Translate this Page

Rating: 3.0/5 (920 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Subsidio CPAD juvenis musica 1 trim- 3/1/2016 n.1
Subsidio CPAD juvenis musica 1 trim- 3/1/2016 n.1

 

        

 

                                                       

 

 

CONTEUDO LIÇÕES JUVENIS

1- Música! Que som é esse?

2- Música para Deus a respeito? Ou sobre Deus?

3- Música secular – vamos conversar a respeito?

4- Louvor e adoração – é a mesma coisa?

5- Regras para um louvor nota 10

6- Eu, um levita?

7- Louvor e adoração:um dever de todos

8- Adoração X idolatria

9- Louvai ao Senhor! A lição dos Salmos

10- O cântico de Davi por perdão

11- O louvor de Davi

12- Louvor no Novo Testamento

13- Entendes o que cantas?

  

 

    SUBSIDIO JUVENIS ENTES   O QUE CANTAS?

                       Musica gospel profana

 

Profanação da música cristã;ou música gospel ;música sacra. 

   A música tem sido  frequentemente um ponto de controversia na vida da igreja evangélica ;talvez ;o assunto mais polemico dos ultimos 50 anos.Em um extremo ;há aqueles que dizem"as músicas que deveriam ser cantadas nas igrejas são as que compõem os salmos do antigo testamento ;e deveriam ser cantadas sem nenhuma acompanhamento musical ".No outro estremo ;há aqueles que declaram ser perfeitamente legitimo utilizar qualquer ti      po de música na adoração e no evangelismo -(rock;jazz;punk;cuntri;western;rap;ou qualquer outro tipo que "eletrize as pessoas".((nota.dan lucarini p.9) 

 

                        PROFANAÇÃO DAS LETRAS

 

  1°)Corrupção nas letras das canções:A letra via regra ;não tem Bíblia nem mensagem para a edificação.Também não tem métrica ;e a letra geralmente é péssima.

  2°)Corrupção na melodia da canção:Não tem sequencia melódica ;frase musical e tema músical.São identicas as melodias do mundo;sem nada de solene.

  3°)Ccorrupção  no andamento da canção:Andamento  é rapidez da execução dos sons na música.O andamento nessas músicas ;via regra ;não tem nada de espiritual ;nem solene;nem sacro.

  4°)Os autores dessas músicas :devem ser adeptos de um evangelismo falsificado ;frouxo que hoje surge por toda parte ;que fala "liberdade"quando eles mesmos são escravos como diz em  2°pedro 2.19.Esses autores fossem realmente cristãos ;vivendo no temor ;jamis fariam tantos desvios na música que produzem.

  5°)O efeito dessas músicas:São  espiritualmente negativas.Seu efeito é nulo.São músicas que cantadas;tocadas ;recitadas ;não elevam a alma a Deus ;não levam o povo a glorificar a Deus em verdade.(notas.rev.ensinador CPAD 2010).

 

                      AS ARMADILHAS DA MÚSICA

 

Joe Jordan declara"uma armadilha é uma cilada ;uma arapuca perigosa escondido.Agora vamos falar dos perigos escondidos na música ;mas que carece dos propósitos bíblicos ;então vejamos.

      1°)Quando chamamos uma música de cristã ;estamos dizendo que ela fala de cristo.Se a nossa musica fala de Cristo ;ela deveria honra-lo.O problema encontrado hoje em dia é que muito do que é está por ai com rótulo ;não tem nada a ver com Cristo;em sua adoração com caracteristica de música sacra;mas louvamos a Deus que há tambem muitos chamados ao ministério do louvor em tempo intregral e são atalaias nas mãos de DEUS e eles tem temor a Deus e o Senhor os tem abençado e estão evangelizando muitas pessoas e assim as pessoas tem sido alcançadas isso acontece principalmente nas igrejas pentecostais e nas Assembleia de Deus.

    2°)Joe Jordam ;declara"o comprotimento destroi o sistema  de valores.Muitas pessoas que se envolvem com atividades tremendamente destrutivas saturam a mente com música do tipo rock pesado e heave metal etc;ilustrando como música que pode corromper .Seŕa que não deveriamos de marcar uma area de proteção ao redor de qualquer coisa que se assemelhe á esse tipo de musica?Hoje dia muitos tem saturado suas mentes com extremos no que diz respeito ao rock evangelico e infelizmente não perceberam que estão corrompendo seus sistema de valores"(nota joe jordam.p...12)

    3°)Atualmente ;muito da música cristã contemporranea se constitui em ofensa a algumas pessoas e uma pedra de tropeço para uotars.Essa música duvidosas estão sendo levadas para dos dentro dos lares e das igrejas como adoração ;aceito até mesmo preferido.Vivemos em dias em que multidões afluem para concertos e festivais músicais .Netes festivais os artistas são vistos como estrelas (alguns deles como estrelas do rock pesado;heave metal) e não como servos de de Deus cujo unico desejo é glorifica-lo"(JOE JORDAM P.8).

  4°)Em tessalonissenses 5:22"afastem-se de toda foema do mal"analize as capas de muitos cds de música cristã contemporranea e voces descobrirá que tem poucoquissima diferença em relação ao mundo as de qualquer banda secular. 

      

                          A QUESTÃO DO ESTILO

                              Vale qualquer estilo?

 

 Em uma determinada revista editada no brasil a uns 2 anos trouxe uma matéria de destaque em um de seu artigos a seguinte afirmação;"A FORÇA DO SOM GOSPEL a música evangélica rompo as barreiras das igrejas e inova com grande variedades de estilos'.Essa determinada revista exibe fotos de bandas de rock;defendendo os profanos;homens com cabelos cumpridos igual as bandas de rock secular.Evite qualquer estilo ou preferencia que esteja associado como mal"abstende-se  de toda forma do mal"

 Hoje ;muitos crentes perferem não discutir este versiculo porque a sua alplicação exige que eles abandonem a predica mundanas das músicas profanas de estilos profanos.Contudo  os seus beneficios podem ser vistos por todos.Paulo se referiu não somente aos atos de maldades ;em si mesmos ;mas tambem a toda forma de mal;inclusive na musica.A palavra grega traduzida como forma traz consigo a ideia de uma aparencia ;uma moda ;ou um  formato;então este texto aplica-se a musica a respeito das profanos estilos.A bilbia exige abstinencia que devemos evitar o mal ou nos restrigirmos de ser tolerantes.(nota Dan lucarini ;confições de um ministro de louvor pp.77). prossegue lucarini em sua afirmação"Creio que o desejo de ter estilos da MCC nas igrejas procede diretamente da natureza mundana;o apostolo Pedro acresenta razão sensata para a abstinencia:Estes desejos guerreiam contra nossa alma ;devemos evitar as musicas profanas incluindo a aparencia delas mas tambem qualquer insinuação de musica imoral e profana."

 

 

          MUSICA PROFANA NA IGREJA(  JR 32..34  )

   

Um artigo do Pastor DAVID WINKERSON ele diz"Fiquei extremamente chocado quando presenciei vendo uma revista evangélica e vi uma foto de um grupo de rock "pesado"dizendo-se evangélico .Estavam vertidos com mesmo traje de roqueiros ;eu me lembro bem do horror que senti nas ruas daquela cidade quando dez deles caminhavam na minha direção vestidos de couro escuro ;com sintos repletos de tacha ;com bracheletes ;corentes;argolas de metal ;cabelo cumprido e de punk;e cara pintada.Tinham olhar agrssivo ;e expressão fisionomica vaga e maligna.Chegaram perto de mim como demonios rebelados ;avançaram sobre a calçada onde eu estava;abri caminho para  deixa-los passar ;mas eu estava certo que estava vendo demonios anadando em forma de homem homens"ESTA FOI A EZPERIENCIA DO PASTOR DAVID  WILKERSON DOS ESTADOS UNIDOS EM 1988".David Wilkerson prossegue sua experiencia"sento horror na minha alma quando vi a foto do grupo de rock pesado ;intitulando-se embaixador de Cristo  vestido do mesmo traje e cabelo   de punk ;mesma expressão de mundana ;cantando e tocando musica profana."

 

 

O BAIXO NIVEL DA MUSICA PROFANA EM NOME DA MUSICA GOSPEL. 

 

A até que ponto certas pessoas chegaram em nome do rock gospel.Musica rock pesado e punk em certas igrejas jr 51.51;onde esta a trombeta para ser tocada onde esta a sua reação?onde estão os pregadores  que bradam bem alto:"CHEGA ;A CASA DO SENHOR NÃO É LUGAR DE MUSICA PROFANA ".IS 3.18-24".porventura a casa Deus passou agora a ser lugar de preticas malignas companhada de música profanas de ball?;não podemos ser tolerantes em aplaudir essas musicas profanas.VAMOS PRETESTAR contra estes falsos profetas da música que estão enganando tanta gente?mt 24.4-5.OS TAIS DIZEM QUE SÃO DE CRISTO mas o evangelho que eles pregam é outro evangelho e o Jesus deles é diferente ;eles estão transtornando o evangelho gl.6-7 ;as musica profana esta por ai  david.wilkinson 1988). 

 

                         PROFANADORES DO ALTAR

  

O rock pesado punk;está claramente ligado a certas atividades mas;quem são estes grupos de rock 'pesado'e 'punk'que estão se apresentando nas igrejas em nome de JESUS?quem são estes roqueiros e inovadores dentro da casa de Deus?São profanos do altar de Senhor.No antigo testamento ha um caso terrivel de profanação que deve produzir temor de DEU Sem todos os que se ajuntam aos tais ( 2rs16.7;10;11) conforme a passagem de 2 reis ;que que é isto ?um altar diferente ;inovador ;copiado dos idolos da assiria e introduzido na casa de Deus em certos lugares?Em 2 reis 16.14 ;é incrivel que os sacerdotes permitiram isso ;eles aderiram a conspiração contra a casa de Deus ;nenhum deles levantou sua voz para pretestar  contra a voz contra a profanação que ocorria (d.wilkinson 1988).

 

 

              O PLANO DO MALIGNO DE CORROMPER

     

 Musica tipo rock pesado na igreja é o plano calculado do inimigo para corromper  o louvor a Deus todo poderoso.O inimigo está por traz deste tipo de louvor"que quer que lhe seja prestado louvores .ELE ira planejar muitas cisas para corromper o verdadeiro louvor ao Senhor .DEUS não recebe qualquer louvor ;;nem tal rock/punk/;DEUS repele que não procede do ESPIRITO SANTO.O que DEUS levante mais pregadores cheios de zelo pela santidade divina para mostrar o erro destes inovadores e remover de certas denominações com estilos profanos".                              

É de pasmar o grande numero de jovens crentes ;inclusive determinados pastores jovens que estão dominados pala música de rock.Então presos ao idolo do rock;então os pais e pastores devem alestar seu rebanho a respeito da musica profana prinpalmente os aolecentes que foram criados na igreja.

 

 

             DEUS NÃO ACEITA SACRIFICIO IMPURO

                   2CRÔNICAS 7.12;EFÉSIOS 4.29

 

Os roqueiros que dizem evangélicos costumam ter em suas apresentações um ou mais realmente sacros ;mas o restante é a violencia;selvageria é loucura da musica rock.Certos roqueiros chegam a dizer "eu mesmo não gosto de rock;mas a juventude gosta ;então eu toco rock para chamar atensão deles".Eos ortodóxos?por outro lado crentes ortodóxos dizem"satanas não tem poder sobre música ;ela pertence  a DEUS;a musica em si não importa contanto que a letra seja boa"totalmente  errado ;satanas é quem controla toda música impura ;impia;mundana .Quando o inimigo tentou a JESUS usou linguagem correta (aparantemente para aquele momento.este tal rock evangélico usa letra mista em que entram termos sagrados ao lado de termos enganosos.Ao tentar as pessoas ;o inimigo sempre usa palavras apropriadas misturadas com textos bíblicos.Ele vem como anjo de luz para poder enganar .Musica mundana na igreja foi concebida por um espirito enganador e continua a ser apresentada pelo mesmo espirito mau que deu origem ao espirito do anticristo-d.wilkilson 1988).

 

                        AS DIVISÕES NAS IGREJAS

 

 Nas igrejas que fazem mudanças da musica tradicional para a contemporranea ;geralmente existem um grupo de tradicionais que se ofende com isso.Os lideres acreditam realmente que DEU  esta procurando fazer algo especial por meio do uso de estilos musicais preferido por eles .Eles são influenciados pelos seminários de (L.A)e adquirem uma visão para fazerem uma mudança afirma o músico americano dan lucarini pp.70).

  

                         EMPURRADOS PARA FORA

 

Não e de se admirar o fato que alguns membros antigos sentem que devem sair da igreja que ;em alguma casos ;eles ajudaram a construção da igreja ou iniciar;devido escolhas musicais ofensivas ;são culpados pela divisão de igrejas.Muitos tradicionais tem sentido que as portas de sua igreja os empurram para fora.Ninguem tem ordem biblica de enxotar os crentes ;para facilitar a entrada da música contemporranea cristã e de qualquer novo estilo ou modismo musical(dan lucarini pp.73).

 

 

  LUTERO E OS WESLEY NÃO USARAM MÚSICA CONTEMPORRANEA NA IGREJA? 

    Esta na hora de desmacarar este argumento pequeno e ilusório do MCC;dizem que lutero e chales weslei adataram algumas de suas poesias melodias populares incluindo melodias cantadad em bares .ASSIM O MCCS ARGUMENTA QUE AS IGREJAS MODERNAS DEVA ADERIR E ACEITAR EM SEUS REPERTÓRIOS MUSICA CONTEMPORRANEA" .Em seus cultos ;afinal de contas se foi muito bom para alutero e weslei ;deve ser bom paranos tambem.

 

 DESMASCARANDO A MENTIRA QUE FALARAM DE LUTERO.

 

Um pesquisador por nome macujina em sua minuciosa descoberta sobre lutero "lutero tomou a melodia inteiramente de somente uma canção popular ;eu venho de um pais estranho";e utilizou em seu hino"eu venho a ti";do ceu;nas alturas".Esse hino apareceu pela primeira vez vez em 1535.Porem quatro anos mais tarde á melodia da canção popular foi trocada por uma melodia "original";composta por Lutero .A melodia secular não;reaparece até após ;morte de Lutero.Ouso desta canção em lugares mundano mancharia o texto sagrado e traria associação mundana inapropiada a adoração ;por isso Lutero a substituiu.

 

 

 DESMASCARANDO A MENTIRA QUE FALARAM DE WESLEI    

Em exemplo dos Wesley contribuiu mais para o aniquilamento do que para o fortalecimento da posição da MCC.John Wesley o irmão de Charles que escolha de hinos de seu irmão a serem cantados na igreja que tem de ser reconhecido com o co-responssavel por todos o sucesso da revolução hinológica wesleyana estava bem distante dos músicos amoralistas de hoje.Como DARSEY insiste "é evidente que wesley era criticamente seletivo á respeito das músicas que utilizava na adoração ;e,ao contrario da noção popular de nossos dias ;ele não pensaria em invadir os bares indiscriminadamente á procura de melodias para os hinos(NOTAS jhon makujina ,measurging the music pp.192,193,2001,202).                  

                Desejo nesta conclusão citar as palavras de Joe Jordam '"ACABAMOS DE OLHAR RAPIDAMENTE O PROPÓSITO AS ARMADILHAS E OS PRINCÍPIOS PARA A MÚSICA O ALVO DESTE ESTUDO FOI SER JUSTO ,EMBORA COMPLETAMENTE BÍBLICO EM NOSSA ABORDAGEM RELATIVAMENTE A MÚSICA.ESPERO QUE A MEDIDA QUE CONSIDERAR ESTAS PALAVRAS ,VOCÊ O FAÇA  COM SEU CORAÇÃO E SUA VIDA PERMITINDO QUE O ESPIRITO DE DEUS ORIENTE O SEU ENTENDIMENTO ,PARA GLORIA DO SENHOR. 

NOTA ESCLARECEDORA DO PASTOR MISAEL PASSOS DO PARANA DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM CURITIBA."Não podemos permitir que nossa música se misture com a musica profana ,e temos que buscar o sentido de uma música perfeita ,pura,plena,completa.Paulo nos aconselha ef 4.19.A música é palavra cantada ,com maior força de memorização e o texto acima pode ser levado ao pé da letra .Torpe é sinonimo de indecente ,imundo,nojento,desonesto ,vergonhoso ,sujo.Hinos jamis podem se achar em qualquer um destes qualificativos.Que maravilha seria se selecionávamos sempre todos os hinos que fossem BONS PARA EDIFICAÇÃO?Quanto  tempo deixaria de ser jogado fora em nossos cultos?CONFORME A NESSECIDADE de quem?Do grupo ou cantor que quer se apresentar de qualquer forma?Do obreiro que não tem uma boa menssagem ,ou não progamou o seu culto ,e o jeito é "preencher espaços"para o tempo passar?Devemos nos programar  ,para depois nos sujeitarmos ao ESPIRITO SANTO , para que ele opere e tome as redeas do progama ,se necessario .Levar tudo no improviso ,e dizer que dirige tambem." 

 

  CARACTERISTICA DA IGREJA DE LAODICÉIA APOC  CAP 3.

               COMENTÁRIO MISAEL PASSSOS .

 

  Nunca vivemos em dias tão tambem parecidos com a igreja de laodicéia,descrita em apoc 3.Nossa música está repleta de recursos ,e parece que já temos de tudo.Mas e menssagem de exortação para nós contudente "ACONSELHO-TE QUE DE MIM COMPRES OURO REFINADO PELO FOGO PARA TE ENRIQUECER ,VESTIDURAS BRANCAS PARA TE VESTIRES,E COLIRIO PARA UNGIRES OS  TEUS OLHOS ,A FIM DE QUE VEJAS"A musica  sacra vale como ouro,por isso sempre que começo a trabalhar arranjos diz Misael Passos ,me curvo perante  DEUS E PEÇO :SENHOR,MANDA ALGUMA COISA BOA DO CÉU PARA ALEGRAR A NOSSA ALMA." (por Misael Passos 4° simpósio de musica sacra em Mauá 1996 apostila p12,13).

 Prossegue notas de comentários de Misael passos de muita utilidade"Sei de muitos cantores ,compositores ,arranjadores que só estão interessados   nesta comunhão com DEUS ,nesta intimidade com o seu Espirito Santo ,e por ainda temos cultos arrebatadores ,onde o Senhor é genuinamente louvado.Quando a música está fora dos padrões de adoração e louvor ,se torna vergonhoso ,sensual,e é hora de buscarmos a Deus para que está música receba "vestiduras brancas"sendo trabalhadas pelo ESPIRITO SANTO" para honrar AO    SENHOR.  É HORA de muitos pedirem o colírio de Deus para verem e discernir todas estas coisas.Devemos misturar nossa música sim com lagrimas , muita oração como fizeram Paulo e Silas na prisão ,causando um tamanho terremoto que sacudiu  os alicerces da prisão.(nota misael passos simpósio de musica Mauá São Paulo 1998)O louvor liberta toca o coração de Deus ,faz com que seus anjos se movam ALELUIA,devemos misturar nossa música com canticos espirituais, Ah canticos que não se ouvem mais;busquemos os dons espirituais    e tambem este DOM maravilhoso .Devemos misturar nossa música com ingredientes que Paulo recomenda aos filipensses 4:8e hebreus 13.15.).          

 

             SUBSIDIO LIÇÃO N.12 JUVENIS

           A MUSICA SACRA NA IGREJA PRIMITIVA 

    MÚSICA CULTUANDO A DEUS NO NT E NOS 1º

            SÉCULO: SEM INSTRUMENTOS?

                                                                  

 No templo do VT só harpa e saltério, dedilhados, nas igrejas do NT e primeiras, só voz, acapela, sem instrumentos de corda sopro ou percussão, baterias trombeta pífaros guitarras discos.

 INTRODUÇÃO:

 

  1. Os exemplos de Nadabe e Abiú são muito importantes para NÓS adorarmos, HOJE - Lv 10:1- 3. 

E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o SENHOR, o que não lhes ordenara. Então saiu fogo de diante do senhor e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. Ee disse Moisés a Arão: isto é o que o SENHOR falou, dizendo: serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão calou-se.

- Quando eles ofereceram em ADORAÇÃO algo que o Senhor não tinha ordenado, isto foi tomado pelo Senhor como um sinal de DESRESPEITO a Sua santidade.

- Tal exemplo foi escrito para NOSSA instrução. 1Co 10:11

Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.

  1. Como filhos de Deus, temos que ser SANTOS ante O SANTO que nos convocou 1 Pe 1:15- 16

Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; porquanto está escrito: sede santos, porque eu sou santo. 

- Simetricamente, é de suma importância que tratemos a Deus como o SANTO! 

- Só podemos fazer isto, em adoração, se fizermos exatamente como Deus nos instrui na Sua Palavra! 

Para nos assegurarmos disto, consideraremos primeiro o que o NT diz sobre: 

- A natureza da adoração em geral 

- E, especialmente, sobre a música na adoração do NT 

 

  1. ENTENDAMOS AS PALAVRAS CHAVE 

Antes de prosseguir, vejamos os significados dos termos chave. No NT :

"salmo" 

{psalmos, 5568, traduziremos como "LOUVOR-ENSINO-JUNTO-À-HARPA"}: Para os descrentes de língua do tronco hebraico, significava apenas "um tanger de cordas de instrumento musical". Na Bíblia significa "música em instrumento tal como a harpa, com cordas dedilhadas tocando só a melodia ou em arpejos, acompanhando voz ou vozes distintamente cantando (1) louvor a Deus ou (2) ensino totalmente baseado na Bíblia"; "um cântico santo e piedoso, expressando a lírica emoção de uma alma devota e grata, onde a voz é acompanhada por instrumento como a harpa DEDILHADA, e onde a letra e a música têm o nobre estilo e o santo caráter dos Salmos do VT!".

O termo é usado em 1Co 14:26; Ef 5:19; Cl 3:16. Enfatiza que há acompanhamento por instrumento musical [repetimos: por instrumento de cordas tal como a HARPA, TOCADA POR DEDILHAMENTO da melodia ou de arpejos, não em golpes de acordes ritmantes como fazem os violões dos "forrós-evangélicos".

Um exemplo do que poderíamos legitimamente chamar de salmo poderia vir de CC-046 "Eu perdido pecador" (fala do que Deus fez [por mim], exalta Deus). Cantemos a 1a estrofe alegre e fortemente, acompanhados do dedilhar da harpa... Agora, silenciemos e ouçamos só a harpa, suavemente ... Que contraste com quando a mesma peça é tocada como por escola de samba ou bandinha, ouçamos..

Muitos estudiosos crêem que o estilo do salmo tem que ser como o do canto gregoriano inicial (que refletia o dos judeus dos dias do NT)! Este estilo não pode ter mais de 1 tom (mais freqüentemente é um tom menor), só tem acordes maiores ou menores, e não tem elementos de sofisticação, de ostentação, nem de tensão (nem mesmo os acordes sétimos, quanto mais os acordes mais dissonantes tão populares nesta geração de crentes pós Beattles)! Cantemos a 1a. estrofe de CC-580 "Vem, Visita a Tua Igreja" acompanhados do dedilhar da harpa (até o CC tem umas poucas falhas: para evitar associação com más doutrinas atuais, troquemos "visita" por "santifica") ... Este era o estilo das músicas nas igrejas dos 1os séculos, quer ou não queiramos obedecer ao que o Espírito Santo nos ensinou e nos deixou como exemplo. Você decida se quer seguir ao que Deus ensina ou ao que seu coração deseja.

 

"salmodiar" 

{psallô, 5567, traduziremos como "LOUVAR-ENSINAR-JUNTO-À-HARPA"} é o verbo para entoarmos um salmo, ver acima. O termo é usado em Rm 15:9; 1Co 14:15; Ef 5:19; Cl 3:16; Tg 5:13.

 

"hino" 

{humnos, 5215, traduziremos como "LOUVOR-CANTADO"}: Para os descrentes gregos, significava apenas "cântico em louvor a deuses/ heróis/ conquistadores/ países/ etc." No NT, significa "hino, cântico religioso e com métrica, PALAVRAS entoadas em LOUVOR a DEUS [como herói e conquistador]; às vezes o hino é cantado acompanhado de instrumentos musicais piedosamente tocados, muitas vezes é cantado singelamente, ACAPELA". 

O termo é usado em Ef 5:19; Cl 3:16. Enfatiza o elogio, exaltação, LOUVOR, adoração a DEUS com PALAVRAS cantadas. Note que, na Bíblia: o louvor cantado nunca põe a ênfase no homem e nos seus sentimentos, mas sim em Deus, Seus atributos e Suas obras; 1 só vez (Ap 5:8-12) o louvor cantado é ao Deus-Filho; todas as outras centenas de vezes é a Deus-PAI; nunca, nem mesmo em 1 pequena sentença, é a mim, aos deuses, aos anjos, nem mesmo ao Deus-Espírito Santo!... 

Um exemplo do que legitimamente poderíamos chamar de hino é CC-135 "Louvamos-Te ó Deus" (o hino louva a Deus, pelo que fez [por mim]). Cantemos a 1a. estrofe SUAVEMENTE, ao som da harpa ... Depois, acapela, a 2a. estrofe, forte e IMPONENTEMENTE, algo mais rápido... Que contraste com "Salmo Brasileiro", cuja letra não louva a Deus, é antibíblica, e a música, especialmente o ritmo, agrada ao sensualismo, à carnalidade. Ouçamos o trecho que diz "Louvai a Deus com o som da cuíca, louvai-o com o reco-reco, com tamborim, xiquexique e o cavaco, com a nossa ginga, nossa voz e nosso samba. {{louvai a Deus ao som da cuíca, louvai-o com o reco-reco, com agogô, com o surdo e o pandeiro. louvai a deus com o samba brasileiro}}"... (Este pode ser um exemplo mais para o extremo, mas não é raro: Talvez 50% das músicas dos hinários novos e 20% dos antigos, 50% dos corinhos das igrejas que se consideram fundamentalistas e 95% dos corinhos das outras igrejas, não satisfaça o que o NT, os dicionários e os exemplos dos tempos apostólicos nos ensinam. Que vamos fazer? Ficar com estas músicas? Ou obedecer e agradar a Deus?) 

Muitos estudiosos crêem que o estilo do hino também tem que ser como o do canto gregoriano inicial. 

"cantar hinos" {humneô, 5214, traduziremos como "LOUVAR-CANTANDO"} é o verbo expressando cantarmos o acima. O termo é usado em Mt 26:30; Mc 14:26; At 16:25; He 2:12. 

"cântico" {ôdê, 5603, traduziremos como "CÂNTICO-DE-LOUVOR-ENSINO"}: Para os descrentes gregos significava apenas "cântico ou ode, palavras entoadas, podendo ou não haver acompanhamento musical." No NT, significa "cântico ou ode, palavras entoadas (1) em louvor a Deus-Pai ou a Deus-Filho, ou (2) ensinando doutrinas bíblicas, podendo ou não haver acompanhamento musical (obviamente, harmônico com o caráter de Deus)". 

O termo é usado em Ef 5:19; Cl 3:16; Ap 5:9. Sendo termo genérico, Deus-Espírito Santo teve que nos esclarecer explicitamente (Ef 5:19; Cl 3:16) que, nas igrejas, se refere estritamente a "cânticos espirituais" {ôdais pneumatikais} isto é, "palavras cantadas em louvor a Deus-Pai ou a Deus-Filho, ou ensinando doutrinas bíblicas, sendo que essas palavras expressam as coisas assopradas por deus- espírito santo [na palavra] e têm a fragrância de deus. talvez possa haver acompanhamento por instrumentos, mas tudo (letra, melodia, autor, cantor, instrumentos, etc.) tem que se harmonizar com o santo caráter de deus". Há quem restrinja a VERSÍCULOS SANTAMENTE CANTADOS. 

Um exemplo do que poderíamos legitimamente chamar de "cântico espiritual" poderia ser "Se confessarmos os nossos pecados". (1Jo 1:9). Cantemos suavemente, ao som da harpa ... Que contraste com "Celebrai com júbilo ao Senhor" com os instrumentos e estilo do rock pesado, balançando as cabeças como macacos ou rodopiando como pião ou pulando como um guariba... (Mesmo sendo todo o Salmo 100, versos 1 a 5, esta música ficou inaceitável pela associação com os "inflamados carnavais carismáticos", pelo "Oba, oba, oba, oba, oba" associado à introdução, pela sensualidade do ritmo (já vimos que todos os ritmos quaternários com os tempos pares (2, 4) fortes vieram das antigas danças sexuais européias, africanas e indígenas), e por todos os maus elementos musicais que estudamos no ano passado). 

Muitos estudiosos crêem que o estilo do cântico espiritual também tem que ser como o do canto gregoriano inicial. 

 

"cantar" 

{adô, 103, traduziremos como "CANTAR-LOUVOR-ENSINO"} é o verbo expressando cantarmos o acima. O termo é usado em Rm 15:9; 1Co 14:15; Ef 5:19; Cl 3:16; He 2:12; Tg 5:13; Ap 5:9; 15:3. Repetindo e sumariando: Pelo ensino e exemplo do NT + dicionários + História, cremos que os 3 únicos tipos de música que Deus deseja nos nossos cultos são:

 

  1. SALMOS = música SANTA em instrumento tal como a HARPA, tocada só a melodia (ou, no máximo, em doces arpejos, não em acordes ritmantes). Pode acompanhar palavras de louvor a Deus (usualmente Deus-Pai, possivelmente Deus-Filho, nunca Deus-Espírito), ou ensinar doutrina bíblica. 
  2. HINOS = palavras SANTAS cantadas em LOUVOR a DEUS (usualmente Deus-Pai, possivelmente Deus-Filho, nunca Deus-Espírito). Podem ser lindamente acapela ou acompanhadas por instrumento tal como a HARPA, tocada só a melodia (ou, no máximo, em doces arpejos, não em acordes ritmantes). 
  3. CÂNTICOS ASSOPRADOS PELO ESPÍRITO = VERSÍCULOS cantados SANTAMENTE, em louvor a Deus (usualmente Deus-Pai, possivelmente Deus-Filho, nunca Deus-Espírito), ou ensinando doutrina bíblica. Podem ser lindamente acapela ou acompanhadas por instrumento tal como a HARPA, tocada só a melodia (ou, no máximo, em doces arpejos, não em acordes ritmantes). 

O elemento vital, nestes 3 tipos de música aceitáveis a Deus, é que venham como verdadeira, santa e reverente adoração, adoração de corações que somente vêem a Deus. Talvez o estilo de todas essas músicas deva ser semelhante ao do canto gregoriano original.

 

  1. PASSAGENS SOBRE MÚSICA, NO N.T. 

A seguir, como estamos na dispensação da igreja, vejamos todos os exemplos e ordens que Deus deixou para a música das Suas IGREJAS: 

Mt 26:30; Mc 14:26 -- Jesus e seus discípulos, depois de tomarem a Ceia "..., TENDO-LOUVADO- CANTANDO {humnêsantes}, saíram para o monte das oliveiras." [Nota 1] 

At 16:25 -- Na cadeia de Filipos, Paulo e Silas, com [mãos e] pés presos no tronco, "... orando ESTAVAM-LOUVANDO-CANTANDO {HUMNOUN} A DEUS, e os OUTROS presos os escutavam." 

Rm 15:9 "E PARA QUE os gentios glorifiquem a Deus pela SUA misericórdia, como está escrito: por isso eu te confessarei entre os gentios, e LOUVAREI-ENSINAREI-JUNTO-À-HARPA {PSALÔ} ao teu nome." 

1Co 14:15 -- "... orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento. LOUVAREI- ENSINAREI-JUNTO-À-HARPA {psalô} com o ESPÍRITO, mas também LOUVAREI-ENSINAREI-JUNTO- À-HARPA {psalmô} com O ENTENDIMENTO." 

- O contexto mostra o que Paulo quis dizer: "salmodiarei de todo coração, mas também, sempre, de modo tal que aqueles que ouvirem possam entender perfeitamente (sem esforço nem atrapalho) o pensamento expresso, todas as palavras cantadas". Tanto é assim que o verso seguinte diz que "De outra maneira, se tu bendisseres [somente] com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto o amém sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes?" 

- Vejamos toda a passagem 1Co 14:7-38, detalhadas ordens de Deus sobre os cultos na igreja, inclusive a música (além do ensino pela pregação, e dos dons durante a vida dos apóstolos):

" 7 Da mesma sorte, se as coisas inanimadas, que fazem som, seja flauta, seja cítara, não formarem sons distintos, como se conhecerá o que se toca com a flauta ou com a cítara? 8 Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha? 9 Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? Porque estareis como que falando ao ar.  Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; LOUVAREI- ENSINAREI-JUNTO-À-HARPA {psalmô} com o espírito, mas também LOUVAREI-ENSINAREI-JUNTO-À- HARPA {psalmô} com o entendimento. 16 De outra maneira, se tu bendisseres [SOMENTE] com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto, o Amém, sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes? 26 Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós(1) TEM LOUVOR-ENSINO- JUNTO-À-HARPA {psalmon}, (2) tem doutrina, (3) tem revelação, (4) tem língua, (5) tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. 27 ... Faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, ... 29 E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. 30 Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro.  Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados.  Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.  As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei.  E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja. 37 Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. 38 Mas, se alguém ignora isto, que ignore. 40 Mas faça-se tudo decentemente e com ordem. "

- Conclusões e aplicações indiscutíveis (indiscutíveis por quem quer obedecer a Deus, sempre haverá os que vão querer contestar...): 

  1. A cada segundo do culto, somente UMA só palavra de uma só frase deve estar sendo pronunciada, bem distintamente, todos os presentes devem estar ouvindo com a máxima veneração e respeito. 
  2. É contra o NT "música de fundo" enquanto o culto não começou e depois que terminou, e os presentes conversam. Igreja não é restaurante, nem boate, para ter música de fundo. Escapemos das disfarçadas imitações ao mundo e às igrejas moderninhas. Ou todos paremos para ouvir a música, ou ela pare para orarmos ou termos ordeira comunhão uns cons os outros. Qualquer mistura é indecente e vergonhosa. 
  3. É contra o NT "música de fundo" durante a pregação, particularmente durante o "apelo". Isto não é visto no N.T., confunde as palavras, visa incendiar o emocionalismo, resulta em falsas conversões, entristece crentes pensantes, é influência das igrejas moderninhas, é baixo e indigno. 
  4. É contra o NT que, enquanto a congregação canta, o dirigente da música fique pronunciando palavras não em uníssono com ela, quer (A) animando, insuflando emocionalismo; quer (B) ditando as próximas palavras para a igreja (que não quer usar hinário nem ao menos folha impressa). Confusão é. Influência pentecostal-moderninha e secular é. Indigno, indecente e vergonhoso é. 
  5. É contra o NT, no culto: música de boas vindas aos visitantes, música de parabéns, música quebra-gelo (especialmente acompanhada de torvelinho de todos se movimentando e abraçando). Deixemo-las para as reuniões sociais específicas, ou orientemos para que ocorram antes ou depois do culto, do lado de fora ou em outro salão da igreja. Não deve haver palavra ou gesto no culto que não seja culto! Culto a DEUS! 

1Co 14:26 "Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais,(1) cada um de vós tem UM LOUVOR- ENSINO-JUNTO-À-HARPA {psalmon},(2) tem um ensino,(3) tem uma língua,(4) tem uma revelação,(5) tem uma interpretação. Faça-se tudo para edificação." 

Ef 5:18-19 -- "E não vos embriagueis com o vinho, em que há dissolução; mas enchei-vos com o Espírito; falando entre vós em (1) LOUVORES-ENSINOS-JUNTO-À-HARPA {psalmois}, e (2) LOUVORES- CANTADOS {humnois}, e (3) CÂNTICOS-DE-LOUVOR-ENSINO {ôdais} ASSOPRADOS-PELO-ESPÍRITO {pneumatikais},(1) CANTANDO-LOUVOR-ENSINO {adontes} e (2) LOUVANDO-ENSINANDO-JUNTO-À- HARPA {psallontes} ao Senhor com vosso coração;"  

Cl 3:16 "A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria; ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros em (1) LOUVORES-ENSINOS-JUNTO-À-HARPA {psalmois}, (2) LOUVORES- CANTADOS {humnois} e (3) CÂNTICOS-DE-LOUVOR-ENSINO {ôdais} assoprados-pelo-Espírito {pneumatikais}: CANTANDO-LOUVOR-ENSINO {adontes} ao Senhor com graça em vosso coração." 

Estas 2 últimas passagens, de Efésios e Colossenses, (segundo o livreto "Instruments Of Music In The Service Of God", impresso por McQuiddy Printing Co., Nashville), significam exatamente a mesma coisa: 

- "enchei-vos do Espírito" e "a palavra de Cristo habite ricamente em vosso coração" significam exatamente o mesmo; 

- "cantando e salmodiando ao Senhor com vosso coração" e "cantando ao Senhor com graça em vosso coração" são uma e a mesma coisa, e significam pôr em harmonia os pensamentos e sentimentos do coração (o interior e real) com o sentimento sendo expresso pelo cantar da voz e dedilhar da harpa (o exterior). É O SENTIMENTO SENDO CANTADO QUE CONSTITUI A ADORAÇÃO; NÃO HÁ ADORAÇÃO ACEITÁVEL À PARTE DO SENTIMENTO SENDO CANTADO. A música da canção é somente um meio de imprimir mais fortemente o sentimento cantado nos corações de quem canta e de quem ouve. O que é cantado tem que ser o fruto da palavra de Deus "habitando ricamente" no coração. Isto é alcançado por falar a palavra de Deus em canção. 

He 2:12 "Dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, LOUVAR-TE-EI-CANTANDO {humnêsô} no meio da congregação." (Em Sl 22:22, a palavra é "hâlal", 1984, louvar, glorificar com os lábios) 

Tg 5:13 "Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? LOUVE-ENSINE-JUNTO-À- HARPA {psalletô}." 

Ap 5:8-12 "E, quando ele tomou o livro, as quatro criaturas-viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles(1) HARPAS {kitaras} e (2) salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. E CANTAVAM-LOUVOR-ENSINO {adousin} um novo CÂNTICO-DE- LOUVOR-ENSINO {ôdên}, dizendo: Digno és ..." (Música de louvor e adoração, em toda a Bíblia: há centenas a Deus-Pai; só uma (esta, não na dispensação da igreja) a Deus-Filho; nenhuma a Deus-Espírito Santo!) 

Ap 15:3 "E CANTAVAM-LOUVOR-ENSINO {adousin} o CÂNTICOS-DE-LOUVOR-ENSINO {ôdên} de Moisés, servo de Deus, e o CÂNTICOS-DE-LOUVOR-ENSINO {odên} do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos."

  1. DEVEMOS NOS ESPELHAR SÓ NO NOVO TESTAMENTO (não na prática comum de hoje, e não no VT!). 

Não chegamos ainda ao ponto de crer que de modo algum, em hipótese alguma, instrumentos alguns podem ser usados no culto a Deus nas nossas igrejas. (Cremos que as palavras "salmos" e "salmodiar", usadas em relação a igrejas, implicam no acompanhamento por harpa onde são dedilhados arpejos ou a melodia). Mas, para que ponderemos gravemente no assunto instrumentos e seus usos, e os saibamos melhor adequar à vontade de Deus, não rígidamente adaptaremos, aqui, um esboço por M.A. Copeland.).

 

3.1 HÁ QUATRO TIPOS DE ADORAÇÃO NO NT. 

  1. "ADORAÇÃO EM VERDADE"
  2. Referida por Jesus em Jo 4:20-24 

Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. (Um espírito não depende nem se prende a nada material.)

  1. Este é o tipo de adoração que DEUS espera de NÓS, HOJE, na dispensação da Igreja ("a hora vem, e AGORA é") 
  2. Uma vez que isto nos diz respeito tão particularmente, estudaremos melhor, um pouco mais na frente.

 

  1. "ADORAÇÃO INÚTIL"...

 

  1. Referida por Jesus em Mt 15:7-9 

Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens. 

  1. Este tipo de adoração resulta de: 

- Seguir as tradições antigas e as modas atuais de homens e ignorar as ordens de Deus. 

- Adoração e louvor que não vêm totalmente "DO CORAÇÃO." 

  1. "ADORAÇÃO EM IGNORÂNCIA" 
  1. Referida por Paulo em At 17:22-23 

E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio

 

  1. Esta é a adoração oferecida na ausência de um conhecimento da vontade de Deus concernente a quem Ele é, e como deve ser adorado. 
  1. "ADORAÇÃO AUTO-IMPOSTA, SEGUNDO NOSSA PRÓPRIA VONTADE" 
  1. Referida por Paulo em Cl 2:20-23 

Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne. [Nota 3]

 

  1. Esta adoração, proximamente alinhada com adoração EM VÃO: 

- É o resultado de fazer o que NÓS pensamos que é bom ou que NÓS gostamos. 

- Mas é abominada por Deus, conforme nos ensina com Nadabe e Abiú. 

[Não é QUALQUER tipo de adoração-bem-intencionada que é aceitável por Deus, Ele só aceita UM tipo: A "VERDADEIRA ADORAÇÃO". Temos que entender em que consiste! . 

3.2. O SIGNIFICADO DE ADORAÇÃO "NA VERDADE" 

  1. CONFORME DEFINIDO POR JESUS... 
  2. "os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai EM ESPÍRITO E EM VERDADE;" - Jo 4:23 (acima) 
  3. Mas que significa a frase "em Espírito e em verdade"? 
  4. Note, primeiramente, o contraste salientado por Jesus -- cf. Jo 4:19-24 (acima) 
  5. Os judeus tinham estado adorando corretamente, ao irem a Jerusalém. 
  6. Mas agora estava chegando a hora em que o local (e tudo que é físico) não mais seria importante (como o foi no VT). 
  7. Então está sendo feita uma diferenciação e um diametral contraste entre adoração no VT e no NT! 
  8. De alguma forma, a adoração no VT não tinha sido "em espírito e verdade." 
  9. Mas a adoração no NT seria! (em espírito e em verdade). 

[O contraste ficará mais evidente ao definirmos o que foi intencionado com "em espírito e em verdade."]

 

  1. ADORANDO DEUS "EM ESPÍRITO"... 
  1. Alguns entendem que isto significa adorá-Lo com sinceridade do coração".
  2. Mas isto não se encaixa com a idéia que Jesus está fazendo um contraste entre adoração no VT e no NT;
  3. Pois sinceridade era exigida no VT, em igual medida - Deu 6:4-7; Isa 1:10-18. 

Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. 

Ouvi a palavra do SENHOR, vós poderosos de Sodoma; dai ouvidos à lei do nosso Deus, ó povo de Gomorra. De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o SENHOR? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene. 

As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Vinde então, e argüi- me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã 

  1. Uma interpretação melhor é que adoração em espírito significa oferecer adoração que seja espiritual, 
  2. Em contraste com adoração que é física, carnal 
  3. Este contraste está em harmonia com o contexto 

1) Jesus começou por dizer "Deus é Espírito", 

2) Portanto, a adoração a Deus tem que ser "espiritual", isto é, mais adequada à Sua natureza. 

  1. Esta interpretação está em harmonia com aquilo que aprendemos em outras passagens sobre o contraste entre adoração no VT e no NT:

1) De He 9:1-10 aprendemos que a adoração no VT consistia de ordenanças CARNAIS, por exemplo: 

  1. a) Uma estrutura física (tabernáculo). 
  2. b) Roupas especiais para os sacerdotes 
  3. c) Candelabros 
  4. d) Queimar de incenso 
  5. e) Instrumentos de música 
  6. f) Sacrifícios de animais 

-- tudo isto apela para os sentidos FÍSICOS. 

2) Mas a adoração no NT é dirigida mais ao lado ESPIRITUAL do homem: 

  1. a) O templo de Deus é espiritual, é constituído dos salvos - 1Co 3:16; Ef 2:19-22 

Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 

Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus; Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito. 

  1. b) Todos os salvos são sacerdotes, oferecendo sacrifícios espirituais - 1 Pe 2:5,9; Rm 12:1; He 13:15 

(5) Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo. (9) Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 

Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. 

  1. c) Nossas orações tomaram o lugar do suave incenso do VT - Ap 5:8 

E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. 

  1. d) Nossa música é fazendo melodia com o CORAÇÃO - EF 5:19.

Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; 

3) As ordenanças físicas do VT foram instituídas para durar até um "tempo da correção" (o qual ocorreu com a chegada do Nova Aliança, o NT) - He 9:9-10 

Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço; Consistindo somente em comidas, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção. 

  1. Portanto, "adorar em espírito" é oferecer adoração ESPIRITUAL como ensinada no NT, e não a adoração FÍSICA como encontrada no VT. 
  1. ADORANDO DEUS "EM VERDADE" 
  2. Que significou o Senhor Jesus Cristo ao nos ordenar adorar "em verdade"? 
  3. Adorar de acordo com os mandamentos de Deus (como é tão freqüentemente interpretado)? 
  4. Obviamente que devemos adorar assim. 
  5. Mas, novamente, não há contraste com o que Deus esperava no VT - cf. Dt 5:32-33

Olhai, pois, que façais como vos mandou o SENHOR vosso Deus; não vos desviareis, nem para a direita nem para a esquerda. Andareis em todo o caminho que vos manda o SENHOR vosso Deus, para que vivais e bem vos suceda, e prolongueis os dias na terra que haveis de possuir. 

  1. Jesus admitiu que os judeus estavam corretos ao adorarem - Jn 4:22 

Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. 

  1. Portanto, o contraste que Ele significou não é entre adoração "FALSA" e "VERDADEIRA". 
  2. O contraste é entre aquilo que é "VERDADEIRO" (ou real), e aquilo que tinha sido uma "SOMBRA" apontando para o verdadeiro! 
  3. Muitos elementos da adoração do VT eram simplesmente uma "sombra" ou "figura" do que estava por vir. 1) O Tabernáculo foi um símbolo - He 9:8-9 

Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo, Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço;

 2) Toda a Lei Cerimonial com seus modos de adoração foi somente um "símbolo" daquilo que estava por vir - He 10:1 

Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam. 

  1. Cristo está agora no VERDADEIRO tabernáculo (o céu) He 9:11-12,24 

(11) Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, (12) Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.) (24) Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;

 1) Portanto, deveríamos esperar que a adoração "em VERDADE" seja diferente daquela "em SOMBRA". 

2) E já vimos que este é o caso: 

  1. a) A adoração do VT, que não foi senão uma SOMBRA, foi FÍSICA na sua natureza. 
  2. b) Mas a adoração do NT, a qual Deus agora espera dos "verdadeiros adoradores", é por VERDADEIRAS realidades (Deus é espírito, Cristo está no céu), é ESPIRITUAL em natureza. 

3.3. A MÚSICA NA ADORAÇÃO "EM VERDADE" 

  1. A ÚNICA MÚSICA ORDENADA NO NT FOI "VOCAL" (só pela voz) ... [Hélio diria "principalmente vocal", mas vê salmos no NT, portanto a suave harpa, harpa dedilhada. Ver "psallô" em Rm 15:9; 1Co 14:15; Ef 5:19; Cl 3:16; Tg 5:13. Ver "psalmos" em 1Co 14:26; Ef 5:19; Cl 3:16.] 
  2. O exemplo de Jesus e Seus discípulos - Mt 26:30; Mt 14:26 ("..., TENDO-LOUVADO-CANTANDO- HINO {humnêsantes}") 
  3. O exemplo de Paulo e Silas - Ac 16:25 ("... orando ESTAVAM-LOUVANDO-CANTANDO-HINOS {HUMNOUN} A DEUS")
  4. Outra referência He 2:12 - "Louvar-te-ei-cantando-hinos {humnêsô}" 
  1. A MÚSICA NO NT ENFATIZAVA O "ESPIRITUAL" .. 
  2. Ef 5:19 - "LOUVANDO-ENSINANDO-JUNTO-À-HARPA {psallontes} ao Senhor com vosso coração" 
  3. (psallontes) - No VT isto implicava no acompanhamento por instrumentos musicais como a harpa.
  4. Mas note que agora (no NT) o instrumento é o coração, o NT não fala de sequer um instrumento mecânico nesta dispensação da igreja! 
  5. Note o contraste entre o coração (ESPIRITUAL) versus instrumentos mecânicos (FÍSICOS). 
  6. Uma vez que música é para ser oferecida "ao Senhor", é sumamente importante que os reconheçamos como Santo e ofereçamos a Ele exatamente o que Ele especificou (cf. Nadabe & Abiú)! 
  7. Cl 3:16 - "CANTANDO-LOUVOR-ENSINO {adontes} ao Senhor com graça em vosso coração."

 

  1. Esta passagem é paralela a Ef 5:19 
  2. Note, novamente, que a ênfase é ESPIRITUAL "ao Senhor com graça em vosso coração." 
  3. REVISE O CONTRASTE ENTRE A MÚSICA DO VT E DO NT... 
  1. Música do VT 
  2. A cargo de um coral especializado, poderíamos dizer "profissional". 
  3. Acompanhado por vários instrumentos mecânicos. 
  4. ÊNFASE: Como soa ao ouvido "bem entendido em boa música" (apelo ao lado FÍSICO do homem). 
  5. Música no NT 
  1. Cantada por toda a congregação ("falando [conjuntamente] um ao outro em salmos e ...") 
  2. A melodia é feita no CORAÇÃO, não em instrumento artificial. 
  3. ÊNFASE: Como soa ao coração de Deus e, conseqüentemente, à alma, lado ESPIRITUAL do homem. 

[A música no NT, portanto, deve ser ESPIRITUAL em ênfase: 

  1. Cantada por toda congregação [Hélio&Nira diriam "preferencialmente, usualmente, com maior valorização"] 
  2. Enfatizando não o soarmos "bem", mas sim o fazermos melodia verdadeira ao Senhor, em nossos corações! 

[Não estamos inventando nada novo, veja incontáveis citações e registros históricos, como as da seção .

 

3.4. PRETEXTOS USUAIS PARA O USO DE INSTRUMENTOS.

  1. "INSTRUMENTOS TÊM SIDO UMA TRADIÇÃO DA IGREJA, DESDE SUA FUNDAÇÃO" 
  1. Não realmente. A História indisputada mostra que só foram introduzidos séculos depois.
  2. Na maioria das "denominações", instrumentos só foram introduzidos na virada dos séculos XVII- XVIII. 
  3. Mesmo se a tradição viesse do século II, se qualificaria como adoração EM VÃO - Mt 15:9 
  4. "EU NÃO VEJO MAL EM USARMOS TODO TIPO DE INSTRUMENTO E MÚSICA" 
  5. Então sua adoração é EM IGNORÂNCIA - At 17:22-23 
  6. No sentido que você não está apercebido do tipo de adoração que Deus lhe ordena. 
  1. "NÃO ME INTERESSA: EU GOSTO DE TODO TIPO DE INSTRUMENTO E MÚSICA QUANDO EU CULTUO A DEUS" 
  1. Então sua adoração se tornou "SEGUNDO A SUA PRÓPRIA VONTADE" - Cl 2:20-23 
  2. E você já começou a adorar como Nadabe e Abiú 
  1. Oferecendo aquilo que VOCÊ gosta 
  2. Mas que é profano, pois Deus não o ordenou. 
  1. "MAS MUITOS INSTRUMENTOS (E OUTRAS COISAS...) ESTÃO NO VT" 
  1. Também estão um monte de outros atos de adoração "impostas até ao tempo da correção" - He 9:10 
  2. Este tempo chegou com Cristo, Deus espera Seu povo adore diferentemente - Jo 4:23-24 
  3. O fato que Deus possa ter ordenado algo no passado não significa que Ele aprove seu uso agora (especialmente quando Ele tem revelado o que Ele AGORA quer!). Você imola cordeiros, etc.? 
  4. Considere o pecado de Moisés 
  1. Primeiramente, Deus lhe disse para BATER na rocha e assim receber água - Ex 17:5-6 
  2. Depois, noutra ocasião, Deus lhe disse para FALAR à rocha - Nu 20:7-8 
  3. Mas Moisés bateu na rocha como antes, e assim pecou e perdeu seu direito de entrar na terra prometida - Nu 20:9-12 
  4. Seu pecado? Não tratou Deus como Santo e fazendo EXATAMENTE E SÓ o que ordenara para o PRESENTE! 
  5. Deus pode ter tolerado e até ordenado música de vários tipos e com vários instrumentos, no VT. 
  6. Mas agora Ele ordena música VOCAL, no NT. [Hélio diria "principalmente vocal", mas vê salmos no NT, portanto a suave harpa, harpa dedilhada.]

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net

 

 

        SUBSIDIO CPAD JUVENIS CPAD LIÇÃO 10

 

Introdução

Este salmo pretende ser um salmo de Davi, e o conteúdo do mesmo concordar com esta suposição, e com a afirmação no título em relação à ocasião em que ela foi composta. Não haveria nenhuma dificuldade sobre o assunto, e não há motivo para hesitar, no que diz respeito ao autor e a ocasião em que foi composta, se não fosse para a oração no Salmo 51:18 , "Faça o bem a tua boa vontade vos Sião; edifica os muros de Jerusalém ", que, tem sido mantidos por DeWette, Rosenmuller, Venema, e outros, deve ter sido escrito no tempo da cxile babilônico. Exceto isso, é admitido em todas as mãos que o salmo em sua composição concorda inteiramente com a afirmação no título, que foi composta por David. Ele tem, de fato, sido geralmente admitido que o salmo "foi" composta por David, embora seja o parecer do Rosenmuller, Venema, e Doederlein, que os dois últimos versos foram adicionados por uma mão mais tarde.

 

De acordo com o título, o salmo foi composto por ocasião da grande culpa e crime na vida de Davi, e como uma expressão de sua penitência, tendo em vista o seu pecado. Na frase "Para o músico-mor" ver as notas no título para Salmo 4: 1-8 . Não devemos supor que este título foi prefixado para o salmo pelo próprio David, mas o uso a ser feito do mesmo, comprometendo-o para o "Músico chefe", ou para o supervisor da música no culto público de Deus mostra que o salmo foi considerado como projetado para ser usado em público, e não era uma mera expressão dos sentimentos particulares do autor. Foi, sem dúvida, comumente entendido (e provavelmente foi por isso destinados pelo próprio David) que era para ser usado como uma expressão "público" de sua penitência em vista de sua grua; e tanto o fato de sua composição, ea maneira em que estava a ser utilizado, fosse interpretada como indicando a sua vontade de que a maior publicidade deve ser dada a sua confissão, e que a memória do crime e de sua penitência deve ser perpetuado em todas as épocas do mundo. A frase no título, "A" Salmo "de Davi," denota que era para ser usado para o culto público, ou como conectados com louvor. Ele foi projetado não apenas para expressar seus sentimentos particulares, mas foi destinado a ser empregado nos serviços solenes de devoção pública. Ver introdução ao Salmo 3: 1-8 .

 

A frase "quando o profeta Natã veio a ele," refere-se ao fato registrado em 2 Samuel 12: 1-13 . Isso significa que o salmo foi o "resultado" da visita do Nathan com ele; ou que registra os sentimentos do autor, quando o sentido do seu pecado havia sido trazido à sua mente pela mensagem fiel do profeta. Podemos supor que o registro de seus sentimentos foi feito sem demora, para o salmo tem todas as marcas de ter sido composta sob o mais profundo sentimento, e não de ser o resultado da reflexão calma. Na frase "depois de ter ido para a Bate-Seba," ver o triste recorde em 2 Samuel 11: 1-5 .

 

DeWette, no entanto, sustenta que salmo não poderia ter sido composto David, mas que deve ter sido no tempo do exílio babilônico. O único argumento que invoca em favor dessa opinião é a oração no Salmo 51:18 , "edifica os muros de Jerusalém", que, segundo ele, não poderia ter sido uma oração oferecida por David, como havia em seu tempo nada o que tornaria esta oração adequada. Jerusalém não estava então em ruínas. Ela havia sido fortemente fortificada pelo próprio David, e não necessitaram de intervenção especial de Deus como se "restaurar" paredes que haviam sido jogados para baixo; Considerando que, no tempo do exílio, tal oração teria sido eminentemente apropriado, e seria uma petição natural para alguém que amava seu país, e que, como uma expressão de sua própria penitência, estava desejoso de fazer tudo o que podia para a causa da religião. A dificuldade será mais adequadamente atendidas nas notas nesses versos.

 

Pode-se observar aqui, no entanto, que, possivelmente, a expressão "edifica os muros de Jerusalém", "pode" ser usado em sentido figurado ou espiritual, expressivo de um desejo que Deus abençoe o seu povo; que ele iria interpor em seu nome; que ele seria seu protetor e amigo; que ele iria fazer por eles o que seria bem expressa através da construção de lamentos forte e seguro em torno de uma cidade. Mas pode-se perguntar, Além disso, é absolutamente certo que quando o salmo foi composto o trabalho de encerrar a cidade de Jerusalém, com paredes tinham sido concluídos? Pode não ter sido, de fato, que naquele tempo David estava envolvido em "realizar" seu projeto de tornar a cidade inexpugnável por muros e torres, e que, no meio de sua intensa tristeza pelo seu pecado, embora assim hediondo e agravado, seu coração pode ter trurned ao que era tão caro a ele como um objeto a ser realizado, e que, mesmo assim, em conexão com o seu arrependimento amargo para o seu pecado, ele pode ter orou para que Deus a favor de que grande projeto ?

 

Não é nenhuma evidência de que a nossa tristeza pelo pecado não é verdadeira e profunda, que, mesmo em nossas expressões de arrependimento, o nosso coração se volta para Zion - à Igreja - ao grande trabalho que a Igreja está realizando - e que, embora nossas orações "começou" com uma referência para o nosso próprio pecado, eles deveriam "fechar" com uma petição para que Deus abençoe o seu povo, e se preenchem os grandes propósitos tão perto do coração de piedade em referência para o progresso da verdadeira religião no mundo. Na verdade, desde o narrativa no Salmo 51: 1-12 , o salmista confessa sua culpa, e reza por perdão. Ele começa com um apelo sincero por misericórdia Salmo 51: 1-2 ; ele humildemente reconhece sua ofensa, sem qualquer tentativa de justificar-se, ou para pedir desculpas por isso Salmo 51: 3-6 ; ele fala a Deus para purificá-lo, perdoá-lo, para criar nele um coração novo, e não expulsá-lo nem para se tomar seu Santo Espírito dele Salmo 51: 7-12 .

 

  1. Na segunda parte Salmo 51: 13-19 ele mostra como ele iria manifestar seu senso da misericórdia divina se ele foi perdoado: expressando o propósito de levar uma nova vida; para se dedicar aos deveres da religião; para fazer tudo em seu poder para reparar os males da sua conduta e, especialmente, para induzir os outros a evitar o caminho do pecado, alertando-os pelo seu exemplo. Ele diz que ele iria ensinarei aos transgressores os verdadeiros caminhos de Deus, e que se converteriam pecadores a Ele, Salmo 51:13 ; que ele iria cantar em voz alta o louvor de Deus, Salmo 51: 14-15 ; que ele iria oferecer a Deus o sacrifício de um coração quebrantado e um espírito contrito, Salmo 51: 16-17 ; e ele, em seguida, pede Salmo 51: 18-19 , que Deus iria interpor e abençoar Sião, que a grande obra pode ser concluída em que ele havia se empenhado na defesa da cidade, e na preparação de um lugar que seria seguro, onde Deus pode ser adorado, e onde sacrifícios e ofertas pode perpetuamente subir em seu altar.

 

verso 1

Tem misericórdia opon me, ó Deus - Esta é a pronunciação de um coração cheio; um coração esmagado e quebrado pela consciência do pecado. O salmista tinha sido feito para ver seu grande culpa; e seu primeiro ato é a clamar por misericórdia. Não há nenhuma tentativa para desculpar seu pecado, ou para pedir desculpas por isso; não há nenhum esforço para vindicar sua conduta; não há nenhuma queixa da justiça de que a lei santa que o condenou. Foi "culpa" isso foi antes de sua mente; única culpa; profunda e terrível culpa. O apelo expressa adequadamente o estado de uma mente que está sobrecarregado com a lembrança do crime, e que vem com seriedade a Deus para implorar perdão. A única esperança de um pecador quando esmagadas com a consciência do pecado é a misericórdia de Deus; eo apelo para que a misericórdia serão instados na linguagem mais sério e apaixonado que a mente pode empregar. ". Assim a tua Iovingkindness" Sobre o significado da palavra usada aqui, ver as notas no Salmo 36: 7 .

 

(A) A "terra" de sua esperança era a compaixão de Deus:

 

(B) a "medida" de que a esperança era a Sua beneficência sem limites; ou, em outras palavras, ele sentiu que havia necessidade de "todo" a compaixão de um Deus.

 

Seu pecado foi tão grande, sua ofensa foi tão agravado, que ele não podia ter esperança, mas em um Ser de infinita compaixão, e ele sentiu que a necessidade de misericórdia no seu caso poderia ser medido e coberto "apenas" por que a compaixão infinita.

 

De acordo com a multidão das tuas misericórdias - A mesma idéia ocorre aqui também. O salmista fixa seu olhar sobre a "vastidão" da misericórdia divina; sobre os inúmeros "atos" de que a misericórdia para com o culpado; aqui ele encontrou sua esperança, e aqui sozinho. Cada instância de misericórdia extraordinária que ocorreu no mundo forneceu-lhe agora com um argumento em seu apelo a Deus; foi um estímulo para ele "em" que o recurso; era uma terra de esperança de que o seu recurso não seria rejeitado. Então, para nós: todos os casos em que um grande pecador foi perdoado evidências de que podemos ser perdoados também, e é um incentivo para nós para vir a Deus por perdão. Veja as notas em 1 Timóteo 1:16 .

 

Apaga as minhas transgressões - Em alusão a uma conta que é mantido, ou de uma acusação feita, quando tal conta é apagado, apagado, ou apagados. Compare Êxodo 32: 32-33 ; veja as notas em Isaías 43:25 ; observa em Isaías 44:22 ; observa em Colossenses 2:14 . Nunca foi um apelo mais sério feito por um pecador do que aquela que é feita neste verso; nunca houve um grito mais sincero por misericórdia. Ela nos mostra onde devemos "começar" em nossas orações quando são pressionadas para baixo com a consciência do pecado - com um grito de "misericórdia", e não um apelo a "justiça"; ela nos mostra o que é ser o "terreno "e a" medida "da nossa esperança - a mera compaixão de um Deus infinitamente benevolente; ela nos mostra o lugar que temos de tomar, e o argumento sobre o qual devemos confiar - um lugar entre os pecadores, e um argumento que Deus tem sido misericordioso para grandes pecadores, e que, portanto, ele pode ser misericordioso para conosco.

 

verso 2

Lava-me completamente da minha iniqüidade - literalmente, ". Multiply para me lavar" A palavra traduzida "deveras" é um verbo, quer no infinitivo ou imperativo humor, e sugere a ideia de "multiplicação" ou a referência é "crescente". ao que pode precisar de lavagens constantes ou repetidas, a fim de remover uma mancha adverbialmente para indicar a intensidade ou rigor. Na palavra lavar conforme aplicável para o pecado, veja as notas em Isaías 01:16 .

 

E purifica-me do meu pecado - removê-lo totalmente. Faça-me totalmente puro. Veja as notas em Isaías 01:16 . De que maneira ele esperava que isso seria feito é mostrado nas seguintes partes do salmo. Isso foi -

 

(a) pelo perdão do passado, Salmo 51: 9 ; e

 

(b) fazendo com que o coração puro e santo através da renovação e santificando influências do Espírito Santo, Salmo 51: 10-11 .

 

verso 3

Pois eu conheço as minhas transgressões - literalmente, eu sei, ou fazer conhecido. Ou seja, ele sabia que ele era um pecador, e ele não procurou encobrir ou esconder esse fato. Ele veio com o conhecimento de que a si mesmo; ele estava disposto a fazer o reconhecimento de que diante de Deus. Não houve tentativa de escondê-lo; desculpá-lo. Compare as notas no Salmo 32: 5 . A palavra "" para "" não implica que ele se referia a sua vontade de confessar seus pecados como um ato de mérito, mas isso indica um estado de espírito que era necessário para o perdão, e sem o qual ele não poderia esperar o perdão.

 

Eo meu pecado está sempre diante de mim - ou seja, ele está agora constantemente diante de minha mente. Não tinha sido assim até que Nathan trouxe vividamente a sua lembrança ( 2 Samuel 12: 1 ff); mas depois que ele foi continuamente em sua opinião. Ele não podia virar sua mente dele. A memória de sua culpa seguiu-o; -o pressionado sobre ele; que o assombrava. Não era de admirar que este era assim. O único motivo de admiração no caso é que ele não ocorreu "antes" Nathan fez esse apelo solene a ele, ou que ele poderia ter sido por um momento insensível à grandeza de seu crime. Toda a transação, no entanto, mostra que as pessoas "podem" ser culpado de pecados enormes, e ter por um longo tempo sem sentido de sua criminalidade; mas que "quando" a consciência de culpa é feito para voltar para casa para a alma, nada vai acalmá-lo. Tudo faz lembrar a alma dela; e nada vai afastar sua lembrança. Em tal estado o pecador não tem refúgio - nenhuma esperança de paz permanente -, mas na misericórdia de Deus.

 

verso 4

Contra ti, contra ti somente, pequei - isto é, o pecado, considerada como uma ofensa contra Deus, agora apareceu a ele tão grande e tão agravada, que, no momento, ele perdeu de vista considerado em qualquer outra da sua rolamentos. Ele "era" um pecado, como todos os outros pecados são, principalmente, e, principalmente, contra Deus; derivou sua enormidade chefe desse fato. Não devemos supor que David não acreditar e perceber que ele tinha feito de errado com as pessoas, ou que ele tinha ofendido contra as leis humanas, e contra o bem-estar da sociedade. Seu crime contra Urias e sua família era do caráter mais profundo e mais agravado, mas ainda o delito derivou seu heinousness chefe do fato de que era uma violação da lei de Deus. O estado de espírito aqui ilustrado é o que ocorre em todos os casos de verdadeira penitência. Não é apenas porque aquilo que tem sido feito é uma violação da lei humana; não é que ela nos traz à pobreza ou desgraça; não é que ele nos expõe à punição na terra de um pai, um professor, ou governante civil; não é que ele nos expõe à punição no mundo por vir: ele é que ele é em si mesmo, e para além de todas as outras relações e conseqüências ", uma ofensa a Deus;" uma violação de sua lei puro e santo; um mal feito contra ele, e à sua vista. A menos que haja esse sentimento não pode haver verdadeira penitência; e se não houver esse sentimento não pode haver esperança de perdão, porque Deus perdoa ofensas apenas como cometidos contra si mesmo; não como envolvendo-nos consequências perigosas, ou como cometido contra nossos semelhantes.

 

E fiz o que é mal à tua vista - ou, se o teu olho foi fixado em mim. Compare as notas em Isaías 65: 3 . Deus viu o que tinha feito; e David sabia, ou deveria saber, que o olho de Deus estava sobre ele na sua maldade. Foi-lhe então um grande agravamento do seu pecado que ele tinha "ousou" a cometê-lo quando ele "sabia" que Deus viu tudo. A presença de uma criança - ou mesmo de um idiota - Restringiriam pessoas de muitos atos de pecado que se arriscaria a cometer se sozinho; Quanto mais devemos o fato de que Deus está sempre presente, e sempre vê tudo o que é feito, restringir-nos de aberto e da transgressão em segredo.

 

Para que sejas justificado quando falares - Para que a tua personagem pode ser justificado em tudo o que tens dito; na lei que tens revelado; na condenação do pecado em que a lei; e na punição que possas designar. Ou seja, ele reconheceu sua culpa. Ele não procurou desculpas para ele, ou para reivindicar isso. Deus estava certo e ele estava errado. O pecado merecia tudo o que Deus em sua lei "tinha", declarou ele para merecer; que merecia tudo o que Deus por qualquer frase que ele poderia passar sobre ele "iria" declará-la para merecer. O pecado foi tão agravada que "qualquer" sentença que Deus pode pronunciar não seria além da medida do seu mal-deserto.

 

E puro quando julgares - Ser considerado como certo, santo, puro, no julgamento que possas designar. Veja este mais plenamente explicadas nas notas em Romanos 3: 4 .

 

verso 5

Eis que eu nasci na iniqüidade - O objeto deste importante verso é para expressar o profundo sentimento que David teve de sua depravação. Nesse sentido foi derivado do fato de que este não era um pensamento repentino, ou um mero ato externo, ou uma ofensa cometida sob a influência de uma forte tentação, mas que era o resultado de toda uma corrupção de sua natureza - de uma depravação profunda de coração, correndo de volta para o próprio início de seu ser. A ideia é, que ele não poderia ter cometido esse crime, a menos que ele tinha sido completamente corrupto, e sempre corrupta. O pecado era tão hediondo e agravado "como se" em sua própria concepção e nascimento não havia nada, mas depravação. Ele olhou para o seu, o pecado, e ele olhou para trás para sua própria origem, e ele deduziu que aquele demonstrado que no outro não havia nenhuma coisa boa, nenhuma tendência à bondade, nenhum germe do bem, mas que não havia mal, e somente o mal; como quando se olha para uma árvore, e vê que dá fruto azedo ou venenosa, ele infere que é na própria natureza da árvore, e que não há nada mais na árvore, desde a sua origem, mas uma tendência a produzir apenas como frutas.

 

Claro, a idéia aqui não é para lançar reflexões sobre o caráter de sua mãe, ou para se referir a seus sentimentos em relação à sua concepção e nascimento, mas o design é para expressar o seu profundo senso de sua própria depravação; a depravação tão profunda como para demonstrar que ele deve ter tido a sua origem no início de sua existência. A palavra traduzida "Eu nasci" - חוללתי chôlaletiy - é de uma palavra - חול Chul - o que significa que corretamente, "a virar-se, torcer, a girar", e, em seguida, vem a significar "a torcer-se com a dor, a contorcer-se", e, em seguida, ele é usado especialmente com . referência às dores do parto Isaías 13: 8 ; Isaías 23: 4 ; Isaías 26:18 ; Isaías 66: 7-8 ; Micah 4:10 . Esse é o significado aqui. A idéia é simplesmente que ele "nasceu" em iniqüidade; ou que ele era um pecador quando ele nasceu; ou que o seu pecado poderia ser rastreada até ao seu nascimento - como se poderia dizer que ele nasceu com o amor pela música, ou com um amor pela natureza, ou com um otimista, um fleumático, ou um temperamento melancólico.

 

Não há na palavra hebraica alguma idéia correspondente à palavra "" shapen "," como se ele tivesse sido "formado" ou "moldado" dessa maneira pelo poder divino; mas todo o significado da palavra está esgotada, dizendo que seu pecado poderia ser rastreada até ao seu "próprio nascimento;" que era tão profunda e agravado, que poderia ser contabilizadas - ou que ele poderia expressar o seu sentido de que - de outra maneira, do que dizendo que ele "nasceu um pecador." como é que isso ocorreu, ou como ele foi conectado com o primeiro apostasia em Adão, ou como o fato de que ele nasceu, portanto, poderia ser justificado, não se intimidou, nem é aludido. Não há nenhuma indicação de que o pecado de alguém foi "imputada" a ele; ou que ele era "responsável" pelo pecado de Adão; ou que ele era culpado "por conta de" pecado de Adão, por sobre estes pontos, o salmista não faz nenhuma afirmação. É digno de nota, ainda, que o salmista não se esforçar para "desculpa" a sua culpa pela razão de que ele era "" carregado "" em iniqüidade; nem ele aludir a esse fato com qualquer propósito de "exculpating" a si mesmo. O fato de que ele nasceu, portanto, apenas aprofundou o seu sentido de sua própria culpa, ou mostraram a enormidade do crime que foi o resultado regular ou surto de que a depravação Carly. Os pontos, portanto, que são estabelecidos por esta expressão do salmista, tanto quanto a linguagem é projetado para ilustrar como a natureza humana é concebida, são

 

(1) que as pessoas nascem com uma propensão para o pecado; e

 

(2) que este facto não nos desculpar em pecado, mas tende a agravar e aprofundar a nossa culpa.

 

A língua não mais do que isso vale em relação à questão do pecado original ou depravação nativa. A Septuaginta concorda com esta interpretação - ἰδού γὰρ ἐν ανομίαις συνελήφθην idou gar en anomias sunelēfthēn Então Vulgata: em suma iniquitatibus concepto .

 

E em pecado me concebeu minha mãe - Margem, como em hebraico, "aquecer-me." Esta linguagem simplesmente rastreia o seu pecado de volta para o momento em que ele começou a existir. A expressão anterior traçou-lo para "o seu nascimento;" esta expressão remonta ao início da "vida", quando surgem os primeiros indícios de vida. A ideia é, "assim que começou a existir eu era um pecador; ou, eu tinha então uma propensão para o pecado - uma propensão, a triste prova e resultado do que é que enorme ato de culpa que eu tenha cometido ".

 

verso 6

Eis que amas a verdade no íntimo - A palavra traduzida "desejas", significa ter prazer em; deleitar-se; ea ideia é que isto só é agradável a Deus, ou isto só está de acordo com sua própria natureza. A palavra traduzida "interior", significa corretamente as rédeas, e é geralmente empregada para designar a sede da mente, os sentimentos, o intelecto. Compare as notas no Job 38:36 . A alusão é a "alma", e a idéia é que Deus poderia estar satisfeito com nada ", mas" pureza na alma. A "conexão" é a seguinte: David estava profundamente consciente de sua própria poluição; seu profundo, cedo, depravação nativa. Isso, em sua própria mente, ele contrastou fortemente com a natureza de Deus, e com o que Deus deve exigir, e estar satisfeito com. Ele "sentiu" que Deus não poderia aprovar ou ama um coração como o seu, tão vil, tão poluída, tão corrupto; e ele sentiu que era necessário que ele deveria ter um coração puro, a fim de se reunir com o favor de um Deus tão santo. Mas como foi que a ser obtido? Sua mente de uma vez advertido para o facto de que só poderia vir de Deus; e, portanto, o salmo agora muda de confissão a oração. O salmista roga encarecidamente Salmo 51: 7-10 que Deus "se", assim, limpar e purificar sua alma.

 

E na parte oculta - Na parte secreta; o coração; as profundezas da alma. A limpeza era para começar em que foi escondida dos olhos do homem; na própria alma. Sabedoria, heavenly, poupando sabedoria, era ter a sua sede lá; a limpeza necessária não era mera purificação externa, foi a purificação da própria alma.

 

Me fazes conhecer a sabedoria - só Tu podes me permita compreender o que é verdadeiramente sábio. Esta sabedoria, esta limpeza, este conhecimento da maneira em que um homem culpado pode ser restaurado para favorecer, pode ser transmitido apenas por ti; e "tu fazê-lo." Há aqui, portanto, ao mesmo tempo, um reconhecimento da verdade que este "deve" vir de Deus, e um ato de fé, ou uma forte garantia de que ele "iria" dar este.

 

verso 7

Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo - Na palavra hissopo, ver as notas no John 19:29 ; observa em Hebreus 09:19 . A planta ou erva foi muito usada pelos hebreus em suas purificações sagradas e sprinklings: Êxodo 00:22 ; Levítico 14: 4 , Levítico 14: 6 , Levítico 14:49 , Levítico 14:51 ; 1 Reis 04:33 . Sob este nome os hebreus parecem ter compreendido não só a "hissopo" comum das lojas, mas também outras plantas aromáticas, como hortelã, manjerona silvestre, etc. - Gesenius, "Lexicon" A ideia do salmista aqui, evidentemente, não é que a mera aspersão com hissopo iria fazê-lo limpo; mas ele reza para que a limpeza dos quais a aspersão com hissopo era um emblema, ou que foi concebido para ser representado por isso. Toda a estrutura do salmo implica que ele estava buscando uma mudança "interno", e que ele não depende de qualquer mera ordenação para fora ou rito. A palavra traduzida por "purga" é da palavra חטא Chata ' ". para o pecado" - o que significa No Piel formar que significa assumir a culpa (ou "perda") para qualquer coisa; e depois para "expiar, para fazer expiação, para expiar:" Gênesis 31:39 ; Levítico 06:26 ; Números 19:19 . Aqui ele transmite a noção de purificação do pecado "por" um rito sagrado, ou por aquilo que foi representado por um rito sagrado. A ideia era que o pecado era para ser removido ou retirado, para que ele possa ser livre a partir dele, ou que "que" pode ser realizado, que foi representada pela aspersão com hissopo, e que a alma possa ser feito puro. Lutero tornou-lo com muita força - Entsundige mich mit Ysop- "Unsin-me com hissopo".

 

Lava-me - Ou seja, limpa-me. O pecado é representado como "profanação", e a ideia de "lavagem"-lo fora é muitas vezes empregada nas Escrituras. Veja as notas em Isaías 01:16 .

 

E ficarei mais alvo do que a neve - Veja as notas em Isaías 1:18 . A oração é, para que pudesse ser feita "totalmente" limpo; que pode haver nenhuma poluição remanescente em sua alma.

 

verso 8

Faze-me ouvir júbilo e alegria - isto é, a voz de perdão, fazendo com alegria e júbilo. O que ele queria ouvir era a voz tipo de Deus em pronunciar o seu perdão; não a voz de raiva e condenação. Deus agora o condenou. A lei o condenou. Sua própria consciência o condenava. O resultado foi a angústia e tristeza. A carga foi grande e avassalador - como para esmagá-lo; para quebrar todos os seus "ossos". Ele desejava ouvir a doce voz de perdão, pelo qual ele pode ter paz, e pela qual sua alma possa ser feito para se alegrar. Compare as notas no Salmo 32: 1-2 .

 

Que os ossos que tu quebraste podem regozijar-se - isto é, que tenham sido esmagados ou quebrados pelo peso do pecado. Compare as notas no Salmo 32: 3 . Veja também Salmo 6: 2 ; Salmo 22:14 ; Sl 31:10 ; Sl 38: 3 . A palavra "alegrar-se" significa aqui, ser livre de sofrimento; a oração é que o fardo que ele havia esmagado pode ser removido.

 

verso 9

Esconder teu rosto dos meus pecados - Ou seja, não olhar sobre eles; evitar o teu rosto deles; não considerá-los. Compare as notas no Salmo 13: 1 .

 

E apagar todos os iniqüidades minas - Leve-os inteiramente de distância. Deixe a conta ser apagada, cancelado, destruído. Veja as notas no Salmo 51: 1 .

 

verso 10

Cria em mim um coração puro, ó Deus - A palavra traduzida por "criar", ברא Bera ' - é uma palavra que está devidamente empregado para designar um ato de "criação", isto é, de causar algo existir onde não havia nada antes. É a palavra que é usada em Gênesis 1: 1 : "No princípio Deus" criou "o céu ea terra", e que é comumente usado para expressar o ato de criação. Ela é usada "aqui", evidentemente, no sentido de causar que existir que não existia antes; e há claramente um reconhecimento do divino "poder", ou um sentimento por parte de Davi, que isso poderia ser feito somente por Deus. A ideia é, no entanto, não que uma nova "substância" pode ser trazido à existência para o qual o nome de "um coração puro" pode ser dada, mas que ele poderia "ter" um coração puro; que o seu coração possa ser feito puro; que os seus afetos e sentimentos podem ser feitas à direita; que ele poderia ter o que ele estava consciente de que ele fez "não" agora possuem - uma limpa ou um coração puro. Isso, segundo ele, poderia ser produzido apenas pelo poder de Deus; ea passagem, portanto, prova que é uma doutrina do Antigo Testamento, como é do New, que o coração humano é alterada apenas por uma agência divina.

 

E renova um espírito reto dentro de mim - Margem, a palavra hebraica "um espírito constante." - נכון nākûn - significa corretamente, o que é "erguer", ou o que é feito para se levantar, ou que é firme ou estabelecida. É usado para denotar

 

(a) o que está na posição vertical, direita, adequada: Êxodo 08:26 ; Jó 42: 8 ; Salmo 5: 9 ;

 

(b) o que é correto, verdadeiro, sincero, Salmo 78:37 ;

 

(C) aquilo que é firme, constante, fixo.

 

Este parece ser o significado aqui. Ele ora por um coração que iria ser firme nos propósitos de virtude; que não iria ceder à tentação; , que iria realizar resoluções santos; que seria fiel a serviço de Deus. A palavra "renovar" aqui significa ser ou fazer nova; para produzir algo novo. Ele também é usado no sentido de fazer de novo, como aplicado a edifícios ou cidades, no sentido de "reconstrução" ou "reparação" eles: Isaías 61: 4 ; 2 Crônicas 15: 8 ; 2 Crônicas 24: 4 . A palavra aqui seria naturalmente transmitir a ideia de que tinha havido anteriormente um espírito correto e apropriado nele, que ele orou pode agora ser restaurado. A linguagem é a de alguém que tinha feito para a direita anteriormente, mas que havia caído em pecado, e que desejava que ele pudesse ser trazido de volta ao seu antigo estado.

 

verso 11

Não me lances fora da tua presença - Ou seja, Não me rejeitar ou me rejeitaste inteiramente; Não me abandone; não me deixe em meu pecado e tristeza. A linguagem é derivada da idéia de que a verdadeira felicidade é encontrada na "presença" de Deus, e que, para ser exilado dele é miséria. Compare Salmo 16:11 , nota; Salmo 31:20 , nota. Veja também o Salmo 140: 13 .

 

E tomar Espírito Santo não te de mim - Não é certo que David compreendido pela frase "Teu Espírito Santo" precisamente o que agora é denotada por ele como referindo-se a terceira pessoa da Trindade. A linguagem, como o usado por ele, que denotam alguma influência vinda de Deus a santidade produzindo, "como se" Deus soprou seu próprio espírito, ou o seu próprio ser, na alma. A linguagem, no entanto, é apropriado para ser usado no sentido mais elevado e mais definido em que está agora empregada, como denotando que o Espírito sagrado - o Espírito Santo - por quem o coração é renovado, e por quem o conforto é transmitida para a alma . Não é necessário supor que os escritores inspirados do Antigo Testamento tinha uma compreensão total e completa do significado das palavras que eles empregaram, ou que eles apreciado tudo o que suas palavras poderiam adequadamente transmitir, ou a plenitude de significação em que pode ser adequadamente utilizado nos tempos do Evangelho. Compare as notas em 1 Pedro 1: 10-12 . A linguagem usada aqui por David - "tomar não" - implica que ele tinha sido anteriormente na posse daquilo que ele agora procurado. Ainda havia em seu coração que o que pode ser considerado como a obra do Espírito de Deus; e ele orou fervorosamente que isso não pode ser inteiramente retirado por causa de seu pecado, ou que ele pode não ser inteiramente abandonada ao desespero.

 

verso 12

Restitui-me a alegria da tua salvação - literalmente, "Porque a alegria da tua salvação para voltar." Isto implica que ele tinha conhecido anteriormente que era a felicidade de ser um amigo de Deus, e de ter uma esperança de salvação. Essa alegria tinha sido tomada por ele e por seu pecado. Ele tinha perdido a sua paz de espírito. Sua alma estava triste e melancólico. O pecado sempre produz esse efeito. A única maneira de apreciar a religião é fazer o que é reto; a única maneira de conseguir o favor de Deus é obedecer suas ordens; a única maneira em que podemos ter provas reconfortante de que somos seus filhos é fazendo o que deve ser agradável para ele: 1 João 2:29 ; 1 João 3: 7 , 1 João 3:10 . O caminho do pecado é um caminho escuro, e nesse caminho nem esperança nem o conforto pode ser encontrado.

 

E sustém-me com um espírito voluntário - Ou seja, sustentar-me; manter-me de cair. As palavras "" com o teu "" não estão no original, e não há nada lá para indicar que pela palavra "espírito" o salmista refere-se ao Espírito de Deus, embora deva ser observado que não há nada "contra" tal uma suposição. A palavra traduzida "livre" - נדיב nâdıyb - significa propriamente "dispostos, voluntário, pronto, pedir;" 1 Crônicas 28:21 ; Êxodo 35: 5 . Em seguida, a palavra significa liberal, generoso, de mente nobre; Isaías 32: 5 , Isaías 32: 8 ; Provérbios 17: 7 , Provérbios 17:26 . Afigura-se aqui para significar "a" dispostos "espírito", referindo-se a própria mente ou espírito de Davi; ea oração é que Deus iria defender ou sustentá-lo "em" um espírito "dispostos" ou estado de espírito; ou seja, um estado de espírito em que ele iria "dispostos" e "pronto" para obedecer a todos os mandamentos de Deus, e servi-lo fielmente. O que ele orei por graça e força que ele poderia ser "mantida" em um estado de espírito que seria constante e firme Salmo 51:10 , e um estado em que ele iria sempre ser encontrada "dispostos" e pronto a guardar os mandamentos de Deus. É um objeto próprio de oração por tudo o que eles podem ser mantidos sempre em um estado de espírito em que eles estarão dispostos a fazer tudo o que Deus requer deles, e de suportar tudo o que pode ser colocado sobre eles.

 

verso 13

Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos - Como uma expressão de gratidão, e como o resultado de sua própria experiência dolorosa. Ele iria mostrar-lhes, a partir dessa experiência, o mal e a amargura do pecado em si mesmo; ele iria mostrar-lhes o que terríveis consequências do pecado deve ser sempre seguido; ele iria mostrar-lhes a natureza de verdadeiro arrependimento; ele iria mostrar-lhes o que era necessário, a fim de que o pecado pode ser perdoado; ele iria encorajá-los a chegar a esse Deus que o havia perdoado. Então, o Salvador cobrado Peter, de sua própria experiência amarga em ter caído sob o poder da tentação, para fortalecer e encorajar aqueles que estavam lutando com a depravação de seus próprios corações, e que estavam em perigo de cair: "E quando você se converter , confirma teus irmãos ", Lucas 22:32 .

 

E pecadores se converterão a ti - Eles veriam a partir de seu caso do mal da transgressão; eles iriam aprender com seu exemplo que a misericórdia pode ser encontrado; eles seriam convencidos a fugir da ira vindoura. A melhor preparação para o sucesso em ganhar almas para Deus, e transformá-los do erro de seus caminhos, é uma profunda experiência pessoal da culpa e do perigo do pecado, e da grande misericórdia de Deus em seu perdão. Nenhum homem pode esperar para ser bem sucedido que não tenha experimentado isso em sua própria alma; ninguém que tenha, trabalhará totalmente em vão, de tal trabalho.

 

verso 14

Livra-me de sangue-culpa, ó Deus - Margem, como em hebraico, "sangues". Por isso, é prestados pela Septuaginta e da Vulgata Latina. Luther torna "sangue-culpa." DeWette, Compare "do sangue." Isaías 4: 4 . A forma "plural" - "sangues" - é usado provavelmente para marcar "intensidade", ou para denotar "grande" culpa. A alusão é a culpa do derramamento de sangue, ou tirar a vida (compare Gênesis 9: 5-6 ), e a referência é, sem dúvida, a sua culpa em causar Urias, marido de Bate-Seba, para ser morto. 2 Samuel 11: 14- 17 . Foi isso que pesou sobre a sua consciência, e encheu-o de alarme. A culpa deste orou pode ser levado embora, que ele poderia ter paz. O "fato" do derramamento de sangue nunca que poderia ser mudado; a "criminalidade" real desse fato seria sempre o mesmo; o "crime" em si nunca poderia ser declarado inocência; seu próprio pessoal "doente deserto", por ter causado o derramamento de sangue que seria sempre; mas o pecado seja perdoado, e sua alma poderia, assim, encontrar a paz.

 

A pena pode ser remetido, e, embora culpado, ele pode ter a certeza do favor divino. Ele não poderia, de fato, reparar o mal a Urias - por "ele" tinha ido além do poder de David para o bem ou para o mal - mas ele poderia fazer muito para expressar o seu sentido de errado; ele poderia fazer muito para salvar os outros de um curso similar; ele poderia fazer muito em benefício da sociedade, mantendo os outros da culpa como. Ele não poderia, de fato, lembro Urias da sepultura, e reparar o mal que tinha feito a "ele", mas ele pode salvar os outros de tal crime, e assim preservar muitos um tempo de vida útil dos efeitos das paixões culpados sem restrições. Não podemos, de fato, pela penitência recordar aqueles a quem temos assassinado; não podemos restaurar a pureza àqueles que têm seduzido; não podemos restaurar a confiança ao jovem a quem pode ter feito um cético; mas podemos fazer muito para impedir os outros de pecado, e muito para beneficiar o mundo, mesmo quando temos sido culpados de erros que não podem ser reparados.

 

Deus da minha salvação - Em quem eu sou dependente de salvação; que estás sozinho a fonte de salvação para mim.

 

E a minha língua louvará altamente a tua justiça - Comparar as notas no Salmo 35:28 .

 

verso 15

O Senhor, abre tu meus lábios - isto é, por tirar a minha culpa; dando-me provas de que meus pecados são perdoados; tomando este fardo de mim, e encher meu coração com a alegria do perdão. A palavra original é no tempo futuro, mas o significado é bem expressa na nossa tradução comum. Houve, de fato, ao mesmo tempo, uma expectativa confiante de que Deus "se", assim, abrir seus lábios, e um desejo que ele deve fazê-lo.

 

E minha boca manifestará teu louvor - Ou, eu te louvarei. O louvor é a expressão natural dos sentimentos quando o sentido do pecado é removida.

 

verso 16

Para tu não te sacrificar ... - nas palavras proferidas neste verso "sacrifício" e "holocausto", veja as notas em Isaías 01:11 . No sentimento principal aqui expresso - que Deus não "desejo" tais sacrifícios - ver as notas no Salmo 40: 6-8 . A idéia aqui é, que qualquer mera oferta externa, no entanto preciosos ou onerosa que seja, não era o que Deus exigia, em tais casos. Ele exigiu a expressão de arrependimento profundo e sincero; os sacrifícios de um coração contrito e de um espírito quebrado: Salmo 51:17 . Nenhuma oferta sem que isso poderia ser aceitável; nada sem isso poderiam conseguir o perdão. Em meros sacrifícios exteriores - em si mesmas ofertas sangrentas, não acompanhados com a expressão de penitência genuína, Deus não poderia ter nenhum prazer. Esta é uma das inúmeras passagens do Antigo Testamento que mostram que as ofertas externas da lei eram sem valor a menos que acompanhado pela religião do coração; ou que a religião judaica, tanto quanto ele abundava em formas, mas exigia que as ofertas de corações puros, a fim de que o homem pode ser aceitável a Deus. Sob todas as dispensas a verdadeira natureza da religião é a mesma. Compare as notas em Hebreus 9: 9-10 . A frase "senão eu daria," na margem ", que eu deveria dar-lhe," expressa uma vontade de fazer tal oferta, se fosse necessário, enquanto, ao mesmo tempo, há a declaração implícita de que teriam valor sem o coração.

 

verso 17

Os sacrifícios para Deus - os sacrifícios que Deus deseja e aprova; os sacrifícios sem a qual nenhuma outra oferta seria aceitável. David sentiu que aquilo que aqui especificado foi o que foi exigido no seu caso. Ele havia pecado gravemente; e o sangue dos animais oferecidos em sacrifício não poderia colocar seu pecado, nem nada poderia removê-lo a menos que o coração eram a própria penitente e contrita. A mesma coisa é verdade agora. Apesar de ser um sacrifício mais perfeito de toda a maneira aceitável a Deus, tem sido feito para a culpa humana pelo Redentor, mas é tão verdadeiro quanto estava sob a antiga dispensação em relação aos sacrifícios exigidos, que mesmo que não vai aproveitar para nós a menos que sejamos verdadeiramente penitentes; a menos que nós estamos diante de Deus com um coração contrito e humilde.

 

São um espírito quebrado - Uma mente partidos ou esmagados sob o peso da culpa consciente. A ideia é a de uma carga colocada sobre a alma, até que é esmagado e moderada.

 

A um coração quebrantado e contrito - A palavra traduzida meios contritos a ser partidos ou esmagados, como quando os ossos estão quebrados, Salmo 44:19 ; Sl 51: 8 ; e, em seguida, ele é aplicado ao mente ou coração como o que é esmagado ou quebrado pelo peso de culpa. A palavra não diferir materialmente o termo "quebrado". Os dois juntos constituem a intensidade de expressão.

 

Tu não desprezar - Tu não tratar com desprezo ou desrespeito. Isto é, Deus iria olhar para eles com favor, e tal coração que ele iria conceder sua bênção. Veja as notas em Isaías 57:15 ; notas em Isaías 66: 2 .

 

verso 18

Fazer o bem a tua boa vontade a Sião - Do próprio - a sua profunda tristeza, sua culpa consciente, a sua fervorosa oração para o perdão e salvação - o salmista se volta para Sião, para a cidade de Deus, o povo do Senhor. Estes, depois de tudo, estava mais perto de seu coração do que a sua própria salvação pessoal; e esses seus pensamentos se voltaram naturalmente, mesmo em conexão com sua própria angústia profunda. Tal oração como é aqui oferecido ele também seria mais naturalmente levou a oferecer a partir da lembrança de a desonra que ele tinha trazido sobre a causa da religião, e era natural para ele rezar para que sua própria conduta pode não ter o efeito de dificultando a causa de Deus no mundo. Os salmos muitas vezes tomam neste turno. Onde eles começam com uma referência pessoal ao próprio autor, os pensamentos muitas vezes terminam em uma referência a Sião e para a promoção da causa da religião no mundo.

 

Edifica os muros de Jerusalém - É esta expressão em que De Wette, Doederlein e Rosenmuller confiar na prova de que este salmo, ou uma parte dele esta, foi composta em um período posterior do que o tempo de Davi, e que deve ter foram escritos no tempo do cativeiro, quando Jerusalém estava em ruínas. Veja a introdução ao salmo. Mas, como foi observado lá, não é necessário adoptar esta suposição. Há duas outras soluções de dificuldade, cada um dos quais se encontrariam tudo o que está implícito na língua.

 

(A) Um deles é, que os muros de Jerusalém, que David se tinha comprometido a construir, e não foram ainda completa, ou que as obras públicas iniciadas por ele para a proteção da cidade não tinha sido concluído no momento do caso fatal de Urias. Não há nada na história que proíbe esta suposição, ea língua é tal que seria usado por David na ocasião, se ele tivesse sido realmente empenhado em completar as paredes da cidade, e tornando-inexpugnável, e se seu coração estava intensamente fixo na realização do trabalho.

 

(b) A outra suposição é que esta é a linguagem figurativa - uma oração que Deus iria favorecer e abençoar seu povo como se a cidade estava a ser protegido por muros, e, assim, rendeu a salvo de um ataque pelo inimigo. Tal linguagem é, de facto, frequentemente utilizado nos casos em que não puderam ser pretendeu que foi concebido para ser literal. Veja Jude 1:20 ; Romanos 15:20 ; 1 Coríntios 3:12 ; Gálatas 2:18 ; Efésios 2:22 ; Colossenses 2: 7 .

 

verso 19

Então te satisfeitos com os sacrifícios de justiça - " Então", isto é, quando Deus deveria ter, assim, mostrou favor a Sião; quando ele deveria ter derramou a sua bênção sobre Jerusalém; quando a religião deve prosperar e prevalecer; quando deve haver um aumento da adoração pura de Deus. Em tais ofertas como seria ", depois" ser feitas - em sacrifícios não apresentados na mera forma, mas com sinceridade, humildade e penitência - na oferta externa de sangue apresentados com uma sinceridade de sentimento correspondente, e com verdadeira contrição, e uma adequada reconhecimento da culpa projetado para ser representado pelo derramamento de sangue em sacrifício - Deus ficaria satisfeito, e aprovaria o culto, assim, rendeu a ele. Sacrifício, então, seria aceitável, pois não seria apresentado como uma mera forma, mas seria tão oferecidos, que poderia ser chamado de "sacrifício de justiça" - um sacrifício oferecido com um espírito reto; de uma maneira que Deus consideraria direita.

 

Com holocausto - Veja as notas em Isaías 01:11 .

 

E toda holocausto - A palavra aqui significa aquilo que é totalmente consumida, nenhuma parte do que foi reservado para ser comido pelos sacerdotes, como foi o caso em muitos dos sacrifícios. Veja Deuteronômio 33:10 . Compare Levítico 6: 9 ; Levítico 1: 3-17 .

 

Então serão oferecidos novilhos sobre o teu altar - Ou seja, então, serão oferecidos novilhos. O significado é que todas as ofertas prescritas na lei seriam levados então, e que esses sacrifícios seria feito com um espírito reto - um espírito de verdadeira devoção - a oferta do coração que acompanha a forma exterior. Em outras palavras, não seria manifestado o espírito de adoração humilde; religião de pura. NOTAScomentario bíblico Albert Barnes( A.T)

 

 

  SUBSIDIO(9) JUVENIS O SIGNIFICADO DE LOUVAR AO SENHOR

                               Salmos 33.1-14.

1 - Regozijai-vos no Senhor, vós, justos, pois aos retos convém o louvor.

2 - Louvai ao Senhor com harpa, cantai a ele com saltério de dez cordas.

3 - Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo.

4 - Porque a palavra do Senhor é reta, e todas as suas obras são fiéis.

5 - Ele ama a justiça e o juízo; a terra está cheia da bondade do Senhor.

6 - Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito da sua boca.

7 - Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe os abismos em tesouros.

8 - Tema toda a terra ao Senhor; temam-no todos os moradores do mundo.

9 - Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu.

10 - O Senhor desfaz o conselho das nações; quebranta os intentos dos povos.

11 - O conselho do Senhor permanece para sempre; os intentos do seu coração, de geração em geração.

12 - Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para a sua herança.

13 - O Senhor olha desde os céus e está vendo a todos os filhos dos homens;

14 - da sua morada contempla todos os moradores da terra.

 

Professor, para aguçar a curiosidade de seus alunos, questione-os sobre o significado da palavra "Haleluia". Depois de ouvir as respostas, informe-os que o termo procede do hebraico halal, "louvor", "júbilo", e da contração, Yah, do nome sagrado Yahweh, traduzido "já" em algumas versões do Sl 68.4. Literalmente significa "Louvemos a Yâh (Já)" ou "Louvemos ao Senhor". O modo imperativo, "louvemos", é um convite litúrgico para celebrarmos o glorioso nome do Senhor nosso Deus.

 

 

ORIENTAÇÃO 

Professor, cada aluno é singular e aprende de modo específico. Os educandos mais analíticos aprendem quando a lição e minuciosamente exposta. Os mais dinâmicos prendem através de atividades que os desafiem a descobrir novos conceitos. Os interativos aprendem ao interagirem com o grupo e quando são estimulados por uma situação concreta. Por fim, os pragmáticos aprendem quando executam uma atividade relacionada à lição. Por conseguinte, o professor deve ser um facilitador da aprendizagem, possibilitando, por meio de variados métodos, diversas situações de aprendizagem.

Palavra Chave

Música: Arte e ciência de combinar os sons de modo agradável.

Entoar louvores a Deus também faz parte das disciplinas da vida cristã. Aliás, o maior livro das Sagradas Escrituras é o de Salmos. No Saltério Hebreu, Davi, Asafe, Salomão, Moisés, os filhos de Jedutum e os de Corá, enaltecem sublime e altissonantemente o Deus de Israel. Quer lhe cantando os atributos, quer lhe cantando as obras, deixam mui claro que não há Deus como o de Israel.

 

  1. O QUE É O CÂNTICO CONGREGACIONAL

 

Neste tópico, entraremos a ver duas coisas: a música sacra e o cântico congregacional.

  1. A música sacra. É a arte que, dispondo das ciências musicais e acústicas, das cordas vocais e de instrumentos músicos, tem por objetivo primacial enaltecer a Deus como o Criador e Mantenedor de todas as coisas através da harmonia, melodia e ritmo (1 Cr 16.23; Sl 96.1). Jubal foi o primeiro ser humano a interessar-se pela arte musical (Gn 4.21).
  2. O cântico congregacional. É a participação de toda a congregação dos fiéis nos hinos em louvor ao Todo-Poderoso. O cântico congregacional teve início com o rei Davi, segundo podemos depreender, da história do Filho de Jessé; atinge, porém, o auge no reinado de Salomão. O primeiro organizou os músicos e cantores em turnos e corais (1 Cr 23.1-26.32); o segundo sustentou-os, a fim de que o culto a Jeová fosse coroado de glória e divino resplendor (2 Cr 5.12-14)..

 

  1. OS FUNDAMENTOS DA MÚSICA SACRA

 

  1. O preparo teológico dos músicos e compositores bíblicos. Os compositores bíblicos foram notáveis teólogos. Autor do Salmo 90, foi Moisés o legislador dos hebreus e o maior profeta do Antigo Testamento (Dt 34.10). Quanto a Davi, considerado profeta do Senhor, compôs a maioria dos salmos (At 2.29,30). Já Salomão, seu filho, celebrado pelo mesmo Deus como o mais sábio dos homens, além de compor os cantares, os provérbios e o Eclesiastes, deixou-nos um belíssimo salmo (Sl 127; Pv 1.1).

No Salmo 73, Asafe louva ao Senhor tratando de um dificílimo problema existencial: "Por que sofrem os justos". Jeremias, por seu turno, inspirado pelo Espírito Santo, cantou as tristezas e desditas da Cidade Santa. E os poemas de Isaías e de Habacuque? O primeiro cantou os sofrimentos do Messias, retratando-lhe o ministério com vivas cores. Como não chorar ante o capítulo 53 de seu livro? Já o segundo mostra a alegria que deve acompanhar o servo de Deus nas adversidades e tribulações.

  1. Qualificações de um músico verdadeiramente cristão. De um músico sacro exige-se não somente a arte, mas principalmente a correção doutrinária; ele é o teólogo que verseja o conhecimento bíblico. Com singular habilidade, harmoniza e ritma a verdadeira teologia. Aliás, parte da hinódia cristã foi composta por doutores nas Escrituras como Ambrósio, Martinho Lutero e Charles Wesley.

Infelizmente, com o esfriamento do amor à Palavra de Deus, a música sacra é logo substituída por arremedos melódicos e heréticos.

 

III. A MÚSICA NO CRISTIANISMO PRIMITIVO

 

A Igreja de Cristo, desde o seu nascedouro, compreendeu perfeitamente a função da música em sua liturgia.

  1. O exemplo do próprio Cristo (Mt 26.30). Na noite de sua paixão, o Senhor Jesus cantou um hino, mostrando que, mesmo nos momentos mais difíceis e lutuosos é possível entoar louvores ao Pai Celeste. Que hino era aquele? Provavelmente um dos salmos messiânicos de Davi. O Salmo 22? Um dos hinos pascais? Embora não o saibamos, de uma coisa temos absoluta certeza. Jesus ensina-nos que a música, autenticamente sacra, faz parte de nossas disciplinas espirituais; por intermédio destas, edificamos o nosso caráter e fortalecemos a nossa fé.
  2. A doutrina litúrgica de Paulo. Algumas vezes, confundimos liturgia com formalismo. Entre ambos, contudo, há abismais diferenças. Liturgia é o culto público que prestamos a Deus; formalismo, o culto que, embora belo, é destituído de seu real valor. Voltemos ao Novo Testamento. Sua liturgia era mui singela; entretanto, carregada de significados.

Quando nos reunimos, um tem salmo, outro apresenta cânticos espirituais e ainda outro, a doutrina cristã. E os dons espirituais? Este manifesta-se em línguas estranhas; aquele as interpreta. Este traz a revelação; aquele a palavra da ciência. Este a cura divina; aquele as maravilhas. Eis uma reunião verdadeiramente pentecostal.

Aliás, o apóstolo Paulo, à semelhança do Senhor Jesus, utilizava-se também, em suas devoções, a música sacra. Quando encarcerado em Filipos, de tal forma cantou juntamente com Silas, que o seu louvor a Deus veio a abalar os alicerces da prisão (At 16.25-31).

Tem você cantado ao Senhor?

É urgente voltarmos à música sacra. Deus merece (e reivindica) uma música de excelência.

                                      "Adoração diária a sós

A adoração como um estilo de vida diário começa na mais simples e mais óbvia das condições. É algo que cada um de nós pode fazer, porém algo que muitos negligenciam. Se você quiser viver toda a sua vida na maravilha da adoração, deve começar com seu tempo pessoal com Deus.

Talvez você esteja desapontado com o fato de ter sido lembrado de algo tão simples. Talvez você já tenha um tempo regular e compromissado para a adoração. Mas acredito que é impossível ser tudo o que Deus pretende para nós, se não estivermos dispostos a passar algum tempo para chegar a conhecê-Lo pessoalmente.

Também creio que o melhor momento para a maioria das pessoas é conseguir ficar a sós com Deus é de manhã - este período pode determinar como será o restante do seu dia. Deus deseja que você seja um servo melhor e mais efetivo possível. Então Ele mostrará e lhe dirá coisas que farão a diferença em momentos de crise durante as próximas doze horas, mais ou menos. Depois de você conversar com o Senhor e caminhar com Ele durante as suas tarefas do dia, Ele o fortalecerá e o encorajará a fazer de cada momento do seu dia um ato de adoração".(JEREMIAH, D. O desejo do meu coração. RJ: CPAD, 2006, p.56.)

"Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos escutavam" (At 16.25). O silêncio noturno foi cortado pelo suave cicio da oração. Os únicos instrumentos que acompanhavam o louvor dos acorrentados eram os grilhões soturnos. Na tormenta, Paulo e Silas adoravam! Na angústia, suplicavam! A dor foi vencida pela oração. A tristeza renegada pelo louvor a Deus. Somente os que descobriram o poder da oração e do louvor são capazes de adorar no centro do furacão. O turbilhão era apenas mais um ritmo para compor os mais melodiosos versos ao glorioso Senhor: "Andando eu no meio da angústia", dizia o salmista, "tu me revivificarás" (Sl 138.7). E assim ocorreu com os denodados missionários. O Deus que ouviu os apóstolos na prisão é o mesmo que atende as nossas orações e louvores hoje. Adoremos ao Senhor "na beleza da santidade". Se tremermos diante dEle, o cárcere estremecerá diante de sua majestosa presença (Sl 96.9).FONTE CPAD

 

 

 

 

 

   

SUBSIDIO(3) CPAD JUVENIS DEVER DE LOUVAR AO SENHOR

                  1 Pedro 2.5-10; Romanos 12.1.

 

1 Pedro 2

5 - Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.

6 - Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.

7 - E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina;

8 - e uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.

9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;

10 - vós que em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.

 

Romanos 12

1 - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

Professor, as três principais missões da Igreja no mundo são a evangelização, o ensino da Palavra de Deus e a adoração. Essa tríade representa as dimensões do relacionamento cristão: horizontal, central e vertical. A evangelização está relacionada à missão horizontal da igreja — a igreja e o mundo. O ensino das Escrituras diz respeito à missão central da igreja — a igreja e seus membros. A adoração refere-se à missão vertical da igreja — a igreja e Deus. Portanto, antes de ministrar a lição aos seus alunos, prorrompa em louvores e adoração ao nosso Deus, pois somente Ele é digno!

 

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, no Antigo Testamento encontramos diversos cânticos, hinos e louvores de adoração ao nome do Senhor. O livro de Salmos, por exemplo, é uma obra dedicada exclusivamente à composição hínica. O Novo Testamento também apresenta diversos cânticos primitivos que exaltavam ao Senhor Jesus Cristo (Fp 2.6-11; Cl 1.15-16). Alguns desses hinos são entoados por anjos (Lc 2.13), pessoas particulares (Lc 17.15,16; At 3.8) e grupos (At 2.46,47). No gráfico abaixo, seguem alguns cânticos famosos no Novo Testamento. Observe que na coluna da esquerda encontra-se o nome latino desses cânticos. Apresente aos alunos após a definição de adoração.

 

                                       INTRODUÇÃO

Palavra Chave

Adoração: O sentido original sugere o ato de inclinar-se perante alguém, a fim de reverenciar, venerar ou adorar.

Nesta lição, estudaremos a adoração como culto ao Senhor. Adoração em “espírito e em verdade”, como declarou Jesus em João 4.23,24. O apóstolo Pedro descreveu a igreja como “povo adquirido” e “povo de Deus” (1 Pe 2.9,10). O Senhor constituiu esse povo, a Igreja, para oferecer sacrifícios espirituais a Ele, diferentes daqueles anteriormente ofertados pelos filhos de Abraão, os quais perderam essa prerrogativa, por sua incredulidade e mero formalismo religioso (Mt 15.8,9).

  1. O QUE É ADORAÇÃO

 

  1. Adorar é um ato de rendição a Deus. Nas línguas bíblicas, o sentido do termo “adoração” é chegar-se a Deus de modo reverente, submisso e agradecido, a fim de glorificá-Lo. Adorar é um ato de total rendição, gratidão e exaltação jubilosa a Deus (Sl 95.6; 2 Cr 29.30; Mt 2.11). Éo Espírito Santo que habilita o crente a adorar com profundidade e temor a Deus (Jo 4.23,24; Ef 5.18,19; 1 Co 14.15; At 10.46; Fp 3.3).
  2. Adorar é um sublime ato de serviço a Deus. O servir a Deus tem relação direta com o adorar a Deus. O serviço que fazemos para Deus por amor e gratidão, sob o estímulo do Espírito Santo, é uma forma de adoração. Na verdade, como afirmou o pastor Russell Shedd: “o Senhor reivindica a totalidade do serviço dos seres a quem Ele resgatou e deu vida”.
  3. Adorar a Deus requer reverência. Deus é infinitamente sublime em majestade, poder, santidade, bondade, amor e glória. Por isso, devemos adorá-Lo e servi-Lo com toda reverência, fervor, zelo, sinceridade e dedicação (Hb 12.28,29). Portanto, adoração e reverência são elementos inseparáveis em nosso culto a Deus. Adorar é também exaltar e reconhecer que Deus é o Senhor, Criador de todas as coisas (Sl 95.3-6).

 

 

  1. A NATUREZA DA ADORAÇÃO
  2. Adorar é uma experiência interior. No Salmo 95.6,7, o salmista convida: “Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos! Ajoelhemos diante do SENHOR que nos criou. Porque ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e ovelhas da sua mão”. Ele exalta a Deus por aquilo que Ele é e faz. E sendo Deus infinito, há muitas maneiras de adorá-Lo, conforme o Espírito Santo nos ensina e dirige. A adoração a Deus, no qual vivemos, nos movemos e existimos, é, acima de tudo, uma atitude interior do ser humano, imagem e semelhança do Criador (At 17.28). Faz parte da estrutura espiritual de quem crê, teme, ama e serve ao Eterno, a necessidade interior de adorá-Lo (Ef 1.6,12,14).
  3. A adoração testifica da redenção. A Igreja tem um papel relevante no que diz respeito à obra redentora de Jesus. A Igreja não salva, mas é através dela que a salvação é difundida e recebida. O crente, que foi salvo da condenação do pecado, deve aqui viver em santidade prática, liberto do poder do pecado, e vencedor por Cristo, mediante a fé (Hb 11.17-39).

Na adoração e ministração da Palavra de Deus, a ignomínia do pecado é revelada e a necessidade de salvação é demonstrada (Sl 51.10-12,17; 32.5-7). O homem sob o poder do pecado não é capaz de avaliar o perigo eterno que aguarda aquele que é escravo do pecado. Mas, uma vez remido e salvo do pecado, o crente deseja adorar ao Senhor que o salvou (Sl 32.1,2; 34.15-22).

 

III. ADORAÇÃO E O SERVIÇO CRISTÃO PRESTADO A DEUS

 

  1. Adorar e servir ao Senhor (Mt 4.10; Ap 2.19). Liturgia é o conjunto dos elementos que compõem o culto de adoração a Deus. Em 2 Co 9.12, a palavra é traduzida por “serviço”, ao referir-se à coleta que se fazia durante o culto para auxílio dos missionários e irmãos necessitados (2 Co 8; 9). A oferta apresentada como gratidão a Deus, para o sustento de sua obra, é um ato de adoração (2 Co 9.7-12). O termo também é empregado em Filipenses 2.17,30, descrevendo o “serviço da fé”, isto é, o esforço pessoal empreendido pelo servo de Cristo a favor de sua obra. Portanto, essa palavra tem uma relação direta com o culto que fazemos a Deus, seja no serviço da adoração, contribuição financeira ou realização da obra do Senhor (Mt 4.10; Jo 16.2; Hb 9.9; Ap 2.19).

O apóstolo Pedro declara que, nós, a Igreja, somos templo espiritual edificado para a glória de Deus. A Igreja é, também, “um sacerdócio santo” para oferecer sacrifícios espirituais a Deus, o que se constitui um “serviço de adoração” (1 Pe 2.5,9).

  1. Adorar e estar unido a Cristo. Na adoração, a união entre Cristo e a Igreja é demonstrada na celebração da Santa Ceia do Senhor, nas figuras da “videira e seus ramos”, e da Igreja como “corpo de Cristo”.
  2. a) A Santa Ceia (Lc 22.14-20; 1 Co 11.23-34). A Santa Ceia, com todo o simbolismo bíblico envolvido, além de celebrar a unidade e a identificação da igreja com a vida, sofrimento e glória de Jesus Cristo, promove a comunhão fraternal entre os irmãos (Jo 6.48-58). Uma maravilhosa cerimônia de adoração, instituída pelo próprio Cristo (Mt 26.25-30; Mc 14.22-26).
  3. b) A Videira e os ramos (Jo 15.1-10). Essa alegoria descreve a união de Jesus com a sua Igreja, mediante as figuras dos ramos e do tronco (vv.3-5). Essa unidade é enfatizada na expressão: “Estai em mim, e eu, em vós” (Jo 15.4,6,7), e na palavra “permanecer” (vv.9,10,11). Permanecer diariamente nEle é a única maneira de vivermos renovados pela seiva, o Espírito Santo, que brota ininterrupto da vide (Jo 7.37-39; 8.31).
  4. c) Corpo de Cristo (Ef 1.22,23). Assim como a vida do ramo procede da seiva da videira (Jo 15.4,5), o corpo é vivificado enquanto está unido à cabeça. Portanto, a Igreja e Cristo constituem uma unidade santa indissociável, da qual cada crente participa, se permanecer nEle.

Não precisamos de qualquer talismã ou objeto, tido como sagrado, para desfrutarmos da presença, proteção e comunhão do Senhor Jesus Cristo. Ele tem de estar presente pelo Espírito Santo, no seio da Igreja e no coração dos crentes. Essa presença dinâmica faz fluir a adoração da Igreja através de cânticos, manifestação de dons espirituais e do ensino da Palavra de Deus.

 

                             “Concentre-se na Eternidade

Paulo nos diz em Colossenses 3.1,2 para pensarmos ‘nas coisas que são de cima’, não naquelas que são terrenas. Afinal, como ele diz, a nossa vida ‘está escondida com Cristo em Deus’. Nosso espírito habita com Ele nos lugares celestiais; por que deveríamos ficar confortáveis na sarjeta? [...] Seguem algumas idéias para você começar sua vida de louvor. Recomendo a seleção e a prática imediata de algumas.

  1. Louve a Deus através da música. Existe bastante boa música de louvor, mas minha sugestão é para que você escolha alguns bons hinos e de fato passe algum tempo ouvindo, meditando profundamente nas palavras e louvando a Deus através deles.
  2. Louve a Deus através de versículos das Escrituras memorizados. Não posso recomendar a você nenhuma tarefa mais merecedora de seu tempo que aprender os grandes versículos da Bíblia memorizando-os. Uma vez que aqueles versículos estão incutidos em seu coração, tornam-se uma parte permanente de seu ser. Você recebeu do Espírito santo uma ferramenta para encorajamento em sua vida. Ele o fará recordar daqueles versículos quando você mais precisar deles.
  3. Louve a Deus nos intervalos diários. Escolha pequenos intervalos em que você possa parar suas atividades e cantar baixinho, louvores a Deus ou entoá-los em voz alta. Leve consigo um Novo Testamento de bolso ou mesmo alguns dos seus versículos favoritos anotados em um cartão. Depois de algum tempo, isto não acontecerá apenas em intervalos determinados. Você estará adorando constantemente durante suas atividades diárias”.

(JEREMIAH, D. O desejo do meu coração: vivendo cada momento na maravilha da adoração. RJ: CPAD, 2006, p.224-6.)

Em Gn 22.5, Abraão ordena aos seus servos que fiquem no sopé do monte enquanto ele e seu filho adoram a Deus — Ele obedeceu. Levantou-se cedo, separou a madeira e o fogo, e pôs o altar do holocausto em ordem — Ele serviu. Por fim, após obedecer pela fé, servir mediante o rito, ele adora reconhecendo o que Deus é — Ele louva (v.14). Portanto, adoração integral inclui: obedecer, servir e louvar.

Somos desafiados a servir e adorar a Deus como fez o patriarca Abraão. A fidelidade do patriarca ao Senhor era muito maior do que a montanha da terra de Moriá. O seu amor e devoção ao Deus verdadeiro eram superiores ao amor que ele sentia pelo seu único filho.

Às vezes, adorar a Deus requer esforço e sacrifício. Quantas chuvas, frio e calor já impediram você de adorar a Deus! Outros olham para o guarda-roupa e queixam-se por terem de repetir as vestes da semana anterior e, por isso, deixam de ir à igreja adorar a Deus. Com certeza Abraão riria de situações tão banais quanto estas, uma vez que ele foi desafiado a adorar a Deus sacrificando o que ele possuía de melhor — seu filho Isaque.

 

 

 

 

   SUBSIDIO (2) JUVENIS O DEVER DE LOUVAR AO SENHOR

                                 Salmos 33.1-14.

1 - Regozijai-vos no Senhor, vós, justos, pois aos retos convém o louvor.

2 - Louvai ao Senhor com harpa, cantai a ele com saltério de dez cordas.

3 - Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo.

4 - Porque a palavra do Senhor é reta, e todas as suas obras são fiéis.

5 - Ele ama a justiça e o juízo; a terra está cheia da bondade do Senhor.

6 - Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito da sua boca.

7 - Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe os abismos em tesouros.

8 - Tema toda a terra ao Senhor; temam-no todos os moradores do mundo.

9 - Porque falou, e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu.

10 - O Senhor desfaz o conselho das nações; quebranta os intentos dos povos.

11 - O conselho do Senhor permanece para sempre; os intentos do seu coração, de geração em geração.

12 - Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para a sua herança.

13 - O Senhor olha desde os céus e está vendo a todos os filhos dos homens;

14 - da sua morada contempla todos os moradores da terra.

 

INTERAÇÃO

 

Professor, para aguçar a curiosidade de seus alunos, questione-os sobre o significado da palavra "Haleluia". Depois de ouvir as respostas, informe-os que o termo procede do hebraico halal, "louvor", "júbilo", e da contração, Yah, do nome sagrado Yahweh, traduzido "já" em algumas versões do Sl 68.4. Literalmente significa "Louvemos a Yâh (Já)" ou "Louvemos ao Senhor". O modo imperativo, "louvemos", é um convite litúrgico para celebrarmos o glorioso nome do Senhor nosso Deus..

 ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Professor, cada aluno é singular e aprende de modo específico. Os educandos mais analíticos aprendem quando a lição e minuciosamente exposta. Os mais dinâmicos prendem através de atividades que os desafiem a descobrir novos conceitos. Os interativos aprendem ao interagirem com o grupo e quando são estimulados por uma situação concreta. Por fim, os pragmáticos aprendem quando executam uma atividade relacionada à lição. Por conseguinte, o professor deve ser um facilitador da aprendizagem, possibilitando, por meio de variados métodos, diversas situações de aprendizagem.

                                    INTRODUÇÃO

 

Palavra Chave

Música: Arte e ciência de combinar os sons de modo agradável.

Entoar louvores a Deus também faz parte das disciplinas da vida cristã. Aliás, o maior livro das Sagradas Escrituras é o de Salmos. No Saltério Hebreu, Davi, Asafe, Salomão, Moisés, os filhos de Jedutum e os de Corá, enaltecem sublime e altissonantemente o Deus de Israel. Quer lhe cantando os atributos, quer lhe cantando as obras, deixam mui claro que não há Deus como o de Israel.

 

  1. O QUE É O CÂNTICO CONGREGACIONAL

Neste tópico, entraremos a ver duas coisas: a música sacra e o cântico congregacional.

  1. A música sacra. É a arte que, dispondo das ciências musicais e acústicas, das cordas vocais e de instrumentos músicos, tem por objetivo primacial enaltecer a Deus como o Criador e Mantenedor de todas as coisas através da harmonia, melodia e ritmo (1 Cr 16.23; Sl 96.1). Jubal foi o primeiro ser humano a interessar-se pela arte musical (Gn 4.21).
  2. O cântico congregacional. É a participação de toda a congregação dos fiéis nos hinos em louvor ao Todo-Poderoso. O cântico congregacional teve início com o rei Davi, segundo podemos depreender, da história do Filho de Jessé; atinge, porém, o auge no reinado de Salomão. O primeiro organizou os músicos e cantores em turnos e corais (1 Cr 23.1-26.32); o segundo sustentou-os, a fim de que o culto a Jeová fosse coroado de glória e divino resplendor (2 Cr 5.12-14).

 

  1. OS FUNDAMENTOS DA MÚSICA SACRA
  2. O preparo teológico dos músicos e compositores bíblicos. Os compositores bíblicos foram notáveis teólogos. Autor do Salmo 90, foi Moisés o legislador dos hebreus e o maior profeta do Antigo Testamento (Dt 34.10). Quanto a Davi, considerado profeta do Senhor, compôs a maioria dos salmos (At 2.29,30). Já Salomão, seu filho, celebrado pelo mesmo Deus como o mais sábio dos homens, além de compor os cantares, os provérbios e o Eclesiastes, deixou-nos um belíssimo salmo (Sl 127; Pv 1.1).

No Salmo 73, Asafe louva ao Senhor tratando de um dificílimo problema existencial: "Por que sofrem os justos". Jeremias, por seu turno, inspirado pelo Espírito Santo, cantou as tristezas e desditas da Cidade Santa. E os poemas de Isaías e de Habacuque? O primeiro cantou os sofrimentos do Messias, retratando-lhe o ministério com vivas cores. Como não chorar ante o capítulo 53 de seu livro? Já o segundo mostra a alegria que deve acompanhar o servo de Deus nas adversidades e tribulações.

  1. Qualificações de um músico verdadeiramente cristão. De um músico sacro exige-se não somente a arte, mas principalmente a correção doutrinária; ele é o teólogo que verseja o conhecimento bíblico. Com singular habilidade, harmoniza e ritma a verdadeira teologia. Aliás, parte da hinódia cristã foi composta por doutores nas Escrituras como Ambrósio, Martinho Lutero e Charles Wesley.

Infelizmente, com o esfriamento do amor à Palavra de Deus, a música sacra é logo substituída por arremedos melódicos e heréticos.Aos músicos e compositores bíblicos exige-se não somente a arte, mas principalmente correção doutrinária, pois eles, à semelhança de Davi, são também teólogos.

 

III. A MÚSICA NO CRISTIANISMO PRIMITIVO

A Igreja de Cristo, desde o seu nascedouro, compreendeu perfeitamente a função da música em sua liturgia.

  1. O exemplo do próprio Cristo (Mt 26.30). Na noite de sua paixão, o Senhor Jesus cantou um hino, mostrando que, mesmo nos momentos mais difíceis e lutuosos é possível entoar louvores ao Pai Celeste. Que hino era aquele? Provavelmente um dos salmos messiânicos de Davi. O Salmo 22? Um dos hinos pascais? Embora não o saibamos, de uma coisa temos absoluta certeza. Jesus ensina-nos que a música, autenticamente sacra, faz parte de nossas disciplinas espirituais; por intermédio destas, edificamos o nosso caráter e fortalecemos a nossa fé.
  2. A doutrina litúrgica de Paulo. Algumas vezes, confundimos liturgia com formalismo. Entre ambos, contudo, há abismais diferenças. Liturgia é o culto público que prestamos a Deus; formalismo, o culto que, embora belo, é destituído de seu real valor. Voltemos ao Novo Testamento. Sua liturgia era mui singela; entretanto, carregada de significados.

Quando nos reunimos, um tem salmo, outro apresenta cânticos espirituais e ainda outro, a doutrina cristã. E os dons espirituais? Este manifesta-se em línguas estranhas; aquele as interpreta. Este traz a revelação; aquele a palavra da ciência. Este a cura divina; aquele as maravilhas. Eis uma reunião verdadeiramente pentecostal.

Aliás, o apóstolo Paulo, à semelhança do Senhor Jesus, utilizava-se também, em suas devoções, a música sacra. Quando encarcerado em Filipos, de tal forma cantou juntamente com Silas, que o seu louvor a Deus veio a abalar os alicerces da prisão (At 16.25-31).

Tem você cantado ao Senhor?É urgente voltarmos à música sacra. Deus merece (e reivindica) uma música de excelência.

 

                                 "Adoração diária a sós

A adoração como um estilo de vida diário começa na mais simples e mais óbvia das condições. É algo que cada um de nós pode fazer, porém algo que muitos negligenciam. Se você quiser viver toda a sua vida na maravilha da adoração, deve começar com seu tempo pessoal com Deus.

Talvez você esteja desapontado com o fato de ter sido lembrado de algo tão simples. Talvez você já tenha um tempo regular e compromissado para a adoração. Mas acredito que é impossível ser tudo o que Deus pretende para nós, se não estivermos dispostos a passar algum tempo para chegar a conhecê-Lo pessoalmente.

Também creio que o melhor momento para a maioria das pessoas é conseguir ficar a sós com Deus é de manhã - este período pode determinar como será o restante do seu dia. Deus deseja que você seja um servo melhor e mais efetivo possível. Então Ele mostrará e lhe dirá coisas que farão a diferença em momentos de crise durante as próximas doze horas, mais ou menos. Depois de você conversar com o Senhor e caminhar com Ele durante as suas tarefas do dia, Ele o fortalecerá e o encorajará a fazer de cada momento do seu dia um ato de adoração".

(JEREMIAH, D. O desejo do meu coração. RJ: CPAD, 2006, p.56.)

"Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos escutavam" (At 16.25). O silêncio noturno foi cortado pelo suave cicio da oração. Os únicos instrumentos que acompanhavam o louvor dos acorrentados eram os grilhões soturnos. Na tormenta, Paulo e Silas adoravam! Na angústia, suplicavam! A dor foi vencida pela oração. A tristeza renegada pelo louvor a Deus. Somente os que descobriram o poder da oração e do louvor são capazes de adorar no centro do furacão. O turbilhão era apenas mais um ritmo para compor os mais melodiosos versos ao glorioso Senhor: "Andando eu no meio da angústia", dizia o salmista, "tu me revivificarás" (Sl 138.7). E assim ocorreu com os denodados missionários. O Deus que ouviu os apóstolos na prisão é o mesmo que atende as nossas orações e louvores hoje. Adoremos ao Senhor "na beleza da santidade". Se tremermos diante dEle, o cárcere estremecerá diante de sua majestosa presença (Sl 96.9).

 

 

 

 

 

 

      SUBSIDIO(1) JUVENIS O DEVER DE LOUVAR E ADORAR

                                  INTRODUÇÃO

A primeira questão que consideramos como olhamos para os elementos do culto cristão como praticá-los é por isso que nós adoramos em tudo.

A resposta é dupla;

 

Nós adoramos a Deus, porque fomos criados para adorá-Lo.

Paulo, na carta aos Efésios nos diz que isso (Efésios 1: 3-6). Esta oração mostra a consciência dos primeiros cristãos em seu culto. Eles entenderam que haviam sido destinados e nomeados para viver para o louvor da glória de Deus. (Efésios 1: 12) .A Westminster Catecismo ensina a mesma verdade quando ela nos lembra que Ele dá testemunho com o mesmo princípio que Deus nos criou para adorá-Lo "O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre.". Portanto adoram devem servir como seu primeiro objetivo a glória de Deus. Isso em contraste com aqueles que pensam de culto para diversos fins; porque nos faz feliz (não sempre); ele traz um sentimento de satisfação e enquanto ele faz cumprir o propósito da nossa existência não adoramos para o cumprimento que ela nos traz; para construir a solidariedade familiar (os altos sacerdotes da religião cananéia fertilidade acreditava o mesmo). A verdadeira adoração é diferenciado, pois ela serve acima de tudo, o louvor da glória de Deus.

Nós adoramos a Deus porque Ele nos mandou para adorá-Lo.

Os primeiros quatro dos dez mandamentos preocupação adoração.

O primeiro mandamento nos diz que: "Não terás outros deuses diante de mim." Jesus nos diz que o maior mandamento é que devemos amar o Senhor teu Deus de todo o teu coração, mente e alma e força "Nosso amor é mais ardente a ser dirigido para o Senhor e não a nós mesmos.

O segundo mandamento nos diz que não deve usar ídolos na adoração, pois, como Paulo nos diz: Deus não é representado pela arte e imaginação das pessoas; Deus nos criou para ser o reflexo de sua imagem. (Atos 17: 2-31) Se confundirmos arte ou entretenimento com adoração, não conseguimos entender o significado do segundo mandamento.

O terceiro mandamento diz-nos que não estamos a usar o nome do Senhor em vão, o que implica "vãs repetições". Lembra-nos a adorar a Deus com honestidade e sinceridade.

O quarto mandamento nos diz para adorar o Senhor no dia de sábado. Este mandamento concreto nos lembra que o culto do Senhor é uma realidade concreta que ocorre de forma muito concreta. Todos os outros comandos na Escritura parece ser uma elaboração destes quatro.

AS CARACTERÍSTICAS DE CULTO.

 

 

Há características de culto que vê-lo como um ato de obediência à lei de Deus;

De acordo com a Escritura, que é:

 

 a pregação da palavra

a doação de esmolas

a celebração da comunhão

o ministério da oração

Todos os quais são baseados em At 2,42. Não há serviços litúrgicos prontas nas Escrituras, no entanto, a Igreja é chamada a desenvolver serviços que estão de acordo com as instruções e exemplos específicos que se encontram na Escritura. Este não é um literalismo bíblico, significa antes que o Culto Cristão deve estar em obediência à Palavra de Deus, como é revelada nas Escrituras. Como Bucer (1491-15551) coloca, "é apenas o culto que Deus pede de nós o que realmente serve a Ele." A adoração não é algum tipo de arte criativa para entreter a Deus com concursos elaborados e dramas litúrgicos. Deus nos orienta que a adoração deve ser simples, porque o modo de vida que Jesus viveu era simples e sem pretensão. O culto da igreja deve ser coerente com os princípios essenciais, tais como a justificação pela fé, a graça preveniente, e amor cristão.

Deve ser no nome de Cristo.

É em nome de Cristo que a Igreja Cristã é montado, lembrando a promessa de que, onde estiverem dois ou três reunidos ali Ele está no meio deles.(Matt.18.20) Jesus freqüentemente disse aos Seus discípulos a orar em Seu nome (Jn.14.14; 15.16 etc.) Quando oramos em nome de Cristo, estamos a continuar o ministério de intercessão que o próprio Jesus começou na cruz.Quando oramos com o nome de outra estamos fazendo isso em seu lugar. O ministério de pregação e ensino era e é em nome de Jesus; Ele começou a ele e nós fazê-lo em obediência e na conclusão de Sua obra. (Atos 05:41) Da mesma forma, os nossos esmolas e as boas obras são para estar no nome de Cristo. (Mateus 18: 5; Marcos 9: 38-41)

O culto cristão é uma função do corpo de Cristo. A igreja é o corpo de Cristo e nossa adoração é para ser uma parte do culto que o Cristo subiu realizada no Santuário para a glória do Pai. (Heb.7: 23-25; 10: 19-22)

A adoração é a obra do Espírito Santo.

À medida que o Espírito Santo está dentro de nós quando oramos (Romanos 8: 15-27) e as canções, hinos e salmos que cantamos em adoração são as canções do Espírito Santo (Atos 4.25). Mesmo a pregação da igreja deve ser no Espírito. (1 Cor.12: 8) Jesus nos prometeu que, quando apresentamos o nosso testemunho diante do mundo que não somos nós que falar, mas o Espírito Santo que nos dá enunciado. (Marcos 13:11) O culto cristão é inspirado pelo Espírito Santo, dirigido pelo Espírito, pelo poder do Espírito, purificado pelo Espírito e produz o fruto do Espírito. O culto cristão é, portanto, nesse sentido, "cheio do Espírito".

Já em século 8 aC Amos insistiu na santidade do culto e deixou claro que Deus não tinha espaço para aqueles que fizeram sacrifícios que estavam ausentes o poder da vida santificada. (Amós 5: 21-24).

Há um elo importante entre a integridade do serviço de Deus e ao serviço do próximo, quando aqueles que adoram o Deus Vivo viver imoral vive a glória de Deus é obscurecida, por outro lado, quando os cristãos refletem a santidade de Deus e são na verdade, a imagem de Deus, então Deus é glorificado.

 

 

 

 

  SUBSIDIO CPAD JUVENIS LIÇÃO N.6

     

                    MUSICOS LEVITAS

 

 ( בֶןאּלֵוַי , filho de Levi, ou simplesmente לֵוי , Levi, para לֵוַיַּי , Deuteronômio 00:18Deuteronômio 12:18 ; Juízes 17: 9Juízes 17: 9 ; Juízes 17:11Juízes 17:11 ; Juízes 18: 3Juízes 18: 3 ; geralmente no plur e com o art..

 

הִלְוַיַּים ; Setembro Λευῖται ) , um título patronímico que, além de denotar todos os descendentes da tribo de Levi ( Êxodo 06:25Êxodo 06:25 , Levítico 25:32Levítico 25:32 , etc .; Números 35: 2Números 35: 2 ; Josué 21: 3Josué 21: 3 ; Josué 21:41Josué 21:41 ), é o título distintivo de que parte dele que foi designado para os cargos subordinados do santuário, para ajudar o outro e menor parcela de sua própria tribo, investido das funções superiores da hierarquia ( 1 Reis 8: 41 Reis 8: 4 ; Esdras 2:70Esdras 2 : 70 . João 1:19John 1:19 , etc), e este é o significado que perpetuou-se. Às vezes, mais uma vez, ele é adicionado como um epíteto da parcela menor da tribo, e lemos sobre "os sacerdotes, os levitas" ( Josué 3: 3Josué 3: 3 ; Ezequiel 44:15Ezequiel 44:15 ). (Veja PRIEST ). Ao descrever a instituição e desenvolvimento da ordem levítico, vamos tratar disso em ordem cronológica, valendo-nos das melhores sistematizações até então produzidos.

 

  1. Da Exode até a Monarquia. - Este é o período mais interessante e importante na história da ordem levítico, e para descrevê-la, devemos, antes de tudo identificar a causa que o chamou à existência.

 

  1. Origem e instituição da ordem levítica.

 

 A ausência de qualquer referência ao personagem consagrada dos levitas no livro do Gênesis é perceptível o suficiente. A profecia atribuída a Jacó ( Gênesis 49: 5-7Gênesis 49: 5-7 ) foi de fato cumprida com precisão singular, mas os termos da profecia são quase como teria sido enquadrado por um escritor mais tarde, depois da tribo tinha ganhado sua posterior preeminência. A única ocasião em que o patriarca da tribo aparece o massacre do siquemitas - pode de fato ter contribuído para influenciar a história de seus descendentes, promovendo neles a mesma feroz, selvagem zelo contra tudo o que ameaçou violar a pureza de sua raça , mas geralmente o que nos impressiona é a ausência de todo o reconhecimento do caráter mais tarde.

 Na genealogia de Gênesis 46:11Gênesis 46:11 , de igual modo, a lista não ir mais para baixo do que os três filhos de Levi, e eles são dadas na ordem do seu nascimento, e não no que teria correspondido à superioridade oficial coatitas. Não há sinais, novamente, que a tribo de Levi tinha qualquer preeminência especial sobre os outros durante o cativeiro egípcio. Como traçar sua descendência de Leah, que levaria o seu lugar entre os seis principais tribos surgiram das esposas de Jacó, e partilhar com eles uma superioridade reconhecida sobre aqueles que trazia os nomes dos filhos de Bila e Zilpa. Dentro da própria tribo, existem algumas pequenas fichas que os coatitas foram ganhando o primeiro lugar. A classificação do Êxodo 6: 16-25Êxodo 6: 16-25 dá a essa seção da tribo quatro clãs ou casas, enquanto os de Gérson e Merari ter, mas dois cada.

 

Para que pertencia à casa de Amram, e "Arão, o levita" ( Êxodo 04:14Êxodo 04:14 ) é mencionado como aquele a quem o povo não se esqueça de ouvir. Ele se casou com a filha do chefe da tribo de Judá ( Êxodo 06:23Êxodo 06:23 ). O trabalho realizado por ele, um por seu ainda maior irmão, que naturalmente tendem a dar destaque para a família ea tribo a que pertenciam, mas ainda não há vestígios de uma casta caracteres, sem sinais de qualquer intenção de estabelecer um sacerdócio hereditário. Até esse momento, os israelitas adoraram a Deus de seus pais após maneira de seus pais. O primogênito do povo eram os sacerdotes do povo.

O filho mais velho de cada casa herdada do ofício sacerdotal. Sua juventude o fez, em vida de seu pai, o representante da pureza que estava ligado desde o início com o pensamento de adoração (Ewald, Alterth ü mp 273 e comp. PRIEST). Foi aparentemente com isso como seu culto ancestral que os israelitas saíram do Egito. Os "jovens" dos filhos de Israel oferecer sacrifícios ( Êxodo 24: 5Êxodo 24: 5 ). Eles, podemos inferir, são os sacerdotes que permanecem com o povo enquanto Moisés sobe as alturas do Sinai ( Êxodo 19: 22-24Êxodo 19: 22-24 ). Eles representavam a verdade de que todo o povo estava "um reino de sacerdotes" ( Êxodo 19: 6Êxodo 19: 6 ). Nem eles, nem os "oficiais e juízes" nomeados para ajudar Moisés na administração da justiça ( Êxodo 18:25Êxodo 18:25 ), estão conectados de qualquer forma especial com a tribo de Levi. O primeiro passo para a mudança foi feita na instituição de um sacerdócio hereditário na família de Arão, durante a primeira retirada de Moisés para a solidão do Sinai ( Êxodo 28: 1Êxodo 28: 1 ).

 

Isso, no entanto, era uma coisa; era outra bem diferente é separar toda uma tribo de Israel como uma casta sacerdotal. As instruções dadas para a construção do tabernáculo não implicam qualquer preeminência dos levitas. Os chefes dos trabalhadores em que são das tribos de Judá e Dan ( Êxodo 31: 2-6Êxodo 31: 2-6 ). A próxima extensão da idéia do sacerdócio surgiu da terrível crise de Êxodo 32 Se os levitas tinham sido participantes no pecado do bezerro de ouro, que eram, na taxa de aliado, o principal reunir em torno de seu líder, quando ele chamou com eles para ajudá-lo em deter o avanço do mal. Depois veio aquela terrível consagração de si mesmos, quando um era contra o seu filho e contra o seu irmão, e a oferta com a qual eles encheram suas mãos ( מַלְאוּ יֶדְכֶם , Êxodo 32:29Êxodo 32:29 ; comp.

 Êxodo 28:41Êxodo 28:41 ) era o sangue de sua parente mais próximo. ' A tribo, adiantou-se separado e à parte, reconhecendo ainda neste trabalho popa espiritual maior do que o natural e, portanto, digno de ser o representante do ideal de vida das pessoas, "um Israel dentro de um Israel" (Ewald, Alterth ü mp 279), escolhidos em seus representantes mais elevados para oferecer incenso e sacrifício queimado diante do Senhor ( Deuteronômio 33: 9-10Deuteronômio 33: 9-10 ), não sem uma participação na glória do Urim e Tumim, que foram usados pela príncipe e chefe da tribo.

 A partir deste momento, portanto, eles ocupavam uma posição distinta. A experiência mostra o quão facilmente as pessoas podem cair na idolatria - quão necessário era que deveria haver um corpo de homens, uma ordem, numericamente grande, e, quando as pessoas estavam em sua casa prometida, igualmente difundido em todo o país, como certificadores e guardiões da verdade. Sem isso, o individualismo do culto mais antigo teria sido frutífera em uma idolatria sempre se multiplicando. A tribo de Levi foi, portanto, para tomar o lugar de que o sacerdócio anterior do primogênito como representantes da santidade do povo.

 

O tabernáculo, com sua extensa e regular, serviço sacrificial, o que exigiu uma ordem sacerdotal especial regularmente para executar as funções superiores do santuário, foi a ocasião especial, que também chamou à existência o pessoal levítico para ajudar os sacerdotes na sua árdua tarefa, na medida em o modo primitivo e patriarcal do culto que obteve até a construção do tabernáculo, e de acordo com o qual o primogênito de todos os filhos de Israel realizaram os ofícios sacerdotais (comp. Êxodo 24: 5Êxodo 24: 5 com Êxodo 19:24Êxodo 19:24 , e ver o primogênito) , não poderia ser perpetuada no âmbito do serviço congregacional recém-organizada, sem interferir com as relações internas do povo. Foi por esta razão, bem como para assegurar uma maior eficiência nos escritórios sagrados, que a primogenitura religiosa foi conferido à tribo de Levi, que estavam agora em diante para dar a sua atenção para as exigências do santuário ( Números 3: 11-13Números 3: 11- 13 ). A tribo de Levi foram selecionados por terem manifestado um zelo muito extraordinário para a glória de Deus ( Êxodo 32:26Êxodo 32:26 , etc), já havia obtido uma parte deste primogenitura religiosa pela instituição do sacerdócio hereditário na família de Arão ( Êxodo 28: 1Êxodo 28: 1 ), e porque, como a tribo à qual Moisés e Arão pertencia, que seria mais, naturalmente, apoiar e promover as instituições do legislador.

 

Para efetuar essa transferência da sede, os primogênitos de todas as outras tribos e todos os levitas receberam ordens para serem contados, a partir da idade de um mês e para cima; e quando verificou-se que os primeiros eram 22.273, eo segundo 22.000 (veja abaixo), ficou combinado que 22.000 do primeiro-nascido deve ser substituído por 22.000 levitas, que a 273 primogênitos que estavam em excesso do levitas devem ser trocados a uma taxa de cinco siclos cada, sendo a soma legal para a redenção do primogênito ( Números 18:16Números 18:16 ), e que os 1.365 shekels ser dado a Arão e seus filhos como uma compensação para o estranho pessoas que, como o primeiro-nascido, pertencia a Jeová.

Quanto à dificuldade como decidir qual o primeiro-nascido deve ser resgatado, pagando esse dinheiro, e que deve ser trocado para os levitas, pois era natural que cada um querer escapar essa despesa, o Midrash (On Números 03:17Números 3 : 17 ) e do Talmud referem que "Moisés escreveu em 22.000 bilhetes levita ( לוי בן ), e em 273 cinco siclos ( המש שקלים ), misturou todos eles, colocá-los em um recipiente, e em seguida, lance todo israelita desenhar um. Aquele que tirou uma com levita sobre ele foi resgatado por um levita, e que desenhou um com cinco siclos em que teve de ser resgatado pelo pagamento deste montante "(Sanhedrin, 17, a).

 Não há nenhuma razão para duvidar desta tradição antiga. Além disso, foi ordenado que o gado e que os levitas aconteceram depois de possuir deve ser considerada como equivalente a todos os primogênitos do gado que todos os israelitas tinham, sem que sejam numerados e trocaram um para um, como no caso dos seres humanos ( Números 3: 41-51Números 3: 41-51 ), para que os primogênitos não deve agora ser dada ao sacerdote, ou ser resgatados, que os israelitas estavam obrigados a fazer a seguir ( Números 18:15Números 18:15 ). Desta forma, o levitas obtido um sacrifício, bem como um carácter sacerdotal. Eles para o primogênito dos homens, e os seus animais para os primogênitos das bestas, cumpriu a idéia de que tinha sido afirmado no momento da destruição do primogênito do Egito ( Êxodo 13: 12-13Êxodo 13: 12-13 ).

 

Há uma discrepância entre o número total dos levitas, que é dado em Números 03:39Números 03:39 como 22.000, eo número separada das três divisões que é dado em Números 03:22Números 03:22 ; Números 03:28Números 03:28 ; Números 03:34Números 03:34 , da seguinte forma: gersonitas, 7500 + coatitas, 8600 + Mierarites, 6200 22300. Compare também Números 03:46Números 03:46 , onde é dito que o 22273 primogênito excedeu o número total de levitas por 273 O Talmud (Bechoroth, 5, a) e os comentaristas judeus, que são seguidos pela maioria dos expositores cristãos, alegam que os 300 levitas excedentes eram o primogênito dessa tribo, que, como tal, não poderia ser substituído pelo primogênito das outras tribos, e, portanto, foram omitidos do total.

Para isso, no entanto, é objetado que, se tal isenção do primogênito tinha sido destinado, o texto teria continha alguma insinuação de que, enquanto não há nada o que quer no contexto de indicá-lo. Portanto Houbigant sugere que uma ל caiu fora da palavra שלש em Números 03:28Números 03:28 , tornando- שש , e que ao manter a antiga palavra obtemos 8300 em vez de 8600, que remove toda a dificuldade. Philippson, Keil, e outros adotam essa explicação. O número dos primogênitos aparece desproporcionalmente pequenos em comparação com a população. Deve-se lembrar, porém, que as condições a serem cumpridas eram de que eles devem ser ao mesmo tempo (1) o primeiro filho do pai, (2) o primeiro filho da mãe, e (3) do sexo masculino. (Compare sobre esta questão, e em que a diferença de números, Kurtz, História da Antiga Aliança., 3: 201)

 

 

. 2 . Divisão da Tribo de Levi -

 

Como diferentes funções foram designados para as casas separadas do ramo levítico da tribo, à qual são feitas referências frequentes, nós subjoin a seguinte tabela de Êxodo 6: 16-25Êxodo 6: 16-25 , itálico do Aarônico ou ramo sacerdotal, a fim de facilitar a essas referências.

 

NB - os mencionados na lista acima são de nenhuma maneira os únicos descendentes de Levi em suas respectivas gerações, como é evidente pelo fato de que, embora não tendo filhos de Libni, Simei, Hebron, etc, são dadas aqui, ainda menção é feito em Números 03:21Números 03:21 , do fanily dos Libuites e da família dos simeítas; "em Números 26:28Números 26:28 , de "a família dos libnitas", e em Números 03:27Números 03:27 ; Números 26:58Números 26:58 , de " a família dos hebronitas, "enquanto em 1 Crônicas 23, vários filhos desses homens são mencionados pelo nome Novamente, não filhos de Mahali e Mushi são dadas, e eles ainda aparecem em Números 3 como pais de família dos levitas A.. projeto da genealogia em questão é simplesmente dar os pedigrees de Moisés e Arão, e alguns outros principais chefes da família de Levi, como é expressamente previsto em Êxodo 06:25Êxodo 06:25 : "Estes são os cabeças dos pais dos levitas, segundo . às suas famílias "Nestes cabeças foram incluídos todos os outros membros de suas famílias, de acordo com o princípio estabelecido em 1 Crônicas 23:111 Crônicas 23:11 : "Portanto, eles estavam em um acerto de contas, de acordo com a casa de seu pai" Alguns nomes são também. mencionado para um propósito especial, por exemplo, os filhos de Izar, por conta de Corá, que era o líder da rebelião contra Moisés. Estas observações pagar uma resposta em grande medida as conclusões do Bispo Colenso sobre o número dos levitas (O Pentateuco eo livro de Josué examinado criticamente) 1: 107-112).

 

Assim, será visto que a ordem levítico é composta pela totalidade dos descendentes de Gérson e Merari, e aqueles de Coate através Izar e Uziel, bem como através segundo filho de Amram, Moisés; enquanto Aaron, o primeiro filho de Amram, e sua emissão, constituem a ordem sacerdotal. Deve aqui ser observado que, apesar de Coate é a segunda no ponto da idade e da ordem, mas sua família vai ser encontrada para ocupar a primeira posição, porque eles são os mais achegados aos sacerdotes.

 

. 3 . Idade e qualificações para o serviço levítico

 

 - A única qualificação para o serviço ativo especificado na lei mosaica é a idade madura, que em Números 4: 3Números 4: 3 ; Números 04:23Números 04:23 ; Números 04:30Números 04:30 ; Números 04:39Números 04:39 ; Números 04:43Números 4: 43 ; Números 04:47Números 04:47 está a ser dito entre trinta e cinquenta, enquanto em Números 8: 24-25Números 8: 24-25 , é dito para começar a vinte e cinco. Várias tentativas têm sido feitas para conciliar estas duas liminares aparentemente contraditórias. O Talmud ( Chol. 24, a), Rashi ( Comentário. ad loc.), e Maimônides ( Jod Ha-Chezakel, 3: 7, 3), que são seguidos por alguns comentaristas cristãos, afirmam que 25-30 os levitas compareceram, a fim de ser instruído em seus deveres, mas não entrou cumprindo deveres reais até que eles estavam cheios de trinta anos de idade. Mas esta explicação, como Abravanel observa corretamente, "está em desacordo com a declaração simples do texto, que os levitas foram chamados a 25 anos de idade, para fazerem o serviço da tenda, que não denota claramente instrução para o seu ministério , mas o próprio ministério "( Commentar. sobre Números 08:24Números 08:24 ).

Além disso, o texto em si não dá a mínima insinuação de que qualquer período da vida levítico foi dedicada à instrução. Assim Rashbam, AbenEzra, e Abravanel. que são seguidos pela maioria dos expositores modernos, alegam que os 25 anos de idade refere-se a entrada dos levitas sobre a parte mais leve do seu serviço, como vigiar e exercer as funções mais leves no tabernáculo, enquanto que os 30 anos de idade refere-se a sua entrada nas funções mais onerosas, tais como o transporte de cargas pesadas, quando o tabernáculo se comoveu por causa de um lugar para outro, o que exigiu toda a força de um homem, afirmando que esta distinção é indicado no texto pelas palavras ולמשא לעבור , de mão de obra e encargos, quando os trinta anos de trabalho é falado ( Números 4: 30-31Números 4: 30-31 ), e pela omissão da palavra משא , fardo, quando vinte e cinco anos de trabalho é falado ( Números 08:24Números 8: 24 , etc). Mas pode muito bem ser questionado se o homem é mais equipado para o trabalho árduo 30-35 do que de vinte e cinco a trinta. Além disso, o gersonitas e os meraritas, que tinha a seu cargo os encargos mais pesados, não carregá-los em tudo (comp. Números 7: 3-9Números 7: 3-9 , e seg 4 a seguir.).

 De acordo com outra interpretação judaica antiga adotado por Bahr (Symbol. 2:41) e outros, Números 4 trata da idade necessária dos levitas para as necessidades imediatas no deserto, enquanto Números 8 dá sua idade para a terra prometida, quando eles será dividido entre as tribos e um número maior será queria (Siphri em Números 8). Algo semelhante é a explicação de Philippson, que afirma que na primeira eleição do fim levítico a idade exigida para o serviço foi entre trinta e cinquenta, mas que todos os levitas futuros tiveram de começar o serviço em vinte e cinco. A setembro resolve a dificuldade uniformemente ler vinte e cinco, em vez de trinta.

 

  1. Deveres e Classificação dos levitas. -

 

 O início da marcha do Sinai deu um destaque para sua nova personagem. Como o tabernáculo era o sinal da presença entre o povo de seu Rei invisível, para que os levitas, entre as outras tribos de Israel, como o guarda real que esperou exclusivamente nele. O título bélico de "host" é especialmente aplicado a eles (comp uso de. צָבָא , em Números 4: 3Números 4: 3 ; Números 04:30Números 04:30 e deמחֲנֶה , em 1 Crônicas 01:191 Crônicas 1:19 ). Como tal, não foram incluídos no número dos exércitos de Israel ( Números 01:47Números 01:47 ; Números 02:33Números 02:33 ; Números 26:62Números 26:62 ), mas foram contados separadamente por si mesmos. Quando as pessoas estavam em repouso acamparam como guardiões de todo o tabernáculo; ninguém mais pode se aproximar dela, sob pena de morte ( Números 01:51Números 01:51 ; Números 18:22Números 18:22 ). As diferentes famílias armaram suas tendas ao redor, da seguinte maneira: os gersonitas por trás dele, a oeste ( Números 03:23Números 03:23 ), os coatitas no sul ( Números 03:29Números 03:29 ), o Meraritas no norte ( Números 03:35Números 03:35 ), e os sacerdotes, a leste ( Números 03:38Números 03:38 ).

 

Eles estavam a ocupar uma posição central em que escala ascendente de consagração que, a partir da idéia da nação wshole como povo sacerdotal, atingiu o seu ponto culminante no sumo sacerdote, o único que de todas as pessoas possam entrar "dentro do véu . " Os levitas pode chegar mais perto do que as outras tribos, mas eles não podem sacrificar, nem queimar incenso, nem ver as "coisas santas" do santuário até que eles estavam cobertos ( Números 04:15Números 04:15 ). Quando em marcha sem as mãos, mas o deles pode atacar a tenda no início da jornada do dia, ou levar as partes de sua estrutura durante a mesma, ou armar a barraca novamente quando eles pararam ( Números 01:51Números 01:51 ).

Era, obviamente, essencial para uma obra que deve haver uma atribuição fixa de tarefas, e agora, nesse sentido, nos deparamos com os primeiros contornos da organização que mais tarde tornou-se permanente. A divisão da tribo em três seções que traçou sua descendência dos filhos de Levi formou a base do mesmo. Os levitas foram dadas como um presente ( נתינים , netinins ) para Arão e seus filhos, os sacerdotes, para servi-los, e para fazer o trabalho subordinado para eles no serviço do santuário ( Números 08:19Números 08:19 ; Números 17: 2-6Números 17: 2 -6 ). Eles tinham também para guardar o tabernáculo e assumir o controle de certos navios, enquanto os sacerdotes tinham que assistir aos altares e ao interior do santuário (1: 50-53; 08:19, 18: 1-7). Para realizá-la efetivamente, a carga de determinados navios de porções ande do tabernáculo, bem como a guarda de seus vários lados, foi atribuído a cada uma das três seções em que a tribo foi dividido pela respectiva descendência dos três filhos de Levi. ou seja, Gérson, Coate e Merari, como segue:

 

(1) O coatitas, que fora de 8.600 pessoas renderam 2.750 qualificado para o serviço ativo de acordo com a idade prescrita, e que estavam sob a liderança de Elisafã, teve que ocupar o lado sul do tabernáculo, e, como a família, a quem Arão, o sumo sacerdote e seus filhos pertencia, teve que assumir o comando das coisas santas (משמרת הקדש ), viz., a arca, a mesa dos pães da proposição, o candelabro, os dois altares de incenso e oferta burnt-, como bem como dos vasos sagrados utilizados a serviço dessas coisas santas, e as cortinas do santo dos santos. Todas essas coisas que eles tiveram que carregar em seus próprios ombros quando o acampamento foi cindida ( Números 3: 27-32Números 3: 27-32 ; Números 4: 5-15Números 4: 5-15 ; Números 7: 9Números 7: 9 ; Deuteronômio 31:25Deuteronômio 31:25 ), depois que os sacerdotes tinham coberto com o pano azul escuro que era escondê-los de todos os profanos olhar; e, assim, eles se tornaram também os guardiões de todos os tesouros sagrados que as pessoas tinham oferecido tão livremente. Eleazar, o chefe dos sacerdotes, que pertencia aos coatitas, e foi o comandante-chefe das três divisões levitas, tinha a seu cargo o óleo para o candelabro, o incenso, a oferta de carne diariamente, o óleo da unção ( Números 03:32Números 03:32 ; Números 04:16Números 04:16 ).

 

(2) Os gersonitas, que fora de 7.500 homens renderam 2.630 para o serviço ativo, e que estavam sob a liderança de Eliasafe, teve que ocupar o lado ocidental do tabernáculo, e para assumir o comando da tapeçaria da tenda, todo o seu cortinas, cortinas e revestimentos, os pilares das tapeçarias tapeçaria, os implementos utilizados em conexão com os mesmos, e realizar todos os trabalhos relacionados com a retirada e colocação de um dos artigos sobre os quais não tinha a seu cargo ( Números 3: 21-26Números 3: 21 a 26 ; Números 4: 22-28Números 4: 22-28 ).

 

(3) Os Merarites, que de 6200 resultaram em 3.200 homens ativos. e que estavam sob a liderança de Zuriel, teve que ocupar o lado norte do tabernáculo, e assumir o controle das placas, barras, colunas, tomadas, tenda-pins, etc ( Números 3: 33-37Números 3: 33-37 ; Números 4: 39-40Números 04:39 -40 ). As duas últimas empresas, no entanto, foram autorizados a usar os seis carros cobertos e doze bois que foram oferecidos como uma oblação ao Senhor; gersonitas, tendo a parte menos pesada, tem dois dos vagões e quatro dos bois; enquanto os Merarites, que tinham as partes mais pesadas, tem quatro dos vagões e oito dos bois ( Números 7: 3-9Números 7: 3-9 ).

 

Assim, o número total de homens ativos que as três divisões dos levitas rendeu foi 8580. Quando acamparam ao redor do tabernáculo, eles formaram, por assim dizer, uma divisória entre o povo eo santuário; tinham muito para protegê-lo de que os filhos de Israel não deve se aproximar dela, uma vez que aqueles que se aventuraram a fazê-lo incorreu na pena de morte ( Números 01:51Números 01:51 ; Números 03:38Números 03:38 ; Números 18:22Números 18:22 ); nem foram eles mesmos permissão para chegar perto os vasos do santuário e do altar, para que não morram, assim como os sacerdotes ( Números 18: 3-6Números 18: 3-6 ). Israelitas de qualquer outra tribo eram estritamente proibidos de desempenhar o cargo levítico, a fim de "que pode haver nenhuma praga quando os filhos de Israel se aproximar do santuário" ( Números 03:10Números 03:10 ; Números 08:19Números 08:19 ; Números 18: 5Números 18: 5 ); e, de acordo com os antigos cânones hebraicos, mesmo um sacerdote não tinha permissão para fazer o trabalho atribuído aos levitas, nem era um levita autorizados a exercer as funções que eram Compete ao seu companheiro levita sob pena de morte (Maimonides, Hilchoth Kele Ha - Mikdash, 3:10).

 

O livro de Deuteronômio é interessante, indicando mais claramente do que tinha sido feito antes das outras funções, para além do seu ministério no tabernáculo, que eram para ser atribuído à tribo de Levi. Através de toda a terra que eles estavam a tomar o lugar dos antigos sacerdotes domésticos (sem prejuízo, naturalmente, com os direitos especiais do sacerdócio de Arão), e em todas as festas e regozijo ( Deuteronômio 00:19Deuteronômio 12:19 ; Deuteronômio 14: 26-27Deuteronômio 14: 26-27 ; Deuteronômio 26:11Deuteronômio 26:11 ). Cada terceiro ano que eles deveriam ter uma participação adicional no produto da terra ( Deuteronômio 14:28Deuteronômio 14:28 ; Deuteronômio 26:12Deuteronômio 26:12 ). As pessoas foram acusadas de nunca abandoná-los. Para "os sacerdotes levitas" era pertencer ao escritório de preservar, transcrevendo e interpretando a lei ( Deuteronômio 17: 9-12Deuteronômio 17: 9-12 ; Deuteronômio 31:26Deuteronômio 31:26 ). Eles foram solenemente a lê-lo a cada sete anos na Festa dos Tabernáculos ( Deuteronômio 31: 9-13Deuteronômio 31: 9-13 ). Eram pronunciar as maldições do Monte Ebal ( Deuteronômio 27:14Deuteronômio 27:14 ).

 

Tal é, se assim se pode dizer, era o ideal da organização religiosa, que estava presente na mente do legislador. Os detalhes foram deixados para serem desenvolvidas como as circunstâncias alteradas do povo pode exigir. O grande princípio era que o guerreiro de casta que tinha guardado a tenda do capitão dos exércitos de Israel deveria ser por toda a terra como testemunhas de que as pessoas ainda deviam obediência a ele. É digno de nota que, até agora, com exceção das poucas passagens que fazem referência aos sacerdotes, sem vestígios aparecem de seu caráter como uma casta aprendido, e do trabalho que mais tarde pertenceu a eles como hino escritores e músicos.

 Os hinos deste período foram, provavelmente, ocasional, não recorrentes (comp Êxodo 15;. Números 21:17Números 21:17 , Deuteronômio 32). As mulheres tinham uma grande participação em cantá-los ( Êxodo 15:20Êxodo 15:20 ; Salmos 68:25Salmos 68:25 ). Não é improvável que as filhas mulheres de areia dos levitas, que deve ter sido com eles em todos os seus acampamentos, como mais tarde em suas cidades, levou a parte mais importante entre as "donzelas que tocavam seus tamborins", ou entre os "wise- coração ", que teciam cortinas para a decoração do tabernáculo. Há, pelo menos, os sinais de sua presença lá na menção das "mulheres que ministravam" à sua porta ( Êxodo 38: 8Êxodo 38: 8 ., e comp Ewald, Alterth ü . m . p 297).

 

. 5 Consagração dos levitas. -

 

 O primeiro ato na consagração dos levitas era polvilhe-as com a água de purificação ( מי חטאת ), que, segundo a tradição, foi o mesmo utilizado para a purificação das pessoas que se tornaram contaminados por cadáveres, e na qual se misturaram madeira de cedro, hissopo, escarlate e cinzas da novilha vermelha ( Números 19: 6Números 19: 6 ; Números 19: 9Números 19: 9 ; Números 19:13Números 19:13 ), e foi projetado para purificá-los do mesmo corrupção ( comp. Rasli, Em Números 8: 7Números 8: 7 ).

Eles tinham, no lugar seguinte, como um emblema de purificação adicional, para raspar todos os pêlos de seu corpo ", a ensinar assim", como diz Ralbag ", que deve renunciar, tanto quanto estava em seu poder, tudo coisas do mundo, e dedicar-se ao serviço de Deus Altíssimo ", e em seguida, lavar as suas roupas. Após este formulário triplo de purificação, eles foram trazidos perante a porta da tenda, junto com dois bois e farinha amassada com azeite, quando toda a congregação, por meio dos presbíteros, que as representavam, puseram as mãos sobre as cabeças dos levitas, e separá-los para o serviço do santuário, para ocupar o lugar do primogênito de toda a congregação; após o que os padres agitavam-los diante do Senhor ( Números 8: 5-14Números 8: 5-14 ), que com toda a probabilidade foi feito, como diz Abravanel, levando-os para a frente e para trás, para cima e para baixo, como se estivesse dizendo: Eis que estes são, doravante, os servos do Senhor. em vez de o primogênito dos filhos de Israel.

 

A parte que a ferramenta toda congregação nesta consagração é uma característica muito importante na constituição hebraico, na medida em que mais claramente mostra que a ordem levítico passou do meio do povo ( Êxodo 28: 1Êxodo 28: 1 ), deve ser considerado como essencialmente idêntico a ele, e não como uma posição casta sagrado em eminência orgulho acima do resto da nação. Este princípio da igualdade, que, de acordo com a lei mosaica, não estava a ser violado pela introdução de um sacerdócio ou monarquia ( Deuteronômio 17: 14-20Deuteronômio 17: 14-20 ), foi reconhecido em toda a existência da comunidade hebraica, como é evidente a partir do fato de que os representantes do povo participaram da coroação dos reis e da prestação de highpriests ( 1 Reis 02:351 Reis 02:35; com 1 Crônicas 29:32 ; com 1 Crônicas 29:32), e até mesmo nos dias dos Macabeus, vemos que são as pessoas que instalado Simon como sumo-sacerdote ( 1 Macabeus 14:351 Macabeus 14:35 ).

 

. 6 Receitas dos levitas. -

 

 Assim consagradas ao serviço do Senhor, era necessário que a tribo de Levi deve ser aliviado das atividades temporais do resto das pessoas, para que possam dar-se inteiramente às suas funções espirituais , e para o cultivo das artes e ciências, bem como para preservá-los de contratar um desejo de acumular bens terrenos. Por esta razão eles não tivessem posses territoriais, mas Jeová era para ser a sua herança ( Números 18:20Números 18:20 ; Números 26:62Números 26:62 ; Deuteronômio 10: 9Deuteronômio 10: 9 ; Deuteronômio 18: 1-2Deuteronômio 18: 1-2 ; Josué 18: 7Josué 18: 7 ).

 Para recompensar o seu trabalho, o que eles tinham a partir de agora a realizar em vez de o primogênito de todo o povo, bem como para compensar a perda de sua participação na riqueza material da nação, foi ordenado que eles devem receber da outra tribos os dízimos dos produtos da terra, da qual a parcela não-sacerdotal dos levitas, por sua vez tinha a oferecer o dízimo aos sacerdotes como um reconhecimento de sua maior consagração ( Números 18: 21-24Números 18: 21-24 ; Números 18: 26-32Números 18:26 -32 ; Neemias 10:37Neemias 10:37 ). Se tivessem tido, como outras tribos, um território distinto atribuído a eles, sua influência sobre o povo em geral seria diminuído, e eles mesmos seria provável que se esqueça, nos trabalhos comuns a eles com os outros, a sua própria chamada peculiar ( Neemias 10:37Neemias 10:37 ). Como se prever a contingência de culturas na sua falta ou algo semelhante, ea conseqüente inadequação dos dízimos, assim, atribuídas a eles, o levita, e não menos do que a viúva eo órfão, foi elogiado à bondade especial do povo ( Deuteronômio 00:19Deuteronômio 12 : 19 ; Deuteronômio 14:27Deuteronômio 14:27 ; Deuteronômio 14:29Deuteronômio 14:29 ).

 

Mas, embora eles não tivessem posses territoriais, ainda que necessário um local de residência. Para garantir isso, e ao mesmo tempo para ativar os levitas para disseminar o conhecimento da lei e exercer uma influência refinado e intelectual entre as pessoas em geral, sobre cuja consciência pagamento dos dízimos eram dependentes para subsistência, quarenta e oito cidades foram atribuídos a eles, seis dos quais foram para a cidades de refúgio para aqueles que tinham inadvertidamente matou qualquer um ( Números 35: 1-8Números 35: 1-8 ). A partir desses quarenta e oito cidades, os quais obtiveram imediatamente após a conquista de Canaã, e que foram feitas por tomar quatro cidades do distrito de toda tribo, treze foram distribuídos a parte da tribo sacerdotal levítico. Quais as cidades pertenciam à parte sacerdotal da tribo, e que a parcela não-sacerdotal, e como eles foram distribuídos entre as outras tribos, como registrado em Josué 21, será .

 

Cada uma dessas cidades era necessário ter um bairro periférico ( מַגְרָשׁ , προάστεια ) de terra prado para o pasto dos rebanhos e gado pertencentes aos levitas, cujas dimensões são assim descritos em Números 35: 4-5Números 35: 4-5 : "E o subúrbios [ou pasto-terra] das cidades que dareis aos levitas são do muro da cidade para fora, mil côvados em redor, e haveis de medir fora da cidade no canto oriental dois mil côvados, ea canto sul, dois mil côvados, e no canto ocidental dois mil côvados, e do canto norte, dois mil côvados, ea cidade no centro. " Essas dimensões têm ocasionado grande dificuldade, por causa da aparente contradição nos dois versos, como especificando primeiros mil côvados e depois de 2000 a setembro de Josephus ( Ant. 4: 3. 4), e Philo ( . sacerd De honoribus ) get sobre a dificuldade com a leitura de 2000, em ambos os versos, como exibido no diagrama I, por algum tempo comentaristas antigos e modernos, que justamente aderir ao texto, têm se esforçado para conciliar os dois versículos, avançando diferentes teorias, dos quais os seguintes são os mais notáveis.

Fonte WWW.historiadamusicasacra.blogspot.com

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net

 

 

              SUBSIDIO JUVENIS CPAD N.5 

                MUSICA NO CULTO CRISTÃO 

 

Nossas vidas estão repletas de oportunidades para um contato íntimo com Deus. A natureza, com suas diversas manifestações de maravilha, o desenrolar concatenado dos planos divinos, ou mesmo a Bíblia, são meios pelos quais podemos ouvir a voz de Deus e cultivar aquela partícula divina que nos foi dada na criação do mundo.

Os salmistas, particularmente Davi, tiveram profundas experiências do amor de Deus, e o culto que suas almas prestaram a Ele ainda serve de exortação aos crentes, por meio do livro dos Salmos que eles nos deixaram. Foi movido por esse sentimento espontâneo de louvor e gratidão a Deus que os fiéis do passado se reuniam para, juntos, expressarem seus louvores, contarem uns aos outros as maravilhas divinas, e exaltarem esse grande Benfeitor. Mais tarde esse reconhecimento a Deus pela sua bondade e o engrandecimento do seu nome foi deixando de ser espontâneo e foi tomando formas mais definidas e formais. Com o desenvolvimento da música, a mesma passou a ter um papel importante nas formas de expressão pelas quais os fiéis, de maneira mais organizada, exprimem seus louvores e suas ações de graças.

Ainda é atual, porém, e sempre será, a exortação do salmista, que nos convida a expressar de maneira audível o nosso júbilo ante a contemplação das obras de Deus, das maravilhas da sua palavra, e dos planos incompreensíveis, mas maravilhosos, que Ele coordena. É muito importante também que cantemos bem e com inteligência, pois é o salmista mesmo que nos diz: “Posto que Deus é o Rei de toda a terra, cantai louvores com inteligência” (Salmo 47:7) e, também: “Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo” (Salmo 33:3).

Falando-se de modo geral, a música, como as demais artes, possui algo de espiritual, abstrato e elevado, o que a faz quase que sacra e religiosa per se. A música deve ser cultivada porque é um dom divino e nos ajuda a perceber as atmosferas espirituais. Foi por isso que Charles Landon assim se expressou: “A música é o melhor dom de Deus ao homem, a única arte do céu dada à terra, e a única arte da terra que levaremos ao céu. Mas a música, como todos os nossos dons, nos é dada em germe. Cabe a nós desenvolvê-lo e desdobrá-lo pelo cultivo e pelo estudo.”

Mesmo Lutero, o grande reformador, como grande músico que era, fez muito pelo pelo restabelecimento do canto congregacional e, assim, se expressou com referência à música: a música é uma linda e gloriosa dádiva de Deus, tão elevada quanto a teologia. Esta bela arte deve ser ensinada diligentemente e continuamente aos meninos e meninas, porque ela realiza um serviço importante fazendo deles pessoas hábeis e polidas. A música é capaz de tornar as pessoas mais modestas, gentis e razoáveis. A música é uma arte suprema porque as notas dão vida ao texto. Ela afugenta o espirito de tristeza, os pesares e a aflição.

Joseph Ashton, no seu famoso livro “A Música no Culto”, deixa bem claro o propósito da música no culto. Assim se expressa ele: O propósito da música é animar e nutrir a nossa vida religiosa. Ela não deve chamar atenção a si mesma, mas, sim, ao texto. Santo Agostinho, já no ano 394 AD, se preocupava com a importância do texto e escreveu o seguinte: “Quando acontece que sou movido mais com a voz do que com as palavras que canto, confesso que peco”.

 

João Wesley, o fundador do Metodismo, com seus irmãos Carlos e Samuel, muito fez pelo desenvolvimento da música sacra. Carlos Wesley escreveu mais de 6.500 hinos, mais de 4.000 tendo sido publicados. O próprio João Wesley nos deixou uma lista de observações que devem sempre ser relembradas quanto ao uso dos hinos:

1 – Aprenda a música.

2 – Cante os hinos como estão escritos.

3 – Cante o hino inteiro. Se isso for uma cruz, tome-a e a achará uma bênção.

4 – Cante vigorosamente e com animação.

5 – Cante modestamente e não grite.

6 – Cante no compasso certo, não corra adiante e nem fique atrás.

7 – Acima de tudo, cante espiritualmente.

Em cada palavra que cantar tenha Deus em sua mente. Procure agradar mais a Deus que a si próprio ou a outra criatura qualquer. Para isto, preste atenção cuidadosa no sentido do que está cantando e tenha certeza de que seu coração não está sendo levado pela beleza do som que está produzindo, mas, sim, que o seu canto seja uma oferta contínua a Deus.

Nem sempre a beleza da música sacra corresponde ao seu valor genuíno. É Ashton quem ainda afirma: “O valor da música sacra não está baseado na gratificação estética, ou na beleza que ela oferece”, e, mais além, continua: “Beleza não é a coisa principal; porém, deve-se procurá-la, quando for apropriada.”

Vamos ser bem cuidadosos a respeito da música que usamos em nossos cultos. Há uma grande tendência em nossas igrejas de fazer do coro, ou da música em geral, um elemento de recreação e deleite aos ouvidos. No entanto, o que é mais importante é o que por ela expressamos, a mensagem que ela traz, ou a reverência que cria.

Quanto à reverência, também, temos muito que melhorar aqui no Brasil. É inestimável o valor do silêncio na Casa do Senhor. Pelo menos três dos profetas menores nos exortam a silenciar diante de Deus e da sua tremenda majestade: “O Senhor está em seu Santo templo: cale-se diante dele toda a terra” (Hab.2:20 e também Sof. 1:7; Zac. 2:13.)

Muitas vezes reclamamos que o culto foi vazio e que dele pouco aproveitamos, mas mal sabemos que a falta é inteiramente nossa, se nada contribuímos para que a atmosfera do mesmo fosse de verdadeira adoração e reverência. Mesmo que não sintamos o espirito de reverência, não temos direito algum de prejudicar ou interferir na comunhão que outros estão obtendo com Deus. Na solidão podemos muitas vezes sentir Deus bem perto, mas, quando o conseguimos numa reunião coletiva, alcançamos uma experiência rara em nossa vida, e nos sentimos mutuamente ligados uns aos outros e a Deus pelos laços de amor cristão. Tal experiência comum do contato das almas com Deus vale mais do que muitos sermões, se for adquirida num ambiente convenientemente espiritual.

Há muitos fatores em um culto que são constantes tentações para impedir o nosso contato com Deus. É por isso que as partes técnicas do culto devem ser muito bem preparadas, as leituras estudadas, os hinos escolhidos apropriadamente, as orações previamente solicitadas e as seqüências das diferentes partes bem organizadas. Qualquer parte do culto que chame a atenção para si mesma em vez do todo dificulta e pode servir de empecilho ao propósito do culto, que é Deus.

A música, a poesia, as figuras de linguagem ou mesmo a arquitetura do templo, se forem usadas como atração ou mera satisfação intelectual, não se ajustam em um culto a Deus. Se, porém, essas artes estiverem enraizadas no sentido religioso e forem usadas como ajuda direta da expressão religiosa, ou para associações também idênticas, elas serão instrumentos incomparáveis em nossas mãos, para servir de elo entre nós e Deus.

 

                

                         O QUE É ADORAÇÃO?

              SUBSIDIO LIÇÃO N.4 JUVENIS                  

                             INTRODUÇÃO

A primeira questão que consideramos como olhamos para os elementos do culto cristão como praticá-los é por isso que nós adoramos em tudo. 

A resposta é dupla;

Nós adoramos a Deus, porque fomos criados para adorá-Lo.

Paulo, na carta aos Efésios nos diz que isso (Efésios 1: 3-6). Esta oração mostra a consciência dos primeiros cristãos em seu culto. Eles entenderam que haviam sido destinados e nomeados para viver para o louvor da glória de Deus. (Efésios 1: 12) .A Westminster Catecismo ensina a mesma verdade quando ela nos lembra que Ele dá testemunho com o mesmo princípio que Deus nos criou para adorá-Lo "O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre.". Portanto adoram devem servir como seu primeiro objetivo a glória de Deus. Isso em contraste com aqueles que pensam de culto para diversos fins; porque nos faz feliz (não sempre); ele traz um sentimento de satisfação e enquanto ele faz cumprir o propósito da nossa existência não adoramos para o cumprimento que ela nos traz; para construir a solidariedade familiar (os altos sacerdotes da religião cananéia fertilidade acreditava o mesmo). A verdadeira adoração é diferenciado, pois ela serve acima de tudo, o louvor da glória de Deus.

Nós adoramos a Deus porque Ele nos mandou para adorá-Lo.

Os primeiros quatro dos dez mandamentos preocupação adoração.

  • O primeiro mandamento nos diz que: "Não terás outros deuses diante de mim." Jesus nos diz que o maior mandamento é que devemos amar o Senhor teu Deus de todo o teu coração, mente e alma e força "Nosso amor é mais ardente a ser dirigido para o Senhor e não a nós mesmos.
  • O segundo mandamento nos diz que não deve usar ídolos na adoração, pois, como Paulo nos diz: Deus não é representado pela arte e imaginação das pessoas; Deus nos criou para ser o reflexo de sua imagem. (Atos 17: 2-31) Se confundirmos arte ou entretenimento com adoração, não conseguimos entender o significado do segundo mandamento.
  • O terceiro mandamento diz-nos que não estamos a usar o nome do Senhor em vão, o que implica "vãs repetições". Lembra-nos a adorar a Deus com honestidade e sinceridade.
  • O quarto mandamento nos diz para adorar o Senhor no dia de sábado. Este mandamento concreto nos lembra que o culto do Senhor é uma realidade concreta que ocorre de forma muito concreta. Todos os outros comandos na Escritura parece ser uma elaboração destes quatro.

AS CARACTERÍSTICAS DE CULTO.

 

Há características de culto que vê-lo como um ato de obediência à lei de Deus; 

De acordo com a Escritura, que é:

 

  1.  a pregação da palavra
  2. a doação de esmolas
  3. a celebração da comunhão
  4. o ministério da oração

Todos os quais são baseados em At 2,42. Não há serviços litúrgicos prontas nas Escrituras, no entanto, a Igreja é chamada a desenvolver serviços que estão de acordo com as instruções e exemplos específicos que se encontram na Escritura. Este não é um literalismo bíblico, significa antes que o Culto Cristão deve estar em obediência à Palavra de Deus, como é revelada nas Escrituras. Como Bucer (1491-15551) coloca, "é apenas o culto que Deus pede de nós o que realmente serve a Ele." A adoração não é algum tipo de arte criativa para entreter a Deus com concursos elaborados e dramas litúrgicos. Deus nos orienta que a adoração deve ser simples, porque o modo de vida que Jesus viveu era simples e sem pretensão. O culto da igreja deve ser coerente com os princípios essenciais, tais como a justificação pela fé, a graça preveniente, e amor cristão.

Deve ser no nome de Cristo.

É em nome de Cristo que a Igreja Cristã é montado, lembrando a promessa de que, onde estiverem dois ou três reunidos ali Ele está no meio deles.(Matt.18.20) Jesus freqüentemente disse aos Seus discípulos a orar em Seu nome (Jn.14.14; 15.16 etc.) Quando oramos em nome de Cristo, estamos a continuar o ministério de intercessão que o próprio Jesus começou na cruz.Quando oramos com o nome de outra estamos fazendo isso em seu lugar. O ministério de pregação e ensino era e é em nome de Jesus; Ele começou a ele e nós fazê-lo em obediência e na conclusão de Sua obra. (Atos 05:41) Da mesma forma, os nossos esmolas e as boas obras são para estar no nome de Cristo. (Mateus 18: 5; Marcos 9: 38-41)

O culto cristão é uma função do corpo de Cristo. A igreja é o corpo de Cristo e nossa adoração é para ser uma parte do culto que o Cristo subiu realizada no Santuário para a glória do Pai. (Heb.7: 23-25; 10: 19-22)

A adoração é a obra do Espírito Santo.

À medida que o Espírito Santo está dentro de nós quando oramos (Romanos 8: 15-27) e as canções, hinos e salmos que cantamos em adoração são as canções do Espírito Santo (Atos 4.25). Mesmo a pregação da igreja deve ser no Espírito. (1 Cor.12: 8) Jesus nos prometeu que, quando apresentamos o nosso testemunho diante do mundo que não somos nós que falar, mas o Espírito Santo que nos dá enunciado. (Marcos 13:11) O culto cristão é inspirado pelo Espírito Santo, dirigido pelo Espírito, pelo poder do Espírito, purificado pelo Espírito e produz o fruto do Espírito. O culto cristão é, portanto, nesse sentido, "cheio do Espírito".

Já em século 8 aC Amos insistiu na santidade do culto e deixou claro que Deus não tinha espaço para aqueles que fizeram sacrifícios que estavam ausentes o poder da vida santificada. (Amós 5: 21-24).

Há um elo importante entre a integridade do serviço de Deus e ao serviço do próximo, quando aqueles que adoram o Deus Vivo viver imoral vive a glória de Deus é obscurecida, por outro lado, quando os cristãos refletem a santidade de Deus e são na verdade, a imagem de Deus, então Deus é glorificado.

 

 

   SUBSIDIO LIÇÕES JUVENIS CPAD 1                                     TRIMESTRE 2016

               O SURGIMENTO DA MUSICA

                     PROFANA LIÇÃO N.3 

 

                        Musica gospel profana

Profanação da música cristã;ou música gospel ;música sacra.

   A música tem sido  frequentemente um ponto de controversia na vida da igreja evangélica ;talvez ;o assunto mais polemico dos ultimos 50 anos.Em um extremo ;há aqueles que dizem"as músicas que deveriam ser cantadas nas igrejas são as que compõem os salmos do antigo testamento ;e deveriam ser cantadas sem nenhuma acompanhamento musical ".No outro estremo ;há aqueles que declaram ser perfeitamente legitimo utilizar qualquer ti      po de música na adoração e no evangelismo -(rock;jazz;punk;cuntri;western;rap;ou qualquer outro tipo que "eletrize as pessoas".((nota.dan lucarini p.9)

 

                         PROFANAÇÃO DAS LETRAS

  1°)Corrupção nas letras das canções:A letra via regra ;não tem Bíblia nem mensagem para a edificação.Também não tem métrica ;e a letra geralmente é péssima.

2°)Corrupção na melodia da canção:Não tem sequencia melódica ;frase musical e tema músical.São identicas as melodias do mundo;sem nada de solene.

  3°)Ccorrupção  no andamento da canção:Andamento  é rapidez da execução dos sons na música.O andamento nessas músicas ;via regra ;não tem nada de espiritual ;nem solene;nem sacro.

4°)Os autores dessas músicas :devem ser adeptos de um evangelismo falsificado ;frouxo que hoje surge por toda parte ;que fala "liberdade"quando eles mesmos são escravos como diz em  2°pedro 2.19.Esses autores fossem realmente cristãos ;vivendo no temor ;jamis fariam tantos desvios na música que produzem.

 5°)O efeito dessas músicas:São  espiritualmente negativas.Seu efeito é nulo.São músicas que cantadas;tocadas ;recitadas ;não elevam a alma a Deus ;não levam o povo a glorificar a Deus em verdade.(notas.rev.ensinador CPAD 2010).

 

                          AS ARMADILHAS DA MÚSICA

Joe Jordan declara"uma armadilha é uma cilada ;uma arapuca perigosa escondido.Agora vamos falar dos perigos escondidos na música ;mas que carece dos propósitos bíblicos ;então vejamos.

      1°)Quando chamamos uma música de cristã ;estamos dizendo que ela fala de cristo.Se a nossa musica fala de Cristo ;ela deveria honra-lo.O problema encontrado hoje em dia é que muito do que é está por ai com rótulo ;não tem nada a ver com Cristo;em sua adoração com caracteristica de música sacra;mas louvamos a Deus que há tambem muitos chamados ao ministério do louvor em tempo intregral e são atalaias nas mãos de DEUS e eles tem temor a Deus e o Senhor os tem abençado e estão evangelizando muitas pessoas e assim as pessoas tem sido alcançadas isso acontece principalmente nas igrejas pentecostais e nas Assembleia de Deus.

    2°)Joe Jordam ;declara"o comprotimento destroi o sistema  de valores.Muitas pessoas que se envolvem com atividades tremendamente destrutivas saturam a mente com música do tipo rock pesado e heave metal etc;ilustrando como música que pode corromper .Seŕa que não deveriamos de marcar uma area de proteção ao redor de qualquer coisa que se assemelhe á esse tipo de musica?Hoje dia muitos tem saturado suas mentes com extremos no que diz respeito ao rock evangelico e infelizmente não perceberam que estão corrompendo seus sistema de valores"(nota joe jordam.p...12)

    3°)Atualmente ;muito da música cristã contemporranea se constitui em ofensa a algumas pessoas e uma pedra de tropeço para uotars.Essa música duvidosas estão sendo levadas para dos dentro dos lares e das igrejas como adoração ;aceito até mesmo preferido.Vivemos em dias em que multidões afluem para concertos e festivais músicais .Netes festivais os artistas são vistos como estrelas (alguns deles como estrelas do rock pesado;heave metal) e não como servos de de Deus cujo unico desejo é glorifica-lo"(JOE JORDAM P.8).

  4°)Em tessalonissenses 5:22"afastem-se de toda foema do mal"analize as capas de muitos cds de música cristã contemporranea e voces descobrirá que tem poucoquissima diferença em relação ao mundo as de qualquer banda secular.      

                              A QUESTÃO DO ESTILO

                                Vale qualquer estilo?

 Em uma determinada revista editada no brasil a uns 2 anos trouxe uma matéria de destaque em um de seu artigos a seguinte afirmação;"A FORÇA DO SOM GOSPEL a música evangélica rompo as barreiras das igrejas e inova com grande variedades de estilos'.Essa determinada revista exibe fotos de bandas de rock;defendendo os profanos;homens com cabelos cumpridos igual as bandas de rock secular.Evite qualquer estilo ou preferencia que esteja associado como mal"abstende-se  de toda forma do mal"

 Hoje ;muitos crentes perferem não discutir este versiculo porque a sua alplicação exige que eles abandonem a predica mundanas das músicas profanas de estilos profanos.Contudo  os seus beneficios podem ser vistos por todos.Paulo se referiu não somente aos atos de maldades ;em si mesmos ;mas tambem a toda forma de mal;inclusive na musica.A palavra grega traduzida como forma traz consigo a ideia de uma aparencia ;uma moda ;ou um  formato;então este texto aplica-se a musica a respeito das profanos estilos.A bilbia exige abstinencia que devemos evitar o mal ou nos restrigirmos de ser tolerantes.(nota Dan lucarini ;confições de um ministro de louvor pp.77). prossegue lucarini em sua afirmação"Creio que o desejo de ter estilos da MCC nas igrejas procede diretamente da natureza mundana;o apostolo Pedro acresenta razão sensata para a abstinencia:Estes desejos guerreiam contra nossa alma ;devemos evitar as musicas profanas incluindo a aparencia delas mas tambem qualquer insinuação de musica imoral e profana."

 

                 MUSICA PROFANA NA IGREJA(  JR 32..34  )    

Um artigo do Pastor DAVID WINKERSON ele diz"Fiquei extremamente chocado quando presenciei vendo uma revista evangélica e vi uma foto de um grupo de rock "pesado"dizendo-se evangélico .Estavam vertidos com mesmo traje de roqueiros ;eu me lembro bem do horror que senti nas ruas daquela cidade quando dez deles caminhavam na minha direção vestidos de couro escuro ;com sintos repletos de tacha ;com bracheletes ;corentes;argolas de metal ;cabelo cumprido e de punk;e cara pintada.Tinham olhar agrssivo ;e expressão fisionomica vaga e maligna.Chegaram perto de mim como demonios rebelados ;avançaram sobre a calçada onde eu estava;abri caminho para  deixa-los passar ;mas eu estava certo que estava vendo demonios anadando em forma de homem homens"ESTA FOI A EZPERIENCIA DO PASTOR DAVID  WILKERSON DOS ESTADOS UNIDOS EM 1988".David Wilkerson prossegue sua experiencia"sento horror na minha alma quando vi a foto do grupo de rock pesado ;intitulando-se embaixador de Cristo  vestido do mesmo traje e cabelo   de punk ;mesma expressão de mundana ;cantando e tocando musica profana."

          O BAIXO NIVEL DA MUSICA PROFANA EM NOME DA MUSICA GOSPEL

A até que ponto certas pessoas chegaram em nome do rock gospel.Musica rock pesado e punk em certas igrejas jr 51.51;onde esta a trombeta para ser tocada onde esta a sua reação?onde estão os pregadores  que bradam bem alto:"CHEGA ;A CASA DO SENHOR NÃO É LUGAR DE MUSICA PROFANA ".IS 3.18-24".porventura a casa Deus passou agora a ser lugar de preticas malignas companhada de música profanas de ball?;não podemos ser tolerantes em aplaudir essas musicas profanas.VAMOS PRETESTAR contra estes falsos profetas da música que estão enganando tanta gente?mt 24.4-5.OS TAIS DIZEM QUE SÃO DE CRISTO mas o evangelho que eles pregam é outro evangelho e o Jesus deles é diferente ;eles estão transtornando o evangelho gl.6-7 ;as musica profana esta por ai  david.wilkinson 1988).

 

                          PROFANADORES DO ALTAR  

O rock pesado punk;está claramente ligado a certas atividades mas;quem são estes grupos de rock 'pesado'e 'punk'que estão se apresentando nas igrejas em nome de JESUS?quem são estes roqueiros e inovadores dentro da casa de Deus?São profanos do altar de Senhor.No antigo testamento ha um caso terrivel de profanação que deve produzir temor de DEU Sem todos os que se ajuntam aos tais ( 2rs16.7;10;11) conforme a passagem de 2 reis ;que que é isto ?um altar diferente ;inovador ;copiado dos idolos da assiria e introduzido na casa de Deus em certos lugares?Em 2 reis 16.14 ;é incrivel que os sacerdotes permitiram isso ;eles aderiram a conspiração contra a casa de Deus ;nenhum deles levantou sua voz para pretestar  contra a voz contra a profanação que ocorria (d.wilkinson 1988).

 

                  O PLANO DO MALIGNO DE CORROMPER     

 Musica tipo rock pesado na igreja é o plano calculado do inimigo para corromper  o louvor a Deus todo poderoso.O inimigo está por traz deste tipo de louvor"que quer que lhe seja prestado louvores .ELE ira planejar muitas cisas para corromper o verdadeiro louvor ao Senhor .DEUS não recebe qualquer louvor ;;nem tal rock/punk/;DEUS repele que não procede do ESPIRITO SANTO.O que DEUS levante mais pregadores cheios de zelo pela santidade divina para mostrar o erro destes inovadores e remover de certas denominações com estilos profanos".                              

É de pasmar o grande numero de jovens crentes ;inclusive determinados pastores jovens que estão dominados pala música de rock.Então presos ao idolo do rock;então os pais e pastores devem alestar seu rebanho a respeito da musica profana prinpalmente os aolecentes que foram criados na igreja.

 

                   DEUS NÃO ACEITA SACRIFICIO IMPURO

                       2CRÔNICAS 7.12;EFÉSIOS 4.29  

Os roqueiros que dizem evangélicos costumam ter em suas apresentações um ou mais realmente sacros ;mas o restante é a violencia;selvageria é loucura da musica rock.Certos roqueiros chegam a dizer "eu mesmo não gosto de rock;mas a juventude gosta ;então eu toco rock para chamar atensão deles".Eos ortodóxos?por outro lado crentes ortodóxos dizem"satanas não tem poder sobre música ;ela pertence  a DEUS;a musica em si não importa contanto que a letra seja boa"totalmente  errado ;satanas é quem controla toda música impura ;impia;mundana .Quando o inimigo tentou a JESUS usou linguagem correta (aparantemente para aquele momento.este tal rock evangélico usa letra mista em que entram termos sagrados ao lado de termos enganosos.Ao tentar as pessoas ;o inimigo sempre usa palavras apropriadas misturadas com textos bíblicos.Ele vem como anjo de luz para poder enganar .Musica mundana na igreja foi concebida por um espirito enganador e continua a ser apresentada pelo mesmo espirito mau que deu origem ao espirito do anticristo-d.wilkilson 1988).

 

                           AS DIVISÕES NAS IGREJAS

 Nas igrejas que fazem mudanças da musica tradicional para a contemporranea ;geralmente existem um grupo de tradicionais que se ofende com isso.Os lideres acreditam realmente que DEU  esta procurando fazer algo especial por meio do uso de estilos musicais preferido por eles .Eles são influenciados pelos seminários de (L.A)e adquirem uma visão para fazerem uma mudança afirma o músico americano dan lucarini pp.70).  

 

                           EMPURRADOS PARA FORA 

Não e de se admirar o fato que alguns membros antigos sentem que devem sair da igreja que ;em alguma casos ;eles ajudaram a construção da igreja ou iniciar;devido escolhas musicais ofensivas ;são culpados pela divisão de igrejas.Muitos tradicionais tem sentido que as portas de sua igreja os empurram para fora.Ninguem tem ordem biblica de enxotar os crentes ;para facilitar a entrada da música contemporranea cristã e de qualquer novo estilo ou modismo musical(dan lucarini pp.73).

  LUTERO E OS WESLEY NÃO USARAM MÚSICA CONTEMPORRANEA NA IGREJA?

    Esta na hora de desmacarar este argumento pequeno e ilusório do MCC;dizem que lutero e chales weslei adataram algumas de suas poesias melodias populares incluindo melodias cantadad em bares .ASSIM O MCCS ARGUMENTA QUE AS IGREJAS MODERNAS DEVA ADERIR E ACEITAR EM SEUS REPERTÓRIOS MUSICA CONTEMPORRANEA" .Em seus cultos ;afinal de contas se foi muito bom para alutero e weslei ;deve ser bom paranos tambem.

 

 DESMASCARANDO A MENTIRA QUE FALARAM DE LUTERO

Um pesquisador por nome macujina em sua minuciosa descoberta sobre lutero "lutero tomou a melodia inteiramente de somente uma canção popular ;eu venho de um pais estranho";e utilizou em seu hino"eu venho a ti";do ceu;nas alturas".Esse hino apareceu pela primeira vez vez em 1535.Porem quatro anos mais tarde á melodia da canção popular foi trocada por uma melodia "original";composta por Lutero .A melodia secular não;reaparece até após ;morte de Lutero.Ouso desta canção em lugares mundano mancharia o texto sagrado e traria associação mundana inapropiada a adoração ;por isso Lutero a substituiu.

 

   DESMASCARANDO A MENTIRA QUE FALARAM DE WESLEY

 Em exemplo dos Wesley contribuiu mais para o aniquilamento do que para o fortalecimento da posição da MCC.John Wesley o irmão de Charles que escolha de hinos de seu irmão a serem cantados na igreja que tem de ser reconhecido com o co-responssavel por todos o sucesso da revolução hinológica wesleyana estava bem distante dos músicos amoralistas de hoje.Como DARSEY insiste "é evidente que wesley era criticamente seletivo á respeito das músicas que utilizava na adoração ;e,ao contrario da noção popular de nossos dias ;ele não pensaria em invadir os bares indiscriminadamente á procura de melodias para os hinos(NOTAS jhon makujina ,measurging the music pp.192,193,2001,202).                   

 Desejo nesta conclusão citar as palavras de Joe Jordam '"ACABAMOS DE OLHAR RAPIDAMENTE O PROPÓSITO AS ARMADILHAS E OS PRINCÍPIOS PARA A MÚSICA O ALVO DESTE ESTUDO FOI SER JUSTO ,EMBORA COMPLETAMENTE BÍBLICO EM NOSSA ABORDAGEM RELATIVAMENTE A MÚSICA.ESPERO QUE A MEDIDA QUE CONSIDERAR ESTAS PALAVRAS ,VOCÊ O FAÇA  COM SEU CORAÇÃO E SUA VIDA PERMITINDO QUE O ESPIRITO DE DEUS ORIENTE O SEU ENTENDIMENTO ,PARA GLORIA DO SENHOR.

NOTA ESCLARECEDORA DO PASTOR MISAEL PASSOS DO PARANA DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM CURITIBA."Não podemos permitir que nossa música se misture com a musica profana ,e temos que buscar o sentido de uma música perfeita ,pura,plena,completa.Paulo nos aconselha ef 4.19.A música é palavra cantada ,com maior força de memorização e o texto acima pode ser levado ao pé da letra .Torpe é sinonimo de indecente ,imundo,nojento,desonesto ,vergonhoso ,sujo.Hinos jamis podem se achar em qualquer um destes qualificativos.Que maravilha seria se selecionávamos sempre todos os hinos que fossem BONS PARA EDIFICAÇÃO?Quanto  tempo deixaria de ser jogado fora em nossos cultos?CONFORME A NESSECIDADE de quem?Do grupo ou cantor que quer se apresentar de qualquer forma?Do obreiro que não tem uma boa menssagem ,ou não progamou o seu culto ,e o jeito é "preencher espaços"para o tempo passar?Devemos nos programar  ,para depois nos sujeitarmos ao ESPIRITO SANTO , para que ele opere e tome as redeas do progama ,se necessario .Levar tudo no improviso ,e dizer que dirige tambem."

 

  CARACTERISTICA DA IGREJA DE LAODICÉIA APOC  CAP 3.

                       COMENTÁRIO MISAEL PASSSOS .

  Nunca vivemos em dias tão tambem parecidos com a igreja de laodicéia,descrita em apoc 3.Nossa música está repleta de recursos ,e parece que já temos de tudo.Mas e menssagem de exortação para nós contudente "ACONSELHO-TE QUE DE MIM COMPRES OURO REFINADO PELO FOGO PARA TE ENRIQUECER ,VESTIDURAS BRANCAS PARA TE VESTIRES,E COLIRIO PARA UNGIRES OS  TEUS OLHOS ,A FIM DE QUE VEJAS"A musica  sacra vale como ouro,por isso sempre que começo a trabalhar arranjos diz Misael Passos ,me curvo perante  DEUS E PEÇO :SENHOR,MANDA ALGUMA COISA BOA DO CÉU PARA ALEGRAR A NOSSA ALMA." (por Misael Passos 4° simpósio de musica sacra em Mauá 1996 apostila p12,13).

 Prossegue notas de comentários de Misael passos de muita utilidade"Sei de muitos cantores ,compositores ,arranjadores que só estão interessados   nesta comunhão com DEUS ,nesta intimidade com o seu Espirito Santo ,e por ainda temos cultos arrebatadores ,onde o Senhor é genuinamente louvado.Quando a música está fora dos padrões de adoração e louvor ,se torna vergonhoso ,sensual,e é hora de buscarmos a Deus para que está música receba "vestiduras brancas"sendo trabalhadas pelo ESPIRITO SANTO" para honrar AO    SENHOR.  É HORA de muitos pedirem o colírio de Deus para verem e discernir todas estas coisas.Devemos misturar nossa música sim com lagrimas , muita oração como fizeram Paulo e Silas na prisão ,causando um tamanho terremoto que sacudiu  os alicerces da prisão.(nota misael passos simpósio de musica Mauá São Paulo 1998)O louvor liberta toca o coração de Deus ,faz com que seus anjos se movam ALELUIA,devemos misturar nossa música com canticos espirituais, Ah canticos que não se ouvem mais;busquemos os dons espirituais    e tambem este DOM maravilhoso .Devemos misturar nossa música com ingredientes que Paulo recomenda aos filipensses 4:8e hebreus 13.15.). 

 

 

 

 

 

 

               JUVENIS SUBSIDIO N.1  3/1/2016 CPAD

                 Lição 01: Música! Que som é esse?

      LEITURA BIBLICA EM CLASSE  Gn 4.21; Jó 38.4-7

                                 

                                  Introdução

 

Paz do Senhor é com o coração transbordando de uma imensa alegria que Volto mais uma vez Grato ao Nosso Deus para trazemos  conteúdos adicionais paras Lições Juvenis Chegamos ao 1º Trimestre de 2016 e neste teremos a oportunidade de aprender sobre a importância do Louvor e Adoração.

Na Lição de Hoje estudaremos sobre A Musica conforme veremos A Musica é combinação harmoniosa e expressiva de sons e combinação de ritmo, harmonia e melodia, de maneira agradável ao ouvido. QUANDO LEMOS A BÍBLIA, do Antigo ao Novo Testamento, notamos a presença do louvor através da música como elemento fundamental do culto a Deus.

 

  1. O QUE É MÚSICA?

Há tanto oque aprender com com a música e adoração no Antigo e Novo Testamento( mesmo sem notas Musicais . No Livro de Jó Somo informados que enquanto Deus estava  Criando a Terra, Os Anjos cantavam de Alegria Jó 38.1,6-7 as menções as Estrelas e aos filhos de Deus aqui são referencias aos Anjos. A Música Já Existia Antes Mesmo Do Homem Ser Criado! A música é encontrada desde o Gênesis. A Primeira Menção a Música e a instrumentos, se encontra em (ver Gn 4.21). outro livro altamente musical é o livro dos  Salmos.

Inúmeras passagens por Toda a Bíblia, mostram as diferentes finalidades da Música: promover alegria- (Gn31:27; Ec 2.1,8-11); como expressão de arte e poesia- Cantares; como forma de protesto – (Sl 73). Para profissão – (Sl 32;51) para oração (Sl 7;38;64).

O Antigo Testamento é riquíssimo em passagens sobre o assunto. O Novo Testamento também lhe dá a devida importância. Dos ministros de louvor na antigüidade, conhecemos bem Asafe, Coré, Etã e até mesmo Moisés, com a oração do Salmo 90 que foi incluí- da no hinário oficial de Israel, que é o livro dos Salmos.

Mas sem dúvida, quem mais se destacou foi Davi. músico, arranjador e letrista fez do louvor não somente um meio de estabelecer comunhão íntima com Deus, mas também uma arma poderosa nas situações difíceis de sua vida.

É de Davi a letra tão cantada em nossas igrejas atualmente: ....na presença dos deuses a ti cantarei louvores. (Sl 138.1). E também o mais conhecido testemunho de libertação espiritual por meio do louvor tem Davi como o ministro de louvor: .E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Daví tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele. (1Sm 16.23).

No Novo Testamento também vemos que a presença da música é real. O próprio Jesus e seus discípulos participavam de períodos de louvor: E tendo cantado o hino, saíram para o monte das Oliveiras. (Mt 26.30).

  1. Definição: O QUE É A MÚSICA? O vocábulo latino musica vem do grego mousiké, "a arte das musas". Na mitologia grega, há nove musas que patrocinam as ciências e as artes. São filhas de Zeus e de Mnemósine (a memória): Calíope (poesia épica), Clio (história), Euterpe (música),Melpômene (tragédia), Talia (comédia), Urânia (astronomia), Érato (poesia amorosa), Terpsícore (dança) e Polímnia (hinos).

De acordo com os dicionários da Língua Portuguesa, a música é a arte e a técnica de combinar sons de maneira agradável ao ouvido. Agradável, não em relação ao gosto musical, mas aos bons efeitos que causa ao ouvido humano. E, para isso, precisa ser composta de emissões vibratórias com frequências bem definidas, que podem ser captadas pelas limitações fisiológicas do ouvido. Ela é uma ciência, mas também uma arte. Daí o salmista ter dito: "tocai bem e com júbilo" (SI 33.3). "Tocar bem" diz respeito à parte técnica (ciência), que de maneira nenhuma deve ser deixada de lado; e "tocar com júbilo" refere-se à sua aplicação (com arte).

A música tem recebido vários adjetivos: Música clássica: escrita por compositores que se caracterizam pelo classicismo; música de acordo com predeterminada forma de arte; música fina; música que não é do gênero popular.

Música sinfónica: consiste em sinfonias ou em peças para grande orquestra. Música vocal ou harmónica: composta para ser cantada.Música rítmica: aquela em que os membros dos períodos que a compõem estão ordenados com perfeita simetria.

Música folclórica: anónima, de transmissão oral, antiga, que constitui o património comum do povo de uma determinada região.

 Música pop: música popular, nacional ou estrangeira, voltada principalmente para o público jovem, com temas alegres ou românticos.

Música popular: a que tem larga difusão entre o povo através do rádio, do disco e da televisão e, geralmente, de sucesso efémero.

Música sertaneja: música originária do interior, típica dos estados da região Centro-Oeste, executada com instrumentos como a viola. Modernamente, usam-se outros instrumentos, até mesmo eletrônicos.

Música profana: a que não se destina a èulto religioso.

 

Música sacra ou sagrada: composição que tem por assunto orações e ofícios do culto religioso e que ordinariamente se executa nas igrejas. Há mais de 430 menções à música e ao louvor na Bíblia Sagrada. O livro de Salmos, o maior das Escrituras, com 150 capítulos, é um grande hinário de louvor ao Senhor.

Há mais de 430 menções à música e ao louvor na Bíblia Sagrada. O livro de Salmos, o maior das Escrituras, com 150 capítulos, é um grande hinário de louvor ao Senhor. O louvor, apesar de não ser a tarefa mais sublime da Igreja na Terra, haja vista a Grande.Comissão (At 1.8; Mc 16.15; Mt 28.19), é o único ofício que continuará sendo exercido no céu, pois "o seu louvor permanece para sempre" (SI 111.10). A música, em sua essência, teve origem no Criador e é executada diante dele desde antes da criação (Jó 38.7; Ap 14.2,3; 15.3; 19.1-7). Os seres angelicais ocupam-se da adoração a Deus por meio da música (Lc 2.13,14; Ap 5.7-14; Ne 9.6; SI 103.20; 148.2; Ap 7.11,12). Na Terra, ela originou-se com Jubal, descendente de Caim (Gn 4.17-21). De acordo com Salmos 19.1-3 e 150.6, toda a criação louva a Deus naturalmente, reconhecendo a sua soberania. Aos homens deu o Senhor o livre-arbítrio, a liberdade de escolha (SI 51.15; 57.7), e alguns têm optado por não adorá-lo (Is 1.3; Rm 1.21). Mas, como diz o hino 124 da Harpa Cristã, que todos juntos o louvemos!

  1. A extensão da Música “A MÚSICA É NEUTRA OU INOFENSIVA?”

No mundo, a música é usada como ferramenta ampla de conhecimento e de transformação do homem. Mas não podemos descartar a possibilidade inversa. Ela pode sim alterar a consciência e levar ao sentimento de êxtase, independentemente de a letra de uma composição ser