebraica, é estranho que tantos sistemas têm sido propostos. Deve-se lembrar também que a poesia mais antiga de todas as pessoas é nonmetrical.

 

O que se segue é uma breve exposição dos pontos de vista defendidos:

 

(I) Philo e Josephus, sob a influência de modelos gregos e querendo mostrar que o hebraico não foi inferior à literatura pagã, ensinou que o hebraico poesia teve metro, mas eles não fazem nenhuma tentativa de mostrar que tipo de medidor essa poesia possui.

 

(Ii) Calmet, Lowth e Carpzov considerou que embora na poesia da Bíblia hebraica como originalmente escrito e lido deve ter havido regras métricas que os autores estavam conscientes de seguir, ainda, através da corrupção do texto e nossa ignorância os sons e acentuação do hebraico primitivo, agora é impossível verificar o que essas regras métricas eram.

 

(Iii) No seu esquema do hebraico metros Bickell e Merx contar sílabas como é feito na poesia clássica, e estão usando a lei siríaca de acentuação, colocando o tom no penúltimo. Estes escritores fazer mudanças drásticas no texto, a fim de reforçar as suas teorias.

 

(iv) A dominante e, de longe, a teoria menos censurável é defendida pela Ley, Briggs, Duhm, Buhl, Grimme, Sievers, Rothstein e a maioria dos estudiosos modernos, que na prosódia Hebrew as sílabas acentuadas foram sozinha contados. Se este princípio for aplicado a Jó, ele será encontrado que a maioria dos versículos bíblicos são dísticos com dois stichs, cada um com três acentos principais. Veja-se, para uma ilustração, Job 00:16 : וּמשׁגּה שׁגג לו : ותוּשׂיּה עמּו ( 'Immo ' 'oz wethūshı̄yah : LO shōghégh umashgeh: 'Força e eficaz operação pertencem a (literalmente, "está com"), ele que erra e ele que faz com que a errar'). Instintos rítmicos do homem são suficientes para explicar esse fenômeno, sem assumir que o poeta tinha em mente um padrão objetivo. Aqueles que adotam esta última visão e aplicá-la rigidamente fazer inúmeras alterações textuais. Para um exame dos sistemas métricos de Hubert Grimme, que tem em conta a quantidade, bem como acento, e de Eduard Sievers que, apesar de nenhum estudioso hebreu, chegou à conclusão após examinar pequenas partes da Bíblia hebraica que a poesia hebraica é normalmente anapaestic , consulte WH Cobb, Crítica de Sistemas de Hebrew Metre , 152 ff, 169 ff. Herder, De Wette, Hupfeld, Keil, Nowack, Budde, Doller, e Toy rejeitar todos os sistemas de metro hebraico até então propostos, embora Budde tem uma inclinação para o sistema de Ley.

 

(F) do Budde Qinah Medida:

 

Embora Budde ocupa em uma posição geral negativa em relação a meter hebraico, ele defende veementemente a existência de um metro específica com que seu nome está associado. Isto é o que ele chama de a medida qinah (de קינה , Ḳinah , "Uma lamentação"). Neste cada Stich é dito que consistem de um hemistíquio com três batidas ou sílabas de stress e outra com dois tais sílabas, sendo isto tomado como sendo o medidor específico do canto fúnebre (ver Lam 1: 1 , etc.). Ley e Briggs chamam de "pentameter" porque é composto de cinco (3 plus 2) pés (um pé na prosódia hebraico sendo igual a uma sílaba acentuada e as sílabas acentuadas combinadas com ele). Veja tratamento completo do assunto em Budde do ZATW , 60, 152, "Das Heb. Klagelied." Deve, no entanto, ter em mente que, mesmo Herder (falecido em 1803) descreve o uso em elegias do que ele chama, antecipando Ley e Briggs, o "pentameter" (ver Geist der ebraischen Poesie , 1782, I, 32 f, Inglês tradução. O Espírito do hebraico poesia , 1833, I, 40). Mas o presente escritor apresenta as seguintes críticas: (i) Budde é inconsistente em rejeitar todas as teorias existentes de metros e ainda em manter uma própria, o que é muito, mas faz parte do sistema defendido por Bellermann, Ley e Briggs. (ii) Ele diz que, na sequência de Herder, que é a medida adoptada pelo luto mulheres ( Jeremias 09:16 ), mas temos muito poucos exemplos deste último, e sua declaração carece de prova. (iii) Há dirges no Antigo Testamento não expressos naḲinah a medida. Lamento de Davi sobre Saul e Jonathan é mais hexametric e tetrametric que pentametric, a menos que continuar a fazer um novo texto ( 2 Samuel 1:19 ff). (iv) O Ḳinah medida é empregado por poetas hebreus, onde o tema é alegre ou indiferente; veja Sl 119, que é um poema didático.

 

(6) Unidades do hebraico poesia.

 

Na poesia ocidental a unidade final é normalmente a sílaba, o pé (que consiste em, pelo menos, duas sílabas) vindo em seguida. Então nós temos a linha verso coroado pela estrofe, e finalmente o poema.

 

De acordo com a teoria da poesia hebraica adoptada pelo presente escritor, são as seguintes as unidades, começando com o mais simples:

 

(A) O Meter:

 

Este abrange a sílaba acentuada (tom), juntamente com a sílaba átona precedente ou posterior lo. Isto pode ser chamado um "pé rítmico."

 

(B) O Stich ou Verso:

 

Em Jó e menos regularmente em Salmos e Cânticos e em outras partes do Velho Testamento ( Números 23: 19-24 ) o stich ou verso consiste geralmente de três sílabas tonificados e, portanto, três metros (veja acima sentido de "meter"). É importante "para distinguir entre este sentido poético da" verso "e o sentido comum - a subdivisão de um capítulo da Bíblia. O stich nesse sentido aparece em uma linha separada em alguns manuscritos antigos.

 

(c) Combinações de Stichs (versos):

 

Em poesia hebraica um Stich quase nunca está sozinho. Temos praticamente sempre um dístico (dístico, Job 18: 5 ), um tristich (tripleto, Números 6: 24-26 ), um tetrástico ( Gênesis 24:23 ), ou o pentastich.

 

(D) Strophe:

 

Kosters ( Stud. Krit ., 1831,40-114, "Die Strophen", etc.) sustentou que todos os poemas nas Escrituras Hebraicas são naturalmente dividido em estrofes (estrofes) de semelhante, se não igual, o comprimento. Assim Salmo 119 é organizado em estrofes nomeados após as letras do alfabeto hebraico, cada um contendo oito versículos bíblicos, ou dezesseis versos métricos ou stichs, a maioria dos stichs com três metros ou pés rítmicos. Mas, apesar de vários poemas bíblicos são compostas em estrofes, não são muitos.

 

(E) Song:

 

Este ( שׁירה , Shirah ) É constituído por uma série de versos e, em alguns casos de strophes.

 

(F) Poema:

 

Temos exemplos disso ( שׁיר , prega ) Nos livros de Jó e Cânticos que consistem em uma combinação da música.

 

(7) Classificação de Stichs ou versos.

 

Stichs podem ser dispostos como se segue, de acordo com o número de metros (ou pés) que contêm: ( a ) o trímetro ou tripé com três metros ou pés; Bickell sustenta que em Jó esta medida está sozinho usado; ( B ) o tetrameter ou tetrápode, um Stich com quatro metros ou pés; ( 100 ) o pentameter ou pentapod, que tem cinco metros ou pés: este é Budde de Ḳinah medida (ver III, 1, (4)); ( D ) o hexameter ou hexapod: consiste de seis metros ou pés, e muitas vezes é difícil de distinguir de duas trimeters distintas (ou tripés).

 

  1. internas ou material Características:

 

Nossa primeira e mais original autoridade sobre as características internas de poesia hebraica é que grande teólogo alemão e homem de letras, JG Herder, o pastor e amigo de Goethe e Schiller em Weimar. Em seu Vom Geist der ebraischen Poesie de 1782 ( O Espírito da Poesia , traduzido por James Marsh, EUA, 1833), ele discute longamente e com grande frescura dos aspectos internos da poesia do Antigo Testamento (amor à natureza, folclore, etc.) que lhe impressionou como um literato. Pode ser feita referência também para George Gilfillian Bardos da Bíblia , 1851 (popular), e de Isaac Taylor Spirit of Hebrew Poetry . É um estranho, mas marcante e significativa coincidência que nenhum desses escritores professada muito se qualquer conhecimento da língua hebraica. Eles estudaram a poesia do Antigo Testamento, principalmente, pelo menos em traduções, e não foram, portanto, desviados dos aspectos literários e lógicas do que é escrito pelo minúcias da gramática hebraica e crítica textual, embora apenas um estudioso hebraico é capaz de entrar em plena posse dos preciosos tesouros de poesia hebraica.

 

(1) Temas do hebraico poesia.

 

Costuma-se dizer que a poesia dos antigos hebreus é totalmente religiosa. Mas esta afirmação não é estritamente correto. ( A ) O Antigo Testamento não contém toda a poesia composta ou mesmo escrito pelos hebreus nos tempos bíblicos, mas apenas como os padres nos vários santuários preservados. Nós não sabemos de uma casta literária entre os hebreus que se preocupados com a preservação da literatura como tal. ( B ) No âmbito da Canon própria Bíblia há numerosos poemas ou fragmentos de poemas que refletem a vida cotidiana das pessoas. Temos canções de amor (cânticos), uma canção de casamento ( Salmo 45 ), uma canção da colheita ( Salmo 65: 1-13 ), peças de cantigas cantadas ao descobrir um novo poço ( Números 21:17 f), após beber vinho, e há referências a canções de guerra ( Números 21:14 ; Joshua 10:13 ; 2 Samuel 1:18 ).

 

(2) Espécies da Hebrew Poetry.

 

Poesia bíblica podem ser incluídos nas seguintes cabeças: ( a ) folclore, ( b ) profético, ( 100 ) especulativa, ( d ) lírico.

 

(A) Folclore:

 

"Poesia", disse JG Hamann (falecido em 1788), "é a língua materna da raça humana." Em ambos folk-music e folk-poesia, cada um o mais velho de sua classe, a inspiração é imediato e espontâneo. Temos exemplos de folk-canções em Gênesis 11: 1-9 ; Gn 19:24 f.

 

(B) Profético Poesia:

 

Esta poesia é a expressão da inspiração com que o vidente escreveu. Pode-se comparar os pronunciamentos oraculares de adivinhos que são, invariavelmente, em forma poética, bem como na matéria. Mas é preciso ter em mente que o adivinho pagão alegou ter suas mensagens de gênios ou outros espíritos, e os meios que ele empregou eram, via de regra presságios de vários tipos. O profeta do Antigo Testamento professou a falar como ele foi imediatamente inspirados por Deus (cf.ADIVINHAÇÃO, VIII). Duhm pensa que as profecias genuínas de Jeremias são totalmente poética, sendo interpolações as partes em prosa. Mas o profeta não é apenas ou principalmente, um poeta, embora não se pode duvidar que uma proporção muito grande das profecias do Antigo Testamento estão em forma poética e substância.

 

(C) Philosophical Poesia:

 

Esta expressão pretende incluir tais poesia como é encontrado na literatura sapiencial do Antigo Testamento e os livros apócrifos (veja literatura de sabedoria). O chamado poesia didática, a dos provérbios ou parábolas ( משׁל , Mashal ), Também vem aqui.

 

(D) poesia lírico:

 

Isso inclui os hinos do Saltério, as canções de amor dos Cânticos e as muitas outras letras encontradas nos escritos históricos e proféticos. Nestes letras todas as emoções da alma humana são expressas.

 

O Antigo Testamento contém amostras de épico e poesia dramática?

 

A resposta deve depender de qual definição de ambos é adotada.

 

(A) poesia épico:

 

O presente escritor definiria um poema épico como um romance com seu enredo e desenvolvimento cobrado, no entanto, com a paixão e partiu na forma rítmica da poesia. Não há nenhuma parte do Antigo Testamento que satisfaz os requisitos da presente definição, certamente não a Criação, Queda e histórias de Dilúvio, que De Wette ( Beitrage , 228 ff, Einleitung, 147) e RG Moulton ( estudo literário da Bíblia , capítulo ix) apontar como verdadeiras epopeias e que Ewald ( Dichter des alten Bundes , I, 87 e ss), realizada justamente para ter neles o material de épicos, embora não a forma.

 

(B) A poesia dramática:

 

Definindo poesia dramática como a que pode ser atendido em um palco, uma Maio com confiança dizer que não há nenhum exemplo disso no Antigo Testamento. Mesmo o drama literário deve ter as características gerais do que é actable. Franz Delitzsch e outros escritores têm apontado para trabalho e cânticos poemas tão dramático, mas a definição adotada acima exclui ambos.

 

  1. Escritos poéticos do Antigo Testamento.

 

  1. Os livros poéticos no sentido estrito:

 

De acordo com o Massoretes ou editores da nossa Bíblia hebraica Actualmente, existem apenas três livros poéticos do Antigo Testamento, Job, Provérbios e Salmos, conhecido nos círculos judaicos pela sigla mnemônica אמת , 'Emeth , As três consoantes que formam as letras iniciais dos nomes hebraicos dos livros acima. Estes três livros foram fornecidos pela Massoretes com um sistema especial de acentos conhecidos como os acentos poéticos, e que envolve um método de entoando na sinagoga diferente da que se seguiu quando os livros de prosa são lidos. Mas essas marcas acentuais não pode ser rastreada mais para trás do que o século 7º ou 8º da nossa era.

 

  1. Divisão consuetudinário dos livros poéticos:

 

Costuma-se dividir os livros poéticos do Antigo Testamento em duas classes, cada um contendo três livros: (1) os que contêm poesia lírica ( שׁיר , prega , Ou שׁירה , Shirah ), Ou seja, Salmos, Cânticos, Lamentações; (2) os que contêm para a poesia didática maior parte ( משׁל , Mashal ), Ou seja, Job, Provérbios, Eclesiastes.

 

  1. Poesia em livros de não-poéticos:

 

Há uma grande quantidade de poesia no Antigo Testamento fora dos livros geralmente classificados como poética: ( a ) a poesia nos livros proféticos (ver acima, III, 2); ( B ) a poesia nos livros históricos, incluindo o Pentateuco (ver Michael Heilprin, A poesia histórica dos hebreus , 2 volumes, 1879-80). Temos exemplos em Gênesis 4:23 f; 49; Ex 15; Números 21:14 de f, 27-30 (JE); Nu 23 f (canções de Balaão); Dt 32 f (canção e bênção de Moisés); Joshua 10: 12-14 (JE); Juízes 5 (Canção de Deborah); Judges 9: 8-15 ; 1 Samuel 2: 1-10 ; 2 Sam 1; 2 Samuel 3:33 f; 2 Sam 23 (= Ps 18), etc.

 

Literatura.

 

Os livros mais importantes e artigos sobre o assunto foram mencionados durante o curso do artigo anterior. Há uma lista completa de trabalhos que lidam com medidor Hebraica de WH Cobb, Crítica de Sistemas de Hebrew Metre , 19 ff. A primeira edição do valioso "Ensaio sobre Hebrew Poetry" de Ewald ainda prefixado ao seu comentário sobre os Salmos foi publicado em Inglês no Journal of Literature Sagrado (1848), 74 ff, 295 ff. Em 1909 JW Rothstein emitido um tratado sugestiva sobre o ritmo hebraico ( Grundzüge des Heb. Rhythmus ... nebst lyrischen Texten mit kritischem Kommentar , 8vo mais 6 mais 398), revisto pelo presente autor no comentário de Teologia e Filosofia (Edimburgo), Outubro de 1911. no início poesia religiosa dos hebreus por EG king (Cambridge University Press) contém uma boa breve declaração,, popular do assunto, embora ele não faz nenhuma pretensão de originalidade. Em Os Poetas do Antigo Testamento , 1912, Professor AR Gordon dá um excelente relato popular da poesia e da literatura poética do Antigo Testamento.

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net