Translate this Page

Rating: 3.0/5 (889 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

urgente necessidade de avivamento
urgente necessidade de avivamento

 

 

                                   A  necessidade presente nesta ultima hora                                                                        

 Billy Gaham."Década de 1850 foi marcara por um acentuado declínio religioso nos Estados Unidos. A descoberta de ouro na Califórnia, além de outras coisas, tinha desviado a atenção das pessoas da religião para as coisas materiais. A instabilidade política por causa da escravidão e a desintegração que ameaçava a nação preocupavam a população. Um pânico financeiro no fim daquela década trouxe uma maior preocupação com as coisas materiais.(notas ,o poder do Espirito Santo,Billy Graham,pp.236,1989)

Em Setembro de 1857 um comerciante chamado Jeremiah Lanphier decidiu convidar outros comerciantes para orarem com ele uma vez por semana ao meio dia pela atuação renovadora do Espírito Santo. Ele distribuiu centenas de folhetos convidando para o encontro, mas no primeiro dia só meia dúzia apareceu, encontrando-se nos fundos de uma igreja na Fulton Street. Duas semanas depois já eram quarenta, e em seis meses uns dez mil se reuniam diariamente para orar, somente em Nova Iorque. Um avivamento passou pelo país, e em dois anos mais ou menos um milhão de pessoas tinha se decidido por Cristo.(ibi,pp236).

Os efeitos deste avivamento, em vidas particulares e na sociedade, foram profundos, mas tragicamente o avivamento veio tarde demais para evitar a Guerra Civil que ameaçou a própria existência da nação americana. Mas ele trouxe incontáveis benefícios, incluindo muitos movimentos evangelísticos e de melhoria social.

 

                            A Necessidade de Avivamento Espiritual 

Atualmente o mundo precisa de novo, desesperadamente, de um avivamento espiritual. Esta é a única esperança para a sobrevivência da raça humana.

Em meio aos problemas sem fim que o mundo enfrenta, os cristãos estão estranhamente silenciosos e impotentes, quase vencidos pelas ondas do secularismo. Mas os cristãos devem ser o "sal da terra" (Mat. 5:13), protegendo o mundo em decadência de mais podridão. Eles devem ser a "luz do mundo" (Mat. 5:14), iluminando a escuridão que o pecado produz, servindo de guia para um mundo que se perdeu do caminho. Nós devemos ser: "Filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo" (Filip. 2:15).(notas,ibid,237,)

Por que não somos "sal" e "luz", como deveríamos? Por que não estamos fazendo muito mais para levar o reino de Deus aos corações e às vidas das pessoas? Sem dúvida temos muitos exemplos de cristãos que foram tocados por Deus e estão, por sua vez, tocando a vida de outros para levá-los a Cristo. Mas para cada exemplo destes há muito mais cristãos que vivem derrotados e sem alegria. Não têm vitória sobre o pecado nem sucesso no testemunhar. Causam pouco impacto sobre os que vivem ao seu redor, quanto ao Evangelho.

Então, se a maior necessidade no nosso mundo é sentir os efeitos de um avivamento, a maior necessidade da Igreja de Cristo no mundo todo hoje é experimentar o toque do Espírito Santo, trazendo "reavivamento" e "renovação" verdadeiros à vida de incontáveis cristãos.

Há muitos séculos atrás Deus fez com que Ezequiel, o profeta, tivesse uma visão marcante, em que Israel como nação estava disperso entre os povos. Muitos ossos secos representavam Israel. Parecia que não havia mais esperança para o futuro. Pela palavra do profeta, Israel poderia ter sido enterrado quanto ao mundo secular. Mas Ezequiel ficou aturdido quando Deus lhe perguntou: "Estas ossos poderão reviver?" (Ezeq. 37:3). O profeta respondeu: "Tu o sabes." Então o homem de Deus recebeu a ordem de falar a palavra de Deus, e os ossos se levantaram, revestindo-se de carne: uma grande multidão. Mas eles ainda estavam estranhamente apáticos. Faltava-lhes sopro, ou espírito. Então o Espírito de Deus lhes deu sopro, e todos aqueles homens se transformaram num poderoso exército.(notas,ibid,pp.238).

Nós estamos novamente enfrentando uma época negra na história do povo de Deus. Apesar de alguns sinais encorajadores, as forças do mal parece que estão se agrupando para desfechar um ataque total à obra de Deus no mundo. Satanás está usando seu poder como talvez nunca antes na história da Igreja. Precisamos mais do que nunca de um reavivamento. Só Deus pode impedir a execução dos planos de Satanás com suas legiões, porque só Deus é Todo-Poderoso. Somente Seu Espírito Santo pode trazer avivamento espiritual que pare o curso do mal e inverta a tendência. Mesmo na hora mais escura Deus pode reavivar Seu povo, e soprar novo vigor e poder no corpo de Cristo através do Espírito Santo.(notas,pp.238)

Nosso mundo precisa ser temperado por cristãos que sejam cheios do Espírito, guiados pelo Espírito e revestidos de poder pelo Espírito. Você é um cristão assim? Ou você precisa de que o Espírito Santo toque novamente em sua vida? Você está precisando de um avivamento em sua própria vida? Pois saiba que Deus Espírito Santo quer lhe conceder isto agora mesmo.(notas,ibid,238)

 

                                          O Tempo é Agora

 

Billy G."agora é o tempo certo para o avivamento espiritual. Não devemos adiar mais esta hora. Dr. Samuel Johnson usava um relógio em que estavam inscritas as palavras de João 9:4: "A noite vem". Nós cristãos deveríamos ter inscrito em nossos corações a solene verdade de quão curta é nossa oportunidade de falar de Cristo e viver por Ele. Não sabemos – ninguém de nós – quanto tempo nos resta nesta terra. A morte pode pôr um fim à nossa vida a qualquer momento. Cristo pode vir a qualquer momento.(notas,ibid,239)

Eu li uma vez sobre um relógio de Sol que continha esta inscrição misteriosa: "É mais tarde do que você pensa." Quem viaja deve parar às vezes para refletir sobre o significado desta frase. Nós cristãos temos um relógio de Sol – a Palavra de Deus. Desde o Gênesis até o Apocalipse ela adverte: "É mais tarde do que você pensa." Escrevendo aos cristãos da sua época, Paulo disse: "Chegou a hora de vocês acordarem. Porque o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer. A noite está terminando, e o dia vem chegando. Por isso paremos de fazer o que pertence à escuridão, e peguemos as armas para lutar na luz" (Rom.13:11,12, BLH).(notas,ibid,240)

Billy Bray, um homem de Deus de outra geração, estava visitando um cristão que tinha sido muito tímido durante a sua vida quanto a falar de Cristo, e agora estava no leito de morte. O moribundo disse: "Se eu tivesse forças eu daria glória a Deus". Billy Bray respondeu: "É uma pena que você não deu glória a Deus enquanto tinha a força." Eu nem quero saber quantos de nós vão olhar para trás, para as oportunidades desperdiçadas da sua vida e seu testemunho ineficiente e chorar porque não deixaram que Deus os usasse como Ele queria. "A noite vem, quando ninguém pode trabalhar" (João 9:4).(notas,ibid,241)

Se quisermos estudar a Escritura, Se quisermos dedicar tempo à oração, se quisermos ganhar pessoas para Cristo, se quisermos investir nosso dinheiro no seu reino – tem de ser agora. (2 Ped. 3:11-14, ). 

 

                                   Os Efeitos de um Avivamento 

               Billy Gaham sugere 8 principais  efeitos do Avivamento 

O que aconteceria se o avivamento irrompesse em nossa vida e em nossas igrejas hoje? Eu creio que há pelo menos oito características de tal derramamento do Espírito Santo.

1) Haverá uma nova maneira de ver a majestade de Deus. Temos de entender que o Senhor não é somente carinhoso e misericordioso e cheio de compaixão, mas Ele é também o Deus de justiça, santidade e ira. Muitos cristãos têm em sua mente uma caricatura de Deus. Não vêem Deus como Ele é, mas só uma parte. Nós citamos João 3:16 de cor, mas esquecemos do versículo que vem logo depois: "O que não crê já está julgado" (v. 18). A compaixão não é completa em si mesma, mas ela tem de ser acompanhada de justiça inflexível e ira contra o pecado, além de um desejo por santidade.

O que mais mexe com Deus não é sofrimento físico, mas pecado. Nós temos muito mais medo de dor física do que de males morais. A cruz é evidência duradoura de que a santidade é para Deus um princípio pelo qual Ele está disposto a morrer. Deus não pode apagar a culpa sem que alguém tenha pago por ela. Nós precisamos alcançar misericórdia, e a obtemos aos pés da cruz.(notas,ibid,242)

2) Haverá uma nova maneira de encarar a pecaminosidade do pecado. Isaías viu o Senhor sobre um trono alto e Sublime, e as abas das Suas vestes enchiam o templo, e os serafins se curvavam diante dEle, exclamando: "Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória" (Isa. 6:3). Então Isaías reconheceu sua própria insignificância e sua profunda dependência de Deus. Quando Simão Pedro, no lago da Galiléia, viu que o próprio Senhor estava com ele no barco, ele disse: "Retira-te de mim, Senhor, porque sou pecador!" (Lucas 5:8). A consciência de que Jesus era o próprio Deus lembrou Pedro do seu próprio estado pecaminoso. Jó, na presença de Deus, disse: "Eu me abomino" (Jó 42:6).(notas,ibid,243).

Tiago nos diz que quando alguém é tentado suas próprias paixões é que o atraem e seduzem (Tiago 1:14, 15). E seja qual for o seu desejo, ele dá à luz ao pecado, e o pecado quando praticado leva à morte. Precisamos ver o pecado como ele realmente é. A maior visão de pecado que alguém pode ter é olhar para a cruz. Se Jesus Cristo teve de morrer pelos pecados, então o pecado era de fato negro e terrível aos olhos de Deus.

3) Haverá ênfase na necessidade de arrependimento, fé e novo nascimento. Jesus veio, pregando o arrependimento e dizendo que quem não nasce de cima não pode ver o reino de Deus. Ele disse que os pecadores amam as trevas, e não querem vir para onde há luz porque têm medo de que seus pecados sejam expostos e condenados. Os que têm Seus corações mudados são novas criaturas. Eles vêm para onde há luz porque amam a verdade e a Deus. Se alguém está em Cristo é nova criação, as coisas antigas já passaram e tudo ficou novo.(notas,ibid,pp.244)

4) Haverá alegria na salvação. O salmista ora por avivamento, "para que em ti se regozije o teu povo" (Salmo 85:6). Davi desejava que a alegria da salvação fosse restaurada. O propósito declarado de Jesus era que "a alegria de vocês seja completa" (João 15:11, BLH). Quando Filipe foi a Samaria e provocou um grande avivamento, a Escritura diz que "houve grande alegria naquela cidade" (Atos 8:8). Jesus também nos diz que há alegria no céu, alegria dos anjos na presença de Deus por um pecador que se arrepende (Lucas 15:7). Uma revitalização verdadeira da Igreja traria consigo a salvação de dezenas de milhares de pecadores, o que por sua vez produziria alegria na terra tanto como no céu.(notas,ibid,244).

Mesmo se não houvesse céu e interno eu ainda quereria ser cristão, por causa do bem que isto traz ao nosso lar e à nossa família aqui nesta vida.

5) Haverá uma nova compreensão da nassa responsabilidade pela evangelização do mundo. João Batista mostrou aos Seus ouvintes o "Cordeiro de Deus", e dois dos Seus discípulos passaram a seguir a Jesus (João 1:36, 37). André achou primeiro o seu irmão Pedro e lhe disse que tinha achado o Cristo. Quando Filipe se decidiu por seguir a Jesus, ele foi procurar por Natanael (João 1:40-45). Os apóstolos deveriam ser testemunhas em qualquer lugar e em todos os lugares, mesmo nos confins da terra (Atos 1:8). E quando a perseguição dispersou os cristãos que moravam em Jerusalém eles foram por todos os lugares pregando Cristo e o evangelho glorioso (Atos 8:4). Uma das primeiras e mais seguras evidências de que alguém é um crente verdadeiro é a preocupação que sente por outras pessoas.(notas,ibid,pp.244).

6) Haverá uma profunda preocupação social. Jesus disse em Mateus 22:37-39: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o, teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. ... Amarás o teu próximo como a ti mesmo." Nossa fé não é só vertical, é também horizontal. Nós começaremos a nos importar com os problemas dos que vivem ao nosso redor e dos que estão longe. Mas eu tenho de dizer que um mundo que realmente quer ser salvo das conseqüências do seu próprio pecado e da sua insensatez só pode receber uma mensagem de uma cristandade reavivada: "Arrependam-se". Muitas pessoas hoje em dia querem um mundo fraternal em que elas possam permanecer infraternas. Muitas pessoas querem segurança econômica sem segurança espiritual. Mas o avivamento que desejamos deve ser bíblico. Se for cristão, será bibliocêntrico. Se for verdadeiro, então seus líderes terão de ter a coragem de Amós para condenar "os que compram os pobres por dinheiro e os necessitados por um par de sandálias" (Amós 8:6).(notas,ibid,pp.244)

Devemos segurar bem alto os ensinos morais, éticos e sociais de Jesus, estando de acordo de que Ele oferece o único padrão para o caráter do indivíduo e da nação. O Sermão do Monte vale hoje e sempre. Não podemos edificar uma civilização nova sobre os fundamentos caóticos do ódio e da amargura.

7) Haverá cada vez mais manifestações dos dons e do fruto do Espírito. Quem traz o avivamento é o Espírito Santo, e quando Ele vem com todo Seu poder haverá claras evidências na Igreja dos Seus dons e do fruto do Espírito. Os crentes saberão o que significa  servir uns aos outros e edificar-se mutuamente através dos dons que o Espírito Santo concebeu. Todos eles receberão uma nova medida de amor uns pelos outros e por um mundo perdido e em decadência. O mundo não dirá mais que a Igreja é silenciosa e sem poder. As nossos vidas não parecerão mais normais e indistinguíveis do resto do mundo. Nossas vidas serão marcadas pelos dons que o Espírito Santo pode dar. Serão marcadas pelo fruto que somente Ele pode produzir.(notas,ibid,pp.245).

8) Haverá renovada dependência do Espírito Santo. Em diversos lugares no mundo já podemos ver isto acontecendo. Não pode haver revitalização espiritual sem Ele. O Espírito Santo repreende, convence, luta conosco, instrui, convida, incentiva, regenera, renova, fortalece e um. Ele não deve ser entristecido, tentado, receber resistência da nossa parte, ser apagado, insultado ou blasfemado. Ele dá liberdade ao cristão, objetivos ao que trabalha, discernimento ao que ensina, poder à Palavra e fruto para um trabalho fiel. Ele revela as coisas de Cristo. Ele nos ensina como usar a espada do Espírito que é a Palavra de Deus. Ele nos guia a toda a verdade. Ele nos orienta como podemos viver como Deus quer. Ele nos ensina como dar respostas aos inimigos de nosso Senhor. Ele possibilita o acesso ao Pai. Ele nos ajuda na oração.

Há coisas que o dinheiro não pode comprar, que a música não rode proporcionar, que nenhuma posição social pode garantir, que nenhuma influência pessoal pode conseguir e que nenhuma eloqüência pode ordenar. Por mais brilhante que seja um pastor, por mais eloqüente ou persuasivo que seja um evangelista, eles não podem trazer o avivamento de que precisamos. Só o Espírito Santo pode trazê-lo. Zacarias disse: "Não por força, nem por ceder, mas pelo meu Espírito" (Zac. 4:6).

 

                                       Passos para um Avivamento

O evangelista Billy Graham sugere 3 passos iniciais para um Avivamento:

"Se muitos cristãos precisam de um avivamento hoje em dia, como fazer para consegui-lo? Que passos temos de dar em nossa vida, que passos os outros têm de dar para serem avivados? Eu creio que a Bíblia exige três passos da nossa parte".

Billy G."O primeiro passo é admitir nossa pobreza espiritual. Vezes demais nós nos parecemos com os cristãos de Laodicéia, que estavam cegos para as suas necessidades espirituais: "Dizes: Estou rico e abastado, e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu" (Apoc. 3:17).

Há algum pecado em nossa vida que está boqueando a atuação do Espírito Santo em e através de nós? Não devemos rapidamente dizer "não". Examinemo-nos à luz da Palavra de Deus, oremos para que o Espírito Santo nos revele todos os pecados que nos embaraçam. Talvez estejamos fazendo algo errado – um hábito, o relacionamento que temos com alguém, algum pensamento ou motivação má. Talvez estejamos negligenciando algo alguma responsabilidade de que estamos nos esquivando ou algum ato de amor que não praticamos. Seja o que for, deve ser reconhecida com honestidade e humildade diante de Deus.

Billy G."O segundo passo para o reavivamento espiritual é confissão e arrependimento. Podemos saber que pecamos e mesmo assim não fazer nada. Precisamos confessar nossos pecados a Deus e nos arrepender deles, não só reconhecê-los diante dEle mas voltar as costas ao pecado de verdade e tentar ser obedientes a Ele. Uma das grandes promessas da Bíblia está em 1 João 19: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça." O profeta Isaías disse: "Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo os seus pensamentos; converta-se ao Senhor" ( Isa. 55:6, 7).

Não é por acaso que alguns dos grandes reavivamentos da história começaram com oração. O primeiro movimenta missionário americano em grande escala começou em 1806, em uma reunião de oração debaixo de um monte de feno, no meio de uma tempestade. Em 1830 umas 30.000 pessoas se converteram em Rochester, estado de Nova Iorque, nas pregações de Charles Finney. Finney disse mais tarde que a causa foi a oração fiel de um homem que nunca vinha às reuniões, mas dedicava seu tempo à oração. Em 1872 o evangelista americano Dwight L. Moody iniciou uma campanha em Londres, na Inglaterra, que Deus usou para tocar vidas incontáveis. Moody mais tarde descobriu que uma menina humilde, presa à cama, estivera orando. Esta lista poderia ir longe.

Você está orando por reavivamento na sua vida e na de outros? Você está confessando seus pecados a Ele e procurando a Sua bênção para sua vida?

Billy G."O terceiro passo é um compromisso renovado de nossa parte de procurar e fazer a vontade de Deus. Talvez já estejamos convencidos de que pecamos – já oramos e confessamos nosso pecado – já nos arrependemos mas a prova mesmo é nossa disposição de obedecer. Não é por acaso que verdadeiro reavivamento sempre é acompanhado por fome e sede de fazer o bem. Uma vida que o Espírito Santo tocou não tolera mais o pecado.

O que está impedindo o reavivamento espiritual em sua vida? No fundo, sem dúvida, é pecado. Às vezes é doloroso encarar a verdade sobre nossa falta de zelo e dedicação espiritual. Deus quer nos dar do Seu poder e fazer de nós servos úteis a Ele. "Desembaracemo-nos de todo peso, e do pecado que tenazmente nos assedia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus" (Heb, 12:1, 2).James A. Stuart observou: "Uma igreja que precisa de reavivamento está vivendo abaixo do padrão do Novo Testamento. ... É trágico que a vasta maioria dos cristãos está vivendo uma vida cristã abaixo do normal ... a Igreja nunca voltará à normalidade enquanto não houver reavivamento."1

Você está vivendo uma vida cristã "abaixo do normal" – uma vida sem sucesso, indiferente, sem amor por Cristo e pelos outros? Deixe que o Espírito Santo o leve humildemente a Deus, confessando seus pecados e procurando a Sua face. Deixe que Ele ponha Sua mão sobre você enquanto você se entrega a Ele. O que o mundo mais precisa hoje em dia é de cristãos totalmente entregues a Cristo.

Há mais de 100 anos dois jovens estavam conversando, na Irlanda. Um deles disse: "O mundo ainda há de ver o que Deus pode fazer com alguém totalmente consagrado a Ele." O outro meditou sobre estas palavras durante semanas. Elas não o soltaram mais, até que um dia ele disse: "Pelo Espírito Santo eu serei este homem". Hoje os historiadores dizem que ele tocou dois continentes por Cristo. Seu nome: Dwight L. Moody.Isto pode acontecer de novo, se abrirmos as nossas vidas para o poder criador do Espírito Santo. Ninguém pode querer sinceramente ser purificado e abençoado pelo Espírito Santo, e permanecer o mesmo. Nenhuma nação pode experimentar o toque do reavivamento e permanecer a mesma.

 

Vimos neste livro que Pentecostes foi o dia do poder do Espírito Santo. Foi o dia em que nasceu a Igreja de Cristo. Nós não esperamos que Pentecostes se repita, da mesma forma que sabemos que a morte de Jesus na cruz não se repetirá. Mas nós esperamos bênçãos pentecostais quando as condições para a atuação de Deus são cumpridas, especialmente à medida que nos aproximamos dos "últimos dias". Nós cristãos devemos preparar o caminho. Devemos estar prontos para o Espírito Santo nos encher e usar.(notas,ibid,pp245).

           O revestimento e avivamento na vida de Charles G.Finey

              Breve história do avivamento e em seu ministério

Os apóstolos e irmãos, no dia de pentecoste, receberam-no. Mas o que receberam? Que poder exerceram depois daquele acontecimento?

Receberam poderoso batismo do Espírito Santo, vasto incremento da iluminação divina. Esse batismo proporcionou grande diversidade de dons que foram usados para a realização da obra. Abrangia evidentemente os seguintes aspectos: o poder de uma vida santa; o poder de uma vida de abnegação (essas manifestações hão de ter tido grande influência sobre aqueles a quem proclamavam o evangelho); o poder da vida de quem leva a cruz; o poder de grande mansidão, que esse batismo os capacitou a evidenciar por toda parte; o poder do amor na proclamação do evangelho; o poder de ensinar: o poder de uma fé viva e cheia de amor; o dom de línguas; maior poder para operar milagres; o dom da inspiração, ou seja, a revelação de muitas verdades que antes não reconheciam; o poder da coragem moral para proclamar o evangelho e cumprir as recomendações de Cristo, custasse o que custasse.(uma vida de poder,Charles G. Finey.pp.5).

Nas circunstâncias em que os discípulos se achavam, todos esses poderes eram indispensáveis para seu sucesso. Contudo, nem separadamente nem todos em conjunto constituíam aquele poder do alto que Cristo prometera, e que eles evidentemente receberam. O que manifestamente lhes sobreveio, como meio supremo e de suprema importância para o sucesso, foi o poder para vencer e convencer, junto de Deus e dos homens: o poder de fixar impressões salvadoras na mente dos homens.(notas,ibidpp.5).

Esse último é que foi sem dúvida o que eles entenderam que Cristo Ihes prometera. Ele encarregara a Igreja da missão de converter o mundo à sua Pessoa. Tudo que acima citei foram apenas os meios que jamais poderiam colimar o fim em vista, a não ser que fossem vivificados e se tornassem eficientes pelo poder de Deus. Os apóstolos, sem dúvida, entendiam isso, e, depondo a si mesmos e a tudo que possuíam sobre o altar, puseram cerco ao trono da graça no espírito de inteira consagração à obra.Receberam, de fato, os dons acima citados; mas, principalmente, esse poder de impressionar os homens para a salvação. Ele manifestou-se logo em seguida: começaram a dirigir-se à multidão e --maravilha das maravilhas! -- três mil converteram-se na mesma hora. Note-se, porém, que não foi manifestado por eles nenhum novo poder nessa ocasião, exceto o dom de línguas. Não operaram dessa feita nenhum milagre, e mesmo as línguas, usaram-nas simplesmente como meio de se fazerem entender.

Note-se que ainda não tinham tido tempo para revelar dons do Espírito, além dos que mencionamos acima. Não tiveram naquela hora a oportunidade de mostrar uma vida santa, nem algumas das poderosas graças e dons do Espírito. O que foi dito na ocasião, conforme o registro bíblico, não podia ter causado a impressão que causou, se não fosse dito por eles com novo poder, a fim de produzir no povo uma impressão salvadora. Não se tratava do poder da inspiração, pois estavam apenas declarando certos fatos que eram de seu conhecimento. Não foi o poder da erudição e cultura humana, pois disso tinham muito pouco. Não foi o poder da eloqüência humana, pois disso também não parece ter havido muito.

Foi Deus falando neles e por meio deles. Foi o poder vindo do alto, sim, Deus neles, causando uma impressão salvadora naqueles a quem se dirigiam. Esse poder de impressionar os homens para a salvação permanecia com eles e sobre eles. Foi essa, sem dúvida, a promessa principal feita por Cristo e recebida pelos apóstolos e cristãos primitivos. Em maior ou menor medida, permanece na Igreja desde então. Trata-se de um fenômeno misterioso que muitas vezes se manifesta de modo surpreendente. Às vezes uma simples frase, uma palavra, um gesto, ou mesmo um olhar, transmite esse poder de maneira vitoriosa.

Para honra exclusiva de Deus, contarei um pouco da minha própria experiência no assunto. Fui poderosamente convertido na manhã do dia 10 de outubro. À noitinha do mesmo dia, e na manhã do dia seguinte, recebi batismos irresistíveis do Espírito Santo, que me traspassaram, segundo me pareceu, corpo e alma. Imediatamente me achei revestido de tal poder do alto, que umas poucas palavras ditas aqui e ali a indivíduos provocavam a sua conversão imediata.

Parecia que minhas palavras se fixavam como flechas farpadas na alma dos homens. Cortavam como espada; partiam como martelo os corações. Multidões podem confirmar isso. Muitas vezes uma palavra proferida, sem que disso eu me lembrasse, trazia convicção, resultando, em muitos casos, na conversão quase imediata. Algumas vezes me achava vazio desse poder: saía a fazer visitas e verificava que não causava nenhuma impressão salvadora. Exortava e orava, com o mesmo resultado. Separava então um dia para jejum e oração, temendo que o poder me houvesse deixado e indagando ansiosamente pela razão desse estado de vazio. Após ter-me humilhado e clamado por auxílio, o poder voltava sobre mim em todo o seu vigor. Tem sido essa a experiência da minha vida.

Poderia encher um volume com a história da minha própria experiência e observação com respeito a esse poder do alto. É um fato que se pode perceber e observar, mas é um grande mistério. Tenho dito que, às vezes, um olhar encerra em si o poder de Deus. Muitas vezes o tenho presenciado. O seguinte fato serve de ilustração.Pregava pela primeira vez em uma vila manufatureira. Na manhã seguinte entrei em uma das fábricas para vê-la funcionar. Ao entrar no departamento de tecelagem, vi um grande número de moças e notei que algumas me olhavam, depois umas às outras, de um modo que indicava espírito frívolo e que me conheciam. Eu, porém, não conhecia nenhuma delas. Ao aproximar-me mais das que me tinham reconhecido, parecia que aumentavam suas manifestações de mente leviana. Sua leviandade impressionou-me; senti-a no íntimo. Parei e olhei-as, não sei de que maneira, pois minha mente estava absorta com o senso da sua culpa e do perigo que representavam.

Ao firmar o olhar nas jovens, observei que uma delas se tornou muita agitada. Um fio partiu-se; ela tentou emendá-lo, porém suas mãos tremiam de tal forma que não pôde fazê-lo. Vi imediatamente que aquela sensação se espalhava, tornando-se geral entre aquele grupo. Olhei-as firmemente, até que uma após outras, entregavam-se e não davam mais atenção aos teares. Caíram de joelhos, e a influência se espalhou por todo o departamento. Eu não tinha proferido uma palavra sequer e, mesmo que o tivesse, o ruído dos teares não teria deixado que a ouvíssemos. Dentro de poucos minutos o trabalho ficou abandonado. Lágrimas e lamentações por todos os lados. Nesse instante entrou o dono da fábrica, que era incrédulo, acompanhado, creio, pelo superintendente, que professava a fé. Quando o dono viu o estado de cousas, disse ao superintendente: "Mande parar a fábrica".

"É mais importante", acrescentou rapidamente, "a salvação dessas almas do que o funcionamento da fábrica". Assim que cessou o troar das máquinas, o dono perguntou; "Como faremos? Precisamos de um lugar de reunião, onde possamos receber instrução". O superintendente respondeu: "O salão de fiação serve". Os fusos foram levantados para desocupar o lugar e toda a fábrica avisada para se reunir naquele salão. Tivemos uma reunião maravilhosa. Orei com eles e dei as instruções que na ocasião eram cabíveis. A palavra foi com poder. Muitos manifestaram esperança naquele mesmo dia, e dentro de poucos dias. segundo fui informado, quase todos os trabalhadores daquele grande estabelecimento, inclusive o dono, criam em Cristo.

Esse poder é uma grande maravilha! Muitas vezes já vi pessoas incapazes de suportar a palavra. As declarações mais simples e comuns cortavam os homens como espada, onde se achavam sentados, tirando-lhes a força física e tornando-os desamparados como mortos. Várias vezes já fiquei impossibilitado de levantar a voz, ou de falar em oração ou exortar a não ser de modo bem suave, sem dominar inteiramente os presentes. Não que eu pregasse de modo a aterrorizar o povo: os mais doces sons do evangelho os submergiam. Parece que às vezes esse poder permeia o ambiente das pessoas que o possuem. Muitas vezes em uma comunidade grande número de pessoas é revestido desse poder, e então toda a atmosfera do lugar parece ficar impregnada com a vida de Deus. Os estranhos que ali chegam de fora, de passagem pelo lugar, são, de repente, tomados de convicção de pecado e, em muitos casos, se convertem a Cristo.

Quando os cristãos se humilham e consagram novamente a Cristo tudo o que possuem, pedindo então esse poder, recebem muitas vezes esse batismo e se tornam instrumentos da conversão de mais almas em um dia do que em toda a sua vida até então. Enquanto os crentes permanecem humildes bastante para continuar de posse desse poder, a obra da conversão prossegue até que comunidades e mesmo regiões inteiras se convertem a Cristo. O mesmo acontece com pastores. Mas este artigo já está bastante longo. Se me permitirem. terei mais que dizer sobre o assunto.(notas ,uma vida cheia do Espirito Santo,Charles G. Finey,pp.5-7).

 

                          Brilho da igreja Primitiva-Emílio Conde 

Se confrontarmos os fatores que ilumi­navam e davam projeção à igreja primitiva com a mesma classificação de fatores de nossos dias, descobriremos a causa predo­minante do brilho inconfundível da igreja dos primeiros dias do cristianismo.Na igreja primitiva, os cristãos eram cuidadosamente instruídos acerca do ca­minho, em contraste com o abandono em que vivem os neo-convertidos nas igrejas de nosso tempo.

Naqueles dias, os neófitos aprendiam como dar razão de sua fé; um príncipe ou um nobre não conhecia melhor a doutrina cristã do que o homem do povo ou o maríti­mo que se convertera numa de suas viagens em um porto qualquer. O conheci­mento de uns era o conhecimento de todos.Na igreja primitiva, a admissão como membro era mais difícil do que hoje: o can­didato devia ser realmente convertido e ti­nha de demonstrar seu desejo de pertencer à igreja, através de uma série de fatos que faziam recuar os medrosos e todos os inca­pazes de fazerem brilhar a luz de Cristo. A admissão era precedida de exames que exi­giam renúncia à vida passada: requeriam provas de que a nova vida era vivida no Espírito de Cristo. Enquanto o pretenden­te não estivesse desligado dos laços que o prendiam ao mundo e seus aliados, quer dizer, ao Diabo e à carne, não estava apto para o Reino: sua luz não honraria a igreja, não podia ser membro do corpo de Cristo.

Na igreja primitiva o batismo nas águas só era concedido àqueles que o mundo considerava "mortos" para si, por terem sido achados por Cristo, e iluminados pela graça; enquanto o candidato ao batismo estivesse "vivo" para os homens, não con­seguiria descer às águas. O batismo era o testemunho público de renúncia e morte ao pecado e significava o desejo de viver em novidade de vida.Qualquer que fosse batizado, conhecia o significado desse ato, pois antes de o rea­lizar, passara pela experiência do novo nascimento; estava pronto a abdicar todas as vantagens, por amor a Cristo; estava disposto a brilhar por amor ao Evangelho.

Na igreja primitiva a admissão de obreiros não era obra de homens nem da vontade humana. O escolhido era aponta­do por Deus. Se alguém se apresentasse à igreja, a fim de ser eleito para algum cargo, certamente seria reprovado, senão houves­se provas de ter sido chamado pelo Espíri­to Santo (At 13.1).Quando olhamos para o passado e de­paramos com esse clarão inextinguível que foi o testemunho da Igreja de Cristo, senti­mos desejo de clamar, clamar, clamar até conseguir despertar as igrejas de nossos dias e dizer-lhes que voltem a viver nos passos de Jesus, que voltem a buscar o bri­lho e o testemunho inconfundível de povo adquirido.

Entre outros motivos que congregavam os cristãos da igreja primitiva, um havia que exercia grande influência na vida da comunidade: eles reuniam-se com o fim de partirem o pão, na celebração da Ceia do Senhor. Era esse um ato de alta reverência e um motivo de amor fraternal que envol­via a esperança da volta de Cristo. Na ce­lebração da Ceia, não faltava a exortação mútua, em que era mencionada a vinda de Jesus. A promessa dos anjos, quando Jesus subiu ao Céu, de que Ele voltaria para os seus, era tato recente: era um elo de espe­rança que unia todos os corações.Uma igreja cujo alvo tenha uma defini­ção e um motivo tão elevado como é o propósito de honrar a Deus, é uma igreja cujo brilho os inimigos não conseguem apagar, porque o testemunho da fé não se extingue com calúnias ou perseguições.

A igreja existiu e viveu nos dias distan­tes do primeiro século, porque a vida social de então reclamava esse organismo vivo, para manifestar sua gratidão a Deus e ao mesmo tempo receber o Pão do Céu; seus membros, como elementos vivos, reque­riam ambiente fraterno no qual pudessem cultivar a comunhão uns com os outros e participar da mesma revelação divina.A igreja era o lugar desejado pela alma sequiosa; ali podiam sentir com toda a in­tensidade a proclamação da revelação di­vina, e dos assuntos concernentes à salva­ção; ali a alma recebia o conforto e a inspi­ração das verdades eternas reveladas na Palavra de Deus.

Quem dava relevo e brilho à igreja não era a inteligência ou a cultura dos homens que Deus usava para anunciarem suas ver­dades; a capacidade intelectual desses ho­mens era quase nula; suas palavras não ti­nham o verbo fascinante dos oradores gre­gos. O fulgor da igreja brotava das verda­des recebidas de Deus e fielmente anunciadas aos homens, como sendo obra do Céu, e não trabalho humano. A única luz que brilhava na igreja era a luz do Espírito Santo, porque o combustível que ardia era tão-somente a revelação da graça a orien­tar todas as vontades.Em nossos dias há maior número de igrejas do que nos dias dos apóstolos; há igrejas maiores, templos mais vistosos e mais amplos. Entretanto, a grande ques­tão é saber se há, hoje, igrejas com o mes­mo reflexo da verdade e da revelação de Deus, como havia então.

Já demonstramos qual era o brilho da igreja primitiva; a luz que lhe deu tanto fulgor é a mesma luz prometida à Igreja e aos cristãos de todas as idades. Se as igre­jas e as comunidades cristãs de nossos dias vibrarem dos mesmos desejos e sentimen­tos que operavam na igreja e nos corações dos santos de então, é lógico que o mesmo clarão de fé despertará os homens do sécu­lo vinte a aceitarem a salvação.Se as igrejas, hoje, orarem com o mes­mo fervor do Pentecoste, a mesma revela­ção que atraiu as multidões a ouvirem a mensagem do Evangelho, atrairá também os famintos espirituais que vagueiam sem rumo. 

Se a igreja e os cristãos do tempo pre­sente aceitam o mesmo nome que distin­guiu a igreja e os cristãos primitivos, é claro que estão na obrigação de crer nas mes­mas verdades, observar os mesmos princí­pios e deixar que a mesma luz as ilumine e lhes dê vida.O brilho da igreja primitiva pode e deve ser a luz das igrejas atuais.(notas, a  igreja  sem brilho,Emilio Conde,pp.5-6,cpad,1985)

.

                                O Avivamento que Precisamos 
                                Por Charles Haddon Spurgeon
Com os abençoados quando nos aproximamos de Deus através da oração. Sentimos tristeza ao perceber que muitas igrejas demonstram tão pouca importância à oração coletiva. De que maneira receberemos alguma bênção, se nos mostramos negligentes em pedi-la? Podemos aguardar um,Pentecostes, se jamais nos reunimos uns com os outros, a fim de esperar no Senhor? Irmãos, nossas igrejas nunca serão melhores, enquanto os crentes não estimarem intensamente a reunião de oração. 
Mas, estando reunidos para oração, de que maneira devemos orar? Tenhamos cuidado para não cair no formalismo, pois estaremos mortos, imaginando que possuímos vida. Não duvidemos, motivados por incredulidade, ou estaremos orando em vão. Oh! que tenhamos fé imensa, para com ela apresentarmos a Deus grandes súplicas! Temos misturado o louvor e a oração como um precioso composto de especiarias, adequado para ser oferecido sobre o altar de incenso por intermédio de Cristo, nosso Senhor.Não poderíamos agora apresentar- Lhe uma súplica especial, de maior alcance? Parece a mim que deveríamos orar em favor de um verdadeiro e puro avivamento em todo o mundo.

                               Um avivamento genuino e duradouro 
                                         Charles Hasson Spurgeon
 Regozijo-me com quaisquer evidências de vida espiritual, ainda que seja mentusiásticas e temporárias, e não sou precipitado em condenar qualquer movimento bem-intencionado. Contudo, tenho bastante receio.Fé para Hoje 18 de que muitos dos chamados avivamentos, em última análise, causaram mais danos do que benefícios. Uma espécie de loteria religiosa tem fascinado muitos homens, trazendo-lhes repúdio pelo bom senso da verdadeira piedade. Não desejo menosprezar o ouro genuíno, ao desmascarar as falsificações. Longe disso. Acima de tudo, desejamos que oSenhor envie-nos um verdadeiro e duradouro avivamento espiritual.
Precisamos de uma obra sobrenatural da parte do Espírito Santo, trazendo poder à pregação da Palavra, motivando com vigor celestial todos oscrentes, afetando solenemente os corações dos indolentes, para que seconvertam a Deus e vivam. Se este avivamento acontecesse, não seríamo sem briagados pelo vinho do entusiasmo carnal, mas cheios do Espírito.
Contemplaríamos o fogo dos céus manifestando-se em resposta àsfervorosas orações de homens piedosos. Não podemos rogar que o Senhor,nosso Deus, revele seu poderoso braço aos olhos de todos os homens nestes dias de declínio e vaidade?



                                        Antigas doutrinas
                                     Charles Haddon Spurgeon

 
Queremos um avivamento das antigas doutrinas. Não conhecemos uma doutrina bíblica que, no presente, não tenha sido cuidadosamente prejudicada por aqueles que deveriam defendê-la. Há muitas doutrinas preciosas às nossas almas que têm sido negadas por aqueles cujo ofício é proclamá-las. Para mim é evidente que necessitamos de um avivamento daantiga pregação do evangelho tal como a de Whitefield e de Wesley. As Escrituras têm de se tornar o infalível alicerce de todo o ensino da igreja; aqueda, a redenção e a regeneração dos homens precisam ser apresentada sem termos inconfundíveis.

                                         Devoção pessoal
                                   Charles Haddon Spurgeon
Necessitamos urgentemente de um avivamento da devoção pessoal. Este é,sem dúvida, o segredo do progresso da igreja. Se os crentes perdem a sua firmeza, a igreja é arremessada de um lado para o outro. Quando eles permanecem firmes na fé, a igreja continua fiel ao seu Senhor. O futuro da igreja, nas mãos de Deus, depende de pessoas que na realidade são espirituais e piedosas. Oh! que o Senhor levante mais homens genuinamente piedosos, vivificados pelo Espírito Santo, consagrados ao Senhor e santificados pela verdade! Irmãos, cada um de nós precisa viver, para que a igreja continue viva. Temos de viver para Deus, se desejamos ver a vontade do Senhor prosperar em nossas mãos. Homens consagrados tornam-se o sal da sociedade e os salvadores da raça humana.
                                          No lar avivamento
                                    Charles Haddon Spurgeon
   Citamos profundamente do avivamento da espiritualidade no lar. A família cristã era o baluarte da piedade na época dos puritanos; mas, nesses dias maus, centenas de famílias chamadas cristãs não realizam adoração no lar, não estabelecem restrições, nem ministram qualquer disciplina e ensino aos seus filhos. Como podemos esperar que o reino de Deus prospere, quando os discípulos de Cristo não ensinam o evangelho a seus próprios filhos? Ó homens e mulheres crentes, sejam cuidadosos naquilo que fazem, sabem e ensinam! Suas famílias devem ser treinadas no temor do Senhor, e sejam vocês mesmos “santos ao Senhor”. Deste modo, permanecerão firmes como uma rocha no meio das ondas de terror que surgirão e da impiedade que nos assedia.

                                Intenso e consagrado poder
                                 Charles Haddon Spurgeon


Desejamos um avivamento de intenso e consagrado poder. Tenho suplicado por verdadeira piedade; agora imploro por um de seus mais nobres resultados. Precisamos de santos. Precisamos de mentes graciosas, experimentadas em uma elevada qualidade de vida espiritual resultante de freqüente comunhão com Deus, na quietude. Os santos adquirem nobreza por meio de sua constante permanência no lugar onde se encontram com o Senhor. É aí que adquirem o poder na oração que tanto necessitamos. Oh! que o Senhor levante na igreja mais homens como John Knox, cujas orações causavam à rainha Maria mais terror do que 10.000 soldados! Oh! que tenhamos mais homens como Elias, que através de sua fé abriu e fechou as janelas dos céus! 
Esse poder não surge por meio de um esforço repentino; resulta de uma vida devotada ao Deus de Israel. Se toda a nossa vida for pública, teremos uma existência insignificante, transitória e ineficaz. Entretanto, se mantivermos intensa comunhão com Deus, em secreto, seremos poderosos em fazer o bem. Aquele que é um príncipe com
Deus ocupará uma posição nobre entre os homens, de acordo com a verdadeira avaliação de nobreza. Estejamos atentos para não sermos pessoas dependentes de outras; nos esforcemos para descansar em nossa verdadeira confiança no Senhor Jesus. Que nenhum de nós caia numa situação de infeliz e medíocre dependência dos homens! Desejamos ter entre nós crentes firmes e resistentes, assim como as grandes mansões que permanecem, de geração em geração, como pontos de referência de nosso país; não almejamos crentes semelhantes a casas de saibro, e sim a edifícios bem construídos, capazes de suportar todas as intempéries e desafiar o próprio tempo. Se na igreja tivermos um exército de homens inabaláveis, firmes, constantes e sempre abundantes na obra do Senhor, a glória da graça de Deus será claramente manifestada, não somente neles mesmos, mas também naqueles que vivem ao seu redor. Que o Senhor nos envie um avivamento de poder consagrado e celestial! Pregue por intermédio de suas mãos, se você não pode pregar por meio de seus lábios.
Quando os membros de nossas igrejas demonstrarem o fruto de verdadeira piedade, imediatamente encontraremos pessoas perguntando qual a árvore que produz esse fruto. A oração coletiva dos crentes é a primeira parte de um Pentecostes; a conversão dos pecadores, a outra.Começa somente com “uma reunião de oração”, mas termina com um grande batismo de milhares de convertidos. Oh! que as orações dos crentes se tornem como ímãs para os pecadores! E que o reunir-se de homens piedosos seja uma isca para atrair os homens a Cristo! Venham muitas pessoas a Jesus, porque vêem outros correrem em direção a Ele.
“Senhor, afastamos nosso olhar desses pobres e tolos procrastinadores e buscamos a Ti, rogando-Te que os abençoes com o teu onisciente e gracioso Espírito. Senhor, converte-os, e eles serão convertidos! Através de sua conversão, rogamos que um avivamento comece hoje mesmo. Que este avivamento se espalhe por todas as nossas casas e, depois, pela igreja, até que todos os crentes sejam inflamados pelo fogo que desce dos céus!”

                                   A necessidade da presente hora
                                            Artigo Billy Grahan

A  a de 1850 foi marcara por um acentuado declínio religioso nos Estados Unidos. A descoberta de ouro na Califórnia, além de outras coisas, tinha desviado a atenção das pessoas da religião para as coisas materiais. A instabilidade política por causa da escravidão e a desintegração que ameaçava a nação preocupavam a população. Um pânico financeiro no fim daquela década trouxe uma maior preocupação com as coisas materiais.

Em Setembro de 1857 um comerciante chamado Jeremiah Lanphier decidiu convidar outros comerciantes para orarem com ele uma vez por semana ao meio dia pela atuação renovadora do Espírito Santo. Ele distribuiu centenas de folhetos convidando para o encontro, mas no primeiro dia só meia dúzia apareceu, encontrando-se nos fundos de uma igreja na Fulton Street. Duas semanas depois já eram quarenta, e em seis meses uns dez mil se reuniam diariamente para orar, somente em Nova Iorque. Um avivamento passou pelo país, e em dois anos mais ou menos um milhão de pessoas tinha se decidido por Cristo.

Os efeitos deste avivamento, em vidas particulares e na sociedade, foram profundos, mas tragicamente o avivamento veio tarde demais para evitar a Guerra Civil que ameaçou a própria existência da nação americana. Mas ele trouxe incontáveis benefícios, incluindo muitos movimentos evangelísticos e de melhoria social.(notas,o Espirito Santo,Billy Grahan,pp.235,ed.vida nova,1985).

 

                           A Necessidade de Avivamento Espiritual

                                          Artigo Billy Grahan

Atualmente o mundo precisa de novo, desesperadamente, de um avivamento espiritual. Esta é a única esperança para a sobrevivência da raça humana.

Em meio aos problemas sem fim que o mundo enfrenta, os cristãos estão estranhamente silenciosos e impotentes, quase vencidos pelas ondas do secularismo. Mas os cristãos devem ser o "sal da terra" (Mat. 5:13), protegendo o mundo em decadência de mais podridão. Eles devem ser a "luz do mundo" (Mat. 5:14), iluminando a escuridão que o pecado produz, servindo de guia para um mundo que se perdeu do caminho. Nós devemos ser: "Filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo" (Filip. 2:15).

Por que não somos "sal" e "luz", como deveríamos? Por que não estamos fazendo muito mais para levar o reino de Deus aos corações e às vidas das pessoas? Sem dúvida temos muitos exemplos de cristãos que foram tocados por Deus e estão, por sua vez, tocando a vida de outros para levá-los a Cristo. Mas para cada exemplo destes há muito mais cristãos que vivem derrotados e sem alegria. Não têm vitória sobre o pecado nem sucesso no testemunhar. Causam pouco impacto sobre os que vivem ao seu redor, quanto ao Evangelho.

Então, se a maior necessidade no nosso mundo é sentir os efeitos de um avivamento, a maior necessidade da Igreja de Cristo no mundo todo hoje é experimentar o toque do Espírito Santo, trazendo "reavivamento" e "renovação" verdadeiros à vida de incontáveis cristãos.

Há muitos séculos atrás Deus fez com que Ezequiel, o profeta, tivesse uma visão marcante, em que Israel como nação estava disperso entre os povos. Muitos ossos secos representavam Israel. Parecia que não havia mais esperança para o futuro. Pela palavra do profeta, Israel poderia ter sido enterrado quanto ao mundo secular. Mas Ezequiel ficou aturdido quando Deus lhe perguntou: "Estas ossos poderão reviver?" (Ezeq. 37:3). O profeta respondeu: "Tu o sabes." Então o homem de Deus recebeu a ordem de falar a palavra de Deus, e os ossos se levantaram, revestindo-se de carne: uma grande multidão. Mas eles ainda estavam estranhamente apáticos. Faltava-lhes sopro, ou espírito. Então o Espírito de Deus lhes deu sopro, e todos aqueles homens se transformaram num poderoso exército.

Nós estamos novamente enfrentando uma época negra na história do povo de Deus. Apesar de alguns sinais encorajadores, as forças do mal parece que estão se agrupando para desfechar um ataque total à obra de Deus no mundo. Satanás está usando seu poder como talvez nunca antes na história da Igreja. Precisamos mais do que nunca de um reavivamento. Só Deus pode impedir a execução dos planos de Satanás com suas legiões, porque só Deus é Todo-Poderoso. Somente Seu Espírito Santo pode trazer avivamento espiritual que pare o curso do mal e inverta a tendência. Mesmo na hora mais escura Deus pode reavivar Seu povo, e soprar novo vigor e poder no corpo de Cristo através do Espírito Santo.

Nosso mundo precisa ser temperado por cristãos que sejam cheios do Espírito, guiados pelo Espírito e revestidos de poder pelo Espírito. Você é um cristão assim? Ou você precisa de que o Espírito Santo toque novamente em sua vida? Você está precisando de um avivamento em sua própria vida? Pois saiba que Deus Espírito Santo quer lhe conceder isto agora mesmo.(notas, o Espirito Santo,Billy Grahan,pp.236-237,ed.vida nova,1985).

 

                                             O Tempo é Agora

                                           Artigo Billy Grahan

Agora é o tempo certo para o avivamento espiritual. Não devemos adiar mais esta hora. Dr. Samuel Johnson usava um relógio em que estavam inscritas as palavras de João 9:4: "A noite vem". Nós cristãos deveríamos ter inscrito em nossos corações a solene verdade de quão curta é nossa oportunidade de falar de Cristo e viver por Ele. Não sabemos – ninguém de nós – quanto tempo nos resta nesta terra. A morte pode pôr um fim à nossa vida a qualquer momento. Cristo pode vir a qualquer momento.

Eu li uma vez sobre um relógio de Sol que continha esta inscrição misteriosa: "É mais tarde do que você pensa." Quem viaja deve parar às vezes para refletir sobre o significado desta frase. Nós cristãos temos um relógio de Sol – a Palavra de Deus. Desde o Gênesis até o Apocalipse ela adverte: "É mais tarde do que você pensa." Escrevendo aos cristãos da sua época, Paulo disse: "Chegou a hora de vocês acordarem. Porque o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer. A noite está terminando, e o dia vem chegando. Por isso paremos de fazer o que pertence à escuridão, e peguemos as armas para lutar na luz" (Rom.13:11,12, BLH).

Billy Bray, um homem de Deus de outra geração, estava visitando um cristão que tinha sido muito tímido durante a sua vida quanto a falar de Cristo, e agora estava no leito de morte. O moribundo disse: "Se eu tivesse forças eu daria glória a Deus". Billy Bray respondeu: "É uma pena que você não deu glória a Deus enquanto tinha a força." Eu nem quero saber quantos de nós vão olhar para trás, para as oportunidades desperdiçadas da sua vida e seu testemunho ineficiente e chorar porque não deixaram que Deus os usasse como Ele queria. "A noite vem, quando ninguém pode trabalhar" (João 9:4).

Se quisermos estudar a Escritura, Se quisermos dedicar tempo à oração, se quisermos ganhar pessoas para Cristo, se quisermos investir nosso dinheiro no seu reino – tem de ser agora.(notas,ibid,pp.238).

 

MAIS ASSUNTOS:WWW.PENTECOSTALTEOLOGIA.BLOGSPOT.COM